Brasil

Thiago Silva, enfim, volta ao Fluminense, e bem diferente da primeira vez

Zagueiro passou despercebido em chegada ao Tricolor em 2006, mas será recebido com festa no aeroporto e recorde no Maracanã após 18 anos

A sexta-feira (7) marca o retorno do zagueiro Thiago Silva ao Rio de Janeiro, onde jogará mais uma vez pelo Fluminense. O ídolo, enfim, volta ao clube, e seu retorno é bem diferente da primeira experiência.

A Trivela relembra como foi a chegada do jogador ao Fluminense, em 2006, bem diferente do que o jogador de 38 anos encontrará 18 anos depois.

— Não tem sido fácil pensar nisso. Sou muito ansioso, estou tentando me manter tranquilo. Sonhei muito com esse momento assim como toda a torcida do Fluminense — afirmou Thiago Silva à TNT Sports.

A vida de Thiago Silva antes do Fluminense

É importante lembrar que Thiago Silva jogou pelo Fluminense nas divisões de base, desde o então futebol de salão, hoje futsal, até Xerém. Aos 18 anos, em 2003, trocou o Tricolor pelo RS Futebol Clube, que pertencia ao ex-jogador Paulo César Carpegiani e hoje se chama Pedrabranca.

O destaque no Juventude, no ano seguinte, o levou ao Porto. Por lá, não conseguiu se adaptar e jogou apenas pelo time B dos Dragões. O frio da cidade portuguesa lhe causou problemas respiratórios, que também o atrapalhariam no Dínamo de Moscou, para onde foi emprestado.

Na Rússia, onde o clima era ainda mais frio, seus problemas de saúde se agravaram. Thiago teve tuberculose, passou meses internado e pouco jogou. Com a ajuda de Ivo Wortmann, seu ex-técnico, e do empresário Jorge Mendes, conseguiu deixar Moscou rumo a Lisboa, onde um tratamento salvou sua vida. Já no fim de 2005, ele poderia voltar a jogar futebol, e o fez no Fluminense, em 2006, que contratara Wortmann para ser o técnico naquele ano.

— Sinceramente não sei de onde tirou forças para suportar aquela situação. Para passar pelo que passou, tem de ser forte. Em 100 pessoas, 60 no lugar dele desistiriam. Poucos têm noção do que sofreu — contou Wortmann ao jornal português Record, em 2018.

A chegada de Thiago Silva ao Fluminense em 2006

Thiago Silva ainda precisaria superar mais alguns obstáculos para entrar em campo de novo. Após vencer a tuberculose, o jogador, então com 21 anos, chegou quase desapercebido às Laranjeiras. Era uma nota de rodapé em meio à crise que o Fluminense vivia.

Chegada de Thiago Silva ao Fluminense, em 2006, não foi nem manchete - Foto: Reprodução/Acervo O Globo
Chegada de Thiago Silva ao Fluminense, em 2006, não foi nem manchete – Foto: Reprodução/Acervo O Globo

Além de readquirir a forma física, ele precisou superar os titulares do Fluminense. A grande contratação para o setor naquele período era outro Thiago, campeão da Tríplice Coroa com o Cruzeiro em 2003. Em entrevista exclusiva à Trivela, o companheiro brinca que fez o Monstro mudar de nome.

— Lembro muito da chegada dele. Jogamos juntos todos os jogos praticamente. Como eu já estava, ele colocou o Silva no nome. Foi por causa de mim (risos) — declarou Thiago Gosling.

Para piorar, após 12 jogos, Ivo Wortmann foi demitido. O responsável por dar uma chance ao zagueiro foi Paulo Campos, que também falou com a Trivela.

— É um orgulho muito grande. Assim que vi os primeiros treinos, dava para perceber um potencial enorme e muita personalidade, mesmo sendo um menino. Não é para me valorizar, mas sempre tive bons olhar para o potencial dos jovens. E no Thiago Silva isso sobrava. Assim que entrou no time, nunca mais saiu, mesmo com as mudanças de treinador — relembra Paulo Campos.

Thiago Silva estreou com vitória tímida e virou ídolo rápido

A primeira oportunidade de Thiago Silva foi em jogo contra o América, pela Taça Rio de 2006. Campeão em 2005, o Fluminense estreara com duas goleadas na Taça Guanabara, mas acabaria fora das semifinais. Para chegar ao bicampeonato, precisava vencer o returno, o que não aconteceria.

Em meio a uma crise que culminou com dois técnicos demitidos em apenas três meses, o Flu enfrentaria o Sangue, que teve naquele ano seu último time competitivo no Campeonato Carioca, mas o Tricolor saiu com a vitória por 2 a 0. Para aquele jogo, Paulo Campos mexeu na zaga e escalou dois jovens: Anderson e Thiago Silva.

— Coloquei ele para jogar e vi que tinha perdido tempo. Mostrou, além de personalidade, muita categoria e inteligência. Me impressionou. Vencemos o América, que tinha um bom time, com o Jorginho. Dali, o Thiago Silva se tornou titular e deu os primeiros passos no Fluminense para depois alcançar a carreira linda que tem. Para mim é uma alegria muito grande. Gostaria de estar no Rio de Janeiro para recepcioná-lo — afirmou o técnico, que estava no Egito e negocia sua volta à Arábia Saudita.

Como Thiago Silva foi de ‘desconhecido’ a ídolo do Fluminense

O ano de 2006 não foi nada bom para o Fluminense. Mesmo assim, Thiago Silva já ouvia a torcida o chamar de “melhor zagueiro do Brasil” nas arquibancadas.

Não satisfeitos em demitir Ivo Wortmann e Paulo Campos em apenas 11 jogos, o clube ainda assim repetiria o erro no segundo semestre. Após ficar de fora das finais do Estadual e cair na semifinal da Copa do Brasil para o rival Vasco, o Flu ainda teve mais quatro técnicos até o fim da temporada.

Na briga contra o rebaixamento, o Fluminense ficou 10 jogos sem vencer, mas bateu o Santa Cruz, no Arruda, na penúltima rodada, e acabou salvo. Thiago Silva foi um dos raros destaques da temporada e foi comprado ao fim do vínculo que era de empréstimo.

— Era um grande time que não deveria ter passado por isso. São coisas do futebol. Pelo menos foi o início da grande história do Thiago Silva com o Fluminense — lembra Thiago Gosling.

Em 2007, Thiago Silva colocou de vez seu nome na galeria de ídolos com o título da Copa do Brasil, conquistado 17 anos atrás, em 6 de junho. Eternizado, ele quase faturou a Libertadores de 2008, mas terá tempo de escrever mais páginas de sua linda história no clube em sua segunda passagem. Até aqui, foram 146 jogos e 14 gols.

— Quem sabe não seja nesse ano? Nas oitavas, eles já nos colocaram. Agora é chegar e ajudar o time da melhor maneira possível e agregar para que a gente possa ter sucesso. Já estou pensando nas oitavas-de-final, lá na frente. Só o amor, carinho e respeito pelo Fluminense me fazem ficar tão longe da família e recusar propostas para voltar para casa — disse Thiago Silva, em entrevista à TNT Sports.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Thiago Silva (@thiagosilva)

Thiago Silva chega de madrugada e é recebido pela torcida

Por conta de um imprevisto em sua saída de Londres, Thiago Silva chegou ao Rio de Janeiro às 05h30 (horário de Brasília) desta sexta-feira (7). Nem mesmo o horário impediu que a torcida do Fluminense desse mais uma demonstração de carinho para Thiago Silva. O zagueiro levou cerca de 500 torcedores ao Aeroporto do Galeão.

Na chegada, o ídolo agradeceu à torcida e se declarou ao Fluminense.

— Fico feliz com a recepção. O carinho da minha parte é igual, se não for maior. Jogar no clube do coração não tem preço — disse Thiago Silva.

O jogador ficou cerca de 30 minutos distribuindo autógrafos e tirando fotos com torcedores, que cantavam músicas em sua homenagem e faziam a festa com bandeiras, instrumentos e sinalizadores. A esposa Isabelle e os filhos Iago e Isago se juntaram à torcida nos cânticos.

— Tinha me programado para chegar às 10h, para ter mais tempo de as pessoas chegarem, 5h30 não foi por escolha minha, foi o que deu para fazer. Quem tirou um pouco de tempo para vir aqui, estar comigo, é muito importante. Deu para sentir (emoção), mas hoje à noite vai ser maior — afirmou.

Thiago Silva baterá recorde em volta ao Fluminense

O Fluminense já vendeu cerca de 55 mil ingressos para a apresentação de Thiago Silva. A festa, no Maracanã, terá show do grupo de pagode Sorriso Maroto nesta sexta-feira (7). Além disso, o clube vive a expectativa de quebra de recorde para receber um jogador no futebol brasileiro.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Fluminense F.C. (@fluminensefc)

A marca pertence ao São Paulo, que reuniu 45 mil pessoas para o retorno de Luís Fabiano ao clube, em 2011. Esse é o número que os torcedores do Flu precisam superar para quebrar o recorde. A festa para receber um dos maiores zagueiros da história do futebol e ídolo do Fluminense será nos moldes da apresentação de Marcelo, em 2023, que levou 31 mil tricolores ao Maracanã. Campeão de tudo na Europa, Thiago Silva, agora, quer ganhar ainda mais no seu clube do coração.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo