Brasileirão Série A

Fluminense enfrenta dificuldade para repetir escalação e vê defesa patinar

Segundo time mais vazado do Campeonato Brasileiro, Tricolor sofre com desfalques e mudanças na defesa

A fase do Fluminense não é nada boa, principalmente no Campeonato Brasileiro. Para além dos resultados ruins, o desempenho preocupa, e uma das explicações está na defesa, a segunda mais vazada da competição. Mas os erros técnicos que se repetem também tem a ver com problemas que fogem um pouco da alçada do clube.

Embora não pareça, o estilo de jogo nada convencional de Fernando Diniz obriga que o Flu seja muito disciplinado. Para isso, a repetição de treinos e jogos é importante, mas o Tricolor tem sofrido com ausências.

Os desfalques não explicam tudo, mas ajudam a entender os motivos pelos quais o Fluminense está devendo em 2024. A Trivela levantou alguns números e curiosidades dos últimos jogos que ilustram os problemas defensivos da equipe.

Fluminense tem aproveitamento ruim contra adversários fortes

Os resultados, para começo de conversa, não são bons. O aproveitamento do Flu é de 45,5%, com oito vitórias, seis empates e oito derrotas, apenas uma delas no Brasileirão, sobre o Vasco, por 2 a 1. O Cruzmaltino é o único time de Série A do país que o Tricolor venceu em 2024. As outras vitórias foram pela Libertadores.

A defesa, em especial, sofreu muito com desfalques, e levou 28 gols. O Fluminense não foi vazado apenas seis vezes no período, mas duas delas foram contra o Sampaio Corrêa, um time da Série C, na terceira fase da Copa do Brasil.

Fluminense só venceu um time de Série A em 2024 - Foto: Icon sport
Fluminense só venceu um time de Série A em 2024 – Foto: Icon sport

São 14 gols sofridos em oito jogos no Campeonato Brasileiro. O Vasco é o único mais vazado, contando com números inflados pela goleada de 6 a 1 que levou do Flamengo. Retrato de um time instável na parte defensiva.

— Na maneira que eu vejo futebol e na maneira que o time joga, todos os times precisam se doar para conseguirmos jogar bem e atacar bem, então estamos com um problema coletivo. Quando a gente vai somar os seis meses da temporada, a gente tá devendo e precisa melhorar. Não tem desculpa — afirmou Fernando Diniz após derrota para o Botafogo.

Duplas de zaga do Fluminense não tiveram sequência em 2024

A temporada do Fluminense começou a ser mais desafiadora a partir do fim de fevereiro, quando o Carioca entrou em reta final e a Recopa Sul-Americana bateu à porta no calendário. Desde o primeiro confronto com a LDU, que marca o início de jogos de mais alto nível, o Tricolor disputou 22 partidas, mas não vem bem.

Diniz utilizou sete jogadores como zagueiros no período: Manoel, Felipe Melo, Thiago Santos, Antônio Carlos, Marlon, Martinelli e Felipe Andrade. À exceção do volante improvisado e do jovem de Xerém, os outros cinco se lesionaram em algum momento. Mas as contusões impediram que o time repetisse a dupla de zaga com frequência.

Felipe Melo e Thiago Santos perderam tempo com lesões em 2024 - Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE F.C.
Felipe Melo e Thiago Santos perderam tempo com lesões em 2024 – Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE F.C.

O Fluminense só conseguiu repetir a zaga em três partidas seguidas desde fevereiro, com Manoel e Felipe Melo, contra Vasco, Corinthians e Atlético-MG. Nem assim os resultados foram bons, com uma vitória, um empate e uma derrota (44,4% de aproveitamento) e seis gols sofridos, ou seja, dois por jogo.

Mais coisa vai mudar, porque em julho, o Flu poderá contar com um grande reforço na zaga: Thiago Silva. O ídolo do Tricolor já está treinando no CT Carlos Castilho, mas só pode entrar em campo quando a janela de transferências se abrir. Mas mesmo assim, o Fluminense ainda não sabe quem será seu parceiro na zaga.

Lesões também em outros setores dificultam o Fluminense

Não foram só os zagueiros que se lesionaram em 2024. Muito pelo contrário. Duas outras contusões atrapalharam e muito o sistema defensivo e todo o time do Fluminense: André e Samuel Xavier. Para confortar os tricolores, ao menos, o lateral já voltou, e o volante está perto do retorno.

A ausência de André, um dos alicerces do time, é sentida por todo o campo, mas mais ainda na proteção à área. Sem o jogador, no período, o Tricolor viu o aproveitamento cair de 51,1% para 45,8%. O Flu não venceu mais no Brasileirão com seu desfalque, e teve dificuldade para substituí-lo com Alexsander ou Lima.

André sofreu lesão no joelho direito e virou desfalque no Fluminense - Foto: Divulgação/Conmebol
André sofreu lesão no joelho direito e virou desfalque no Fluminense – Foto: Divulgação/Conmebol

O lateral-direito ampliou a dificuldade do Fluminense em repetir sua linha de defesa. Mas em 2024, ele soma apenas oito jogos, e faz falta com e sem bola ao time de Fernando Diniz. O camisa 2, entretanto, só esteve em campo com a mesma dupla de zaga (Manoel e Felipe Melo) duas vezes, contra Bahia e Vasco, pelo Campeonato Brasileiro.

Fluminense espera que Thiago Silva substitua funções de Nino

Thiago Silva é a grande esperança do Fluminense para solucionar alguns de seus problemas defensivos. Mas mais do que isso, o Tricolor espera que o camisa 3 possa substituir as funções que eram desempenhadas pelo capitão Nino em 2023.

Na teoria, o encaixe é bom. O “Monstro” tem várias características técnicas similares ao antigo titular, embora seja consideravelmente mais baixo. Questionado sobre sua adaptação ao sistema de jogo de Fernando Diniz, Thiago se sente pronto para cair como uma luva no time.

— Em relação ao meu estilo de jogo eu acredito que eu sou um jogador muito técnico, e o que ele mais pede é para sair jogando. Na minha concepção é o que eu mais sei fazer. Eu me sinto bem jogando dessa maneira. Não é tão agradável para o torcedor, que passa aqueles momentos ali de calafrio, por de repente passar a bola na frente do gol, mas se for bem treinado com certeza a gente vai fazer a coisa certa — afirmou.

Como está o Fluminense em 2024

Próximos jogos do Fluminense

Veja os próximos confrontos do Fluminense na continuação da temporada:

  • Fluminense x Atlético-GO — Campeonato Brasileiro — sábado, 15 de junho — 21h (de Brasília);
  • Cruzeiro x Fluminense — Campeonato Brasileiro — quarta, 19 de junho — 21h30 (de Brasília).
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo