Copa do Brasil

Fluminense joga para o gasto e vence o Sampaio Corrêa na Copa do Brasil

Com time misto, Fluminense vence o Sampaio Corrêa por 2 a 0 na terceira fase da Copa do Brasil

Mesmo com um time misto, o Fluminense fez sua parte contra o Sampaio Corrêa, em Cariacica, no Espírito Santo, e venceu por 2 a 0 o jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil. Os gols de Lima e Arias deram uma justa vitória ao time de Fernando Diniz, que jogou melhor e ainda deu nova chance aos recém reintegrados Alexsander e Kauã Elias.

O resultado alivia um pouco o ambiente do Tricolor, que passou por uma semana de lesões, polêmicas de indisciplina e desempenho abaixo do esperado em campo. Após perder por 3 a 0 para o Corinthians no Campeonato Brasileiro, o Flu reencontrou o caminho das vitórias na Copa do Brasil, competição em que busca o bicampeonato.

— A gente fez por onde, ano passado jogamos com intensidade, voluma e dedicação total, mesmo quando as coisas não deram certo. Isso nos deu as conquistas importantes que alegraram o torcedor. A expectativa aumenta e a cobrança também. As equipes que enfrentamos jogam mais fortes e concentradas em ganhar do Fluminense. Temos que continuar trabalhando, o que mais queremos é dar alegria ao torcedor, jogar melhor do que ano passado, porque 2023 já ficou na história e vamos em busca de mais coisas em 2024 — afirmou Fábio, na saída de campo.

Fluminense começa bem, e primeiro tempo é ataque contra defesa

Longe de viver boa fase, o Fluminense entrou em campo com um time misto. A opção de Fernando Diniz por poupar os titulares mais experientes, entretanto, não significou uma atuação ruim. Muito pelo contrário, ainda que o Sampaio Corrêa não fosse um adversário à altura.

Com Marquinhos como um ala pela direita e Renato Augusto buscando espaços entrelinhas, ora como falso 9, ora como um meia, o Flu tinha bastante movimentação. A ideia do treinador, que tinha apenas o recém reintegrado Kauã Elias como opção de centroavante, foi compensar a falta de uma referência de área com mais jogadores no ataque.

Assim, Terans aparecia por dentro como um atacante, Arias e Douglas Costa se associavam pelo meio e abriam o corredor para Marquinhos e Diogo Barbosa. Se não fez um ótimo primeiro tempo, o Fluminense não sofreu na defesa e esteve organizado na marcação e bem na recuperação de bolas. Também por isso, construiu vantagem no placar.

Fluminense tenta chutes de fora da área, e Lima abre o placar

Uma das principais reclamações do torcedor é que o time de Fernando Diniz agride pouco. E é bem verdade. Mas contra um Sampaio Corrêa postado com uma linha de cinco na defesa e os 11 jogadores atrás da linha da bola, o Tricolor arriscou bastante de fora da área.

A primeira tentativa veio com Douglas Costa, aos 28, que soltou um foguete de canhota e obrigou o veteraníssimo Felipe a fazer grande defesa. Era um ensaio. Quatro minutos depois, Lima recebeu na esquerda, preparou e chutou rasteiro, a bola desviou na zaga do Sampaio Corrêa e morreu nas redes. O placar, enfim, dava justiça à superioridade tricolor.

Fluminense volta lento, e jogo fica morno no segundo tempo

Após abrir vantagem na primeira etapa, o Fluminense voltou sonolento para o segundo tempo. E não é como se o time de Fernando Diniz quisesse dosar o ritmo e controlar o jogo. Era mesmo o costumeiro desinteresse que faz a equipe ser irregular em 2024.

O Tricolor se prevalecia de vantagem mínima no placar e um adversário fraco. O Sampaio Corrêa chegou a adiantar suas linhas no início da segunda etapa, mas a pressão na saída de bola do Flu não durou 10 minutos. Mesmo superior tecnicamente, o Fluminense não aproveitava para matar o confronto já no primeiro jogo.

Diniz dá nova chance a Alexsander e Kauã Elias no Fluminense

A partida era tão morna que a notícia mais importante da segunda etapa foi uma parada para substituição. Fernando Diniz chamou o auxiliar Eduardo Barros na área técnica, e o assistente Wagner Bertelli correu para chamar Alexsander e Kauã Elias. Era uma nova chance para os afastados por indisciplina.

E a dupla fez bom jogo. Com qualidade, o camisa 5 fez o meio-campo acelerar o jogo. Após sua entrada, o time passou a criar mais chances. Terans quase aproveitou duas, mas parou em Felipe. Kauã Elias também teve duas, mas o goleiro do Sampaio Corrêa pegou uma e, na outra, faltou ser menos fominha.

Arias aumenta de pênalti e fecha a vitória do Fluminense

A superioridade técnica que já era grande aumentou quando Alexsander e Kauã Elias entraram com qualidade no Fluminense e o Sampaio Corrêa, cansado, não conseguia parar o adversário. A única boa chance dos maranhenses veio com Cebolinha, aos 46, em chute de fora da área que assustou Fábio. Muito pouco para segurar o Flu, mesmo em sua má fase.

Antes disso, o Tricolor já aumentara o placar. Ocupando mais o ataque, o Fluminense rondava a área do Sampaio Corrêa e Terans quase fez o dele em jogada pela esquerda, aos 35. Na cobrança de escanteio, Arias aproveitou escorada de Kauã Elias e chutou por cima. O VAR chamou o árbitro Felipe Fernandes de Lima, que na cabine, viu o toque de Fábio Aguiar. O próprio colombiano foi para a cobrança e deslocou Felipe para fechar o placar.

O que foi bom no Fluminense contra o Sampaio Corrêa

  • Felipe Andrade: Parece que a torcida tinha razão e Fernando Diniz insistiu em opções piores. Embora o adversário não fosse dos melhores, Felipe Andrade fez partida segura pelo alto e boa na saída de bola. Veloz, mudou o ritmo da defesa tricolor. Merece mais chances.
  • Lima: Não só pelo gol, mas pela qualidade técnica, Lima fez mais uma boa partida, e ao contrário de Felipe Andrade, deu razão à Diniz em relação às críticas da torcida. Bem sem bola e melhor ainda com ela, o camisa 45 mostrou mais uma vez porque é o 12º jogador do Fluminense.
  • Marquinhos: Mesmo improvisado na lateral-direita, o atacante mais uma vez foi a principal válvula de escape do Fluminense. O camisa 77 dificilmente perderá sua vaga de titular mesmo quando Keno voltar, já que cumpre importante papel tático e vai bem com a bola, participando mais do jogo que seus concorrentes de posição.

Próximos jogos do Fluminense: datas, horários e onde assistir

Veja os próximos confrontos do Fluminense na continuação da temporada:

  • Fluminense x Atlético-MG — Campeonato Brasileiro — sábado, 4 de maio — 16h (horário de Brasília);
  • Colo-Colo x Fluminense — Libertadores — quinta-feira, 9 de maio — 21h (horário de Brasília);
  • São Paulo x Fluminense — Campeonato Brasileiro — segunda-feira, 13 de maio — 19h (horário de Brasília);
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo