Libertadores

Fluminense joga mal, mas vence o Cerro Porteño e se classifica na Libertadores

Marcelo e Ganso fazem gols que aliviam Tricolor, invicto na Libertadores, mas ainda sem jogar bem em 2024

A atuação mais uma vez não foi boa, mas nesta quinta-feira (16), foi suficiente. Pressionado pelo mau desempenho, o Fluminense voltou a jogar mal, mas venceu o Cerro Porteño por 2 a 1, no Maracanã, e garantiu classificação antecipada para o mata-mata da Libertadores, além do primeiro lugar do Grupo A. Marcelo e Ganso fizeram os gols que aliviaram a semana tensa do Tricolor.

Agora com 11 pontos e ainda invicto na competição, o Flu não pode mais ser alcançado por ninguém no grupo A e espera seu adversário nas oitavas de final da Libertadores.

Fluminense começa bem e abre placar em golaço de Marcelo

Os primeiros minutos de jogo pareciam ensaiar uma boa atuação do Fluminense. O Cerro Porteño cedia espaços, e com a bola, o Tricolor criou muitas chances logo nos primeiros 10 minutos. Duas com Arias, desta vez pela direita, onde o seu rendimento é melhor.

O grito de gol quase saiu da garganta aos quatro, em voleio de Cano, e foi em vão no minuto seguinte, quando o argentino balançou as redes em impedimento. Mas valeu pelo ensaio. Aos 14, Marcelo recebeu cruzamento de Antônio Carlos, cortou o marcador e soltou uma bomba de direita, no ângulo de Jean. Um golaço para explodir o Maracanã.

Mas tudo apenas parecia bem. Porque o Fluminense de 2024 não se mostra afeito a manter vantagens no placar.

Cerro Porteño empata em bobeira de Alexsander

A partida estava pronta para um bom desempenho do Tricolor. Mas sem bola, o time era o mesmo que sofreu gol em 17 dos 26 jogos em 2024. Uma bagunça.

Com poucos jogadores de defesa, o Fluminense ensaiou um bom ataque mas errou um passe na intermediária ofensiva. O Cerro Porteño ligou um contra-ataque rápido nas costas de Marcelo, que se posicionava por dentro. Alexsander correu para a cobertura e disputou com Piris da Motta duas vezes, mas perdeu em ambas. Primeiro, pareceu falta clara. No replay, ficou claro que a disputa até teve contato, mas não faltoso.

Eram jogados 18 minutos quando o ex-jogador do Flamengo cruzou rasteiro e Viera chegou antes do lento Antônio Carlos. Guga até tentou cobrir, mas era tarde demais. Os paraguaios empatavam em mais um erro claro da defesa tricolor.

VAR salva Fluminense de virada do Cerro Porteño

O que já era ruim ficou ainda pior. Desconcentrado após reclamar muito da arbitragem no lance do gol do Cerro, o Fluminense se perdeu no jogo. Foram três contra-ataques seguidos dos paraguaios que não encaixaram, e nada dava certo no setor ofensivo tricolor. Até que, aos 29, os visitantes balançaram as redes.

Viera puxou contra-ataque e abriu na direita para Domínguez, que devolveu para o autor do gol em cruzamento. Ele escorou para dentro e Churín cabeceou sem chances para Fábio. O VAR, entretanto, entrou em ação e anulou o gol, já que o ex-atacante o Grêmio estava impedido. Decisão que salvou o Flu do pior. Mas a atuação seguia ruim.

Fluminense volta nervoso para o segundo tempo

É nítida a falta de confiança do Fluminense com o mau momento. A volta para o segundo tempo mostrou um time nervoso, errando coisas simples, decisões e passes em todo o campo.

Arias era a síntese da atuação tricolor. O colombiano tentava de tudo, carimbava todas, ia para dentro, buscava linha de fundo… mas não acertava nada. O time não conseguia jogar. E Fernando Diniz demorava muito a mexer. Na verdade, só o fez aos 34, com Renato Augusto, John Kennedy e Felipe Andrade nas vagas de Ganso, Cano e Guga, exaustos.

Ganso faz de cabeça e classifica Fluminense na Libertadores

Quando o jogo já era de nervos e não mais apenas de futebol, o Fluminense recebeu uma boa notícia. O Cerro Porteño errou na saída pela esquerda e Arias roubou a bola. O colombiano passou rápido para Ganso, que foi derrubado na entrada da área por Baez. Já pendurado, o defensor recebeu o segundo amarelo e foi expulso.

Com um a mais, Fernando Diniz chamou John Kennedy, mas decidiu esperar. No lance seguinte, aos 27, Guga colocou na cabeça de Ganso, e o camisa 10 cabeceou com perfeição para voltar à frente do marcador. A atuação não era boa, o jogo ficou difícil e o time não funcionava no ataque. Mas a parte técnica, mais uma vez, salvava o Fluminense na Libertadores.

Mesmo com um a mais, o Tricolor ainda conseguiu sofrer em casa contra um fraco Cerro Porteño. Mas a defesa conseguiu segurar a vantagem no placar e o Flu se garantiu na próxima fase da Libertadores.

Como está o Fluminense em 2024

Próximos jogos do Fluminense

Veja os próximos confrontos do Fluminense na continuação da temporada:

  • Fluminense x Cerro Porteño — Libertadores — quinta-feira, 16 de maio — 19h (horário de Brasília);
  • Fluminense x Sampaio Corrêa — Copa do Brasil — quarta-feira, 22 de maio — 20h (horário de Brasília).
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo