Brasil

O sonho de Thiago Silva foi realizado, e, agora, falta o da torcida do Fluminense

Ídolo tem retorno triunfal ao clube do coração, quebra recorde e vive dia de ilusão com festa jamais vista no Maracanã, mas ainda quer retribuir

Entre o céu de estrelas e as luzes especiais no gramado do Maracanã havia um ídolo. Quando o grupo de pagode Sorriso Maroto entoou o sucesso “Volta pra casa”, estava dada a senha para que Thiago Silva, enfim, fosse jogador do Fluminense novamente.

Como nos versos da canção, a torcida cantou “quanto tempo te esperei” para o zagueiro de 38 anos, que respondeu com um “te amo mais do que pensei”.

— Nem nos meus melhores sonhos eu imaginaria um momento desses — se derreteu Thiago Silva em suas primeiras palavras na volta ao Fluminense.

Volta ao Fluminense demorou mais do que os tricolores desejavam, mas foi do jeito que Thiago Silva sonhou - Foto: LUCAS MERÇON /FLUMINENSE FC
Volta ao Fluminense demorou mais do que os tricolores desejavam, mas foi do jeito que Thiago Silva sonhou – Foto: LUCAS MERÇON /FLUMINENSE FC

Escolhido a dedo por Thiago Silva para a festa, o Sorriso Maroto tem outras letras para exemplificar o que aconteceu na noite de sexta-feira (7). Os versos do refrão do sucesso “Me Espera” pareciam ter sido escritos para aquele momento. A torcida superou os erros e mostrou amar até os defeitos do ídolo, que demorou mais do que queriam os tricolores para voltar para casa.

Volta ao clube do coração é como Thiago Silva queria

Não só o evento foi desenhado para realizar o sonho de Thiago Silva, como teve as digitais do jogador. Da chegada que precisou ser modificada ao Rio de Janeiro, no Aeroporto do Galeão, até a festa que quebrou recordes no Maracanã, o zagueiro realizou tudo o que desejava.

A Trivela apurou que, enquanto recebia a camisa do Fluminense das mãos do massagista Jerônimo, Thiago, emocionado, afirmou que “não estava acreditando” no que via. Os mais de 55 mil tricolores presentes ao estádio comemoravam mais do que um reforço, mas a volta de um ídolo que cumpria sua promessa. Tudo do jeito que Thiago Silva queria.

— Não é uma situação fácil. Acho que isso mostra o meu amor, o meu carinho pelo Fluminense. Eu acho que só o amor pode fazer a gente tomar decisões assim tão difíceis, né? — resumiu o ídolo em sua coletiva. Para jogar no Fluminense, o jogador deixará a mulher, Belle, e os filhos, Isago e Iago, em Londres.

Thiago Silva e família no momento em que sonharam nos últimos anos: a volta ao Fluminense - Foto: LUCAS MERÇON /FLUMINENSE FC
Thiago Silva e família no momento em que sonharam nos últimos anos: a volta ao Fluminense – Foto: LUCAS MERÇON /FLUMINENSE FC

‘Não vim para passear’: Thiago Silva agora quer realizar torcida do Fluminense

Torcedor do Fluminense, Thiago Silva quer realizar seus irmãos de arquibancada. A volta ao clube do coração, garante, não é para um ponto final na carreira. As reticências deixadas em 2008 darão lugar a novas páginas na história de amor entre o zagueiro e os tricolores.

— Eu não vim passear. Se fosse passear, eu iria para qualquer outro lugar, menos para cá — disse.

Thiago Silva admite que a Libertadores, que escapou de suas mãos em 2008, é seu maior sonho.

— Pode ter certeza que esse é o meu desejo, meu sonho, sonho da minha família. Eu não vim para brincadeira, não vim apenas passear. Se fosse passear, eu encerraria minha carreira, viveria na Europa, onde minha família está. Eu aproveitaria muito mais. Aqui meu comprometimento que eu sempre tive na carreira vou continuar tendo. E ainda mais. Porque sei o quanto o Thiago fez com que as pessoas criassem essa expectativa. E quem me conhece sabe o quanto eu vou procurar trabalhar para corresponder dentro de campo — afirmou.

O Fluminense deu fim a sua obsessão em 2023, e agora, quer o bicampeonato da competição em 2024, assim como o zagueiro. Um novo título seria a realização do sonho de todos, e a retribuição que Thiago gostaria de dar ao clube, não só pelo amor à camisa, mas por tudo o que a instituição fez por sua vida e carreira.

— Sei que não vai ser fácil, mas eu acredito em tudo que Deus preparou para mim. De ter iniciado aqui após a tuberculose, foi o clube que me abriu as portas. Eu acho que nada mais justo do que voltar para onde tudo começou. Não apenas para encerrar a carreira, mas para brigar por títulos, porque eu acho que a gente tem condição. Porque, se vocês olharem a minha carreira, eu ganhei muito. E quero continuar ganhando porque eu sei o quanto esse clube e o quanto esses jogadores são ambiciosos para continuar ganhando títulos — declarou.

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo