Brasileirão Série A

Quem será o campeão do Brasileirão 2024? Quem cai para a Série B? A Trivela opina

Equipe da Trivela votou nas principais perguntas do Brasileirão. Concorda? Discorda? Deixe suas opiniões nos comentários

A Série A do Campeonato Brasileiro começa neste sábado (13), com quatro duelos no dia de abertura. Pensando nisso, a Trivela reuniu a equipe para palpitar e opinar sobre várias das principais perguntas. Concorda? Discorda? Deixe suas avaliações nos comentários.

Quem será o campeão?

Para o título, a maioria da redação da Trivela vê que o Flamengo, sob o comando de Tite, será o grande campeão, com apenas cinco dos 19 participantes colocando campeões diferentes — quatro votando no Palmeiras e um no Atlético-MG.

Confira algumas opiniões da equipe:

— Tite é especialista em pontos corridos e, nesta reta inicial de temporada, ficou claro que vai ser difícil tirar pontos do Mengão. Ou seja, é favorito em um campeonato no qual todo jogo vale muito — Leonardo Sacco.

— O Flamengo já mostrou que está entrando nos trilhos com Tite, e todos conhecemos a habilidade do treinador com pontos corridos. Em um campeonato de fôlego, que exigirá elenco e preparação, é o time que mais mostra que pode evoluir — isso se conseguir superar a janela de desfalques do meio do ano — Denise Bonfim.

— Agora treinado por Gabriel Milito, o elenco do Galo é forte e neste começo de trabalho do argentino tem demonstrado muita consistência, seja jogando dentro ou fora de casa. Isso é fundamental na luta pela taça em um campeonato tão disputado como o Brasileirão — Lucas de Souza.

Quem vai para a Libertadores?

Pouco segredo aqui. Os três times votados como possíveis campeões — Atlético-MG, Flamengo e Palmeiras — foram citados no G6 de todos os participantes da enquete. Outros três times conseguiram votos em dígitos duplos — Internacional (14), Fluminense (12) e Grêmio (10). Athletico-PR, Botafogo, Corinthians, São Paulo e Red Bull Bragantino também receberam votos.

Quem será rebaixado?

Curiosamente, nenhum time foi unanimidade para a redação da Trivela. Três dos quatro times que subiram são os favoritos: Atlético-GO (18), Criciúma (17) e Juventude (15). O quarto time que retornou, o Vitória, foi citado apenas oito vezes em 19 votos possíveis. Quem ficou com a quarta vaga foi o Cuiabá, que perdeu António Oliveira para o Corinthians e ainda busca se encontrar na temporada.

Confira algumas opiniões da equipe:

— Desde que António Oliveira foi para o Corinthians, o Cuiabá não definiu quem será seu técnico e, há 65 dias (contando da saída até a estreia no Brasileirão), é comandando pelo interino Luiz Fernando Iubel. Definitivamente, será algo que pesará neste Campeonato Brasileiro para o Dourado, que ainda terá que conviver com calendário pesado por estar também na final da Copa Verde, na fase de grupos da Sul-Americana e na 3ª fase da Copa do Brasil. Um exemplo de clube com elenco não tão qualificado lidando com muitos jogos em sequência foi o América-MG no ano passado, quando foi o lanterna quase que do início ao fim do Brasileirão” — Carlos Vinícius Amorim.

— Os times que sobem da Série B com elencos mais modestos muitas vezes não conseguem suportar o Brasileirão e por isso acho que pelo menos três deles voltarão para a segunda divisão. Por outro lado, o Vasco chega para o campeonato com poucos reforços de impacto e muita desorganização, o que deve ser suficiente para mais um ano na luta contra a degola — Maic Costa.

Quem será o lanterna?

Sem surpresa na votação para o posto de lanterna do Brasileirão. Todos os quatro clubes que subiram receberam votos para ocupar a última posição do campeonato, com destaque para o Criciúma, que recebeu oito indicações, contra cinco para Atlético-GO e Juventude cada, com o Vitória fechando a lista com um.

O clube surpresa

Retornando ao Brasileirão, o Vitória foi apontado por sete dos 19 votantes como a grande surpresa do campeonato. O clube vem no embalo do título estadual em cima do grande rival Bahia, que recebeu dois votos. Red Bull Bragantino (4), Juventude (3), Athletico-PR (2) e Cruzeiro também receberam votos.

Confira algumas opiniões da equipe:

— Por mais que todo mundo pense que é um candidato ao rebaixamento, o Vitória não só vai se garantir na Série A, como também não duvidaria que vai brigar por vaga na Copa Sul-Americana” — Matheus Cristianini.

— Ainda que tenha apresentado alguma irregularidade, o Juventude fez um bom Campeonato Gaúcho, eliminando o Inter e fazendo uma final dura com o Grêmio. O técnico Roger Machado tem mostrado alguns sinais de evolução e, pelas expectativas normalmente criadas para clubes que chegam da Série B, acredito que o Juventude pode ir um pouco além disso” — Gabriel Rodrigues.

A decepção do campeonato

A votação de decepção do Brasileirão foi bem diversa, com dez clubes diferentes sendo citados. Dois campeões da última temporada — o Fluminense, da Libertadores, e o São Paulo, da Copa do Brasil — foram as equipes com mais votos, com quatro cada. Os dois foram seguidos de perto por quem já decepcionou em 2023, o Botafogo, com um voto a menos.

Confira algumas opiniões da equipe:

— O Grêmio é sempre muito bem visto nas previsões, inclusive quando não está tão bem, como acontece em 2024. Vejo o time com um elenco não tão forte, que pode ficar longe de repetir a excelente campanha de 2023 — Maic Costa.

— Após anos na Série A, me parece, pelo começo de temporada, que chegou a hora do Cuiabá dar adeus à elite. Decepção porque foi um time que, nos anos anteriores, foi muito bem administrado, o que parece não estar acontecendo em 2024 — Leonardo Sacco.

— Abel sempre ‘dá um jeito’ Mesmo perdendo peças, o treinador consegue extrair o máximo dos seus jogadores e continuar acumulando resultados positivos. Em alguns jogos, no entanto, a sensação é de que o elenco do Palmeiras já está no limite. Acredito que desta vez o título não ficará nas mãos do português — Denise Bonfim.

— A escolha pelo Fluminense é simples: vejo o elenco nas mãos de Diniz pouco balanceado, especialmente na defesa. As lesões também são comuns em calendário enxuto, e, sem peças de reposição à altura, tudo fica mais difícil — Guilherme Xavier.

— Acredito que fica fora da Libertadores, o que seria uma decepção para o atual campeão da Copa do Brasil — Lucas Tomazelli.

Quem será o artilheiro do Brasileirão?

Se o Flamengo é o favorito a ser campeão, vale a lógica de que seu principal atacante deve ser o artilheiro. Pedro foi quem mais angariou votos como o grande goleador do Brasileirão, com 13 dos 19 votos. Os seis restantes foram divididos entre a dupla que fez bastante sucesso no Brasil em 2023, Hulk e Pedrinho, com três cada.

Confira algumas opiniões da equipe:

— Pedro é o tipo de atacante que pode não estar bem em um jogo, mas define o resultado de uma partida com apenas um toque na bola. Na eficiente equipe de Tite, o jogador tem tudo para levar o Flamengo longe no Brasileirão e brigar pelo título — Lucas de Souza.

— Hulk tem uma regularidade fora do normal e é o dono do Atlético-MG. Num esquema mais ofensivo, como promete Gabriel Milito, deve fazer muitos gols. Além disso, sua qualidade nas bolas paradas pode render frutos — Maic Costa.

— Paulinho fede a gol. Atacante regular e jovem, sofre poucas lesões e aflora em campeonato de pontos corridos. Além disso, ele demonstrou uma evolução meteórica na última temporada e deve pintar novamente na Seleção — Livia Camillo.

Quem será o craque do Brasileirão?

Assim como na votação para artilheiro, o Flamengo também teve vários votos para ter o craque do torneio, com 12 de 19. Giorgian de Arrascaeta puxou a votação, com 7, seguido pelo seu compatriota, Nico De La Cruz, com 3. Indicado como o favorito a ser o maior goleados do torneio, Pedro levou dois votos.

Raphael Veiga e Hulk também tiveram dois votos cada, enquanto Alan Patrick, Dudu e Paulinho foram nomeados uma vez cada.

— O Flamengo de Tite se define pela palavra que sempre acompanha o treinador: eficiência. Pode não dar show, mas será eficiente. E se tem alguém que se encaixa nesse esquema é Pedro, que se não for para a Copa América, tem tudo para ser artilheiro tranquilo do Brasileirão — Leonardo Sacco.

— De La Cruz tudo para brilhar no esquema de Tite e ser peça chave num Flamengo que vem para ser campeão — Maic Costa.

— Creio que Arrascaeta vai crescer de rendimento na medida em que o trabalho do Tite fique mais consolidado no Flamengo — Lucas Tomazelli.

Quais times manterão o técnico até o fim do campeonato?

A última pergunta foi bastante controversa. Todos puderam listar os times que terminarão o campeonato com o mesmo técnico que começou o torneio. Apenas dois times — Flamengo e Palmeiras — foram listados por todos os participantes. Não é surpresa que quatro dos técnicos que parecem ter seus cargos mais assegurados — Fernando Diniz no Fluminense, Juan Pablo Vojvoda no Fortaleza, Pedro Caixinha no Red Bull Bragantino e Renato Portaluppi no Grêmio — vieram logo depois. O único que angariou votos em dígitos duplos foi António Oliveira, que assumiu o Corinthians durante o Paulistão.

Foi bastante interessante ver a diferença na redação quando o assunto é a confiança em técnicos e diretorias do Brasileirão. Um dos participantes listou 11 times diferentes (sim, mais de metade do campeonato), enquanto outro colocou apenas quatro times.

Quem votou?

  • Alecsander Heinrick, setorista do Atlético-MG
  • Caio Blois, setorista do Fluminense
  • Carlos Vinicius Amorim, redator
  • Denise Bonfim, sub-coordenadora de conteúdo
  • Diego Iwata Lima, setorista do Palmeiras
  • Eduardo Deconto, setorista do São Paulo
  • Gabriel Rodrigues, setorista de Botafogo e Vasco
  • Gabriella Telles, redatora
  • Guilherme Calvano, redator
  • Guilherme Xavier, setorista do Flamengo
  • Leonardo Sacco, coordenador de conteúdo
  • Lívia Camillo, setorista do Corinthians
  • Lucas de Souza, redator
  • Lucas Tomazelli, sub-coordenador de conteúdo
  • Maic Costa, setorista do Cruzeiro
  • Matheus Cristianini, redator
  • Matheus Rocha, sub-coordenador de conteúdo
  • Nicolas Wagner, setorista de Grêmio e Internacional
  • Vanderson Pimentel, redator
Foto de Matheus Rocha

Matheus Rocha

Matheus Rocha é natural de Uberlândia (MG), onde se formou em Jornalismo no Centro Universitário do Triângulo (Unitri) em 2014. Começou a carreira no jornalismo escrevendo colunas na Trivela antes de passar por ExtraTime e Yahoo, participando da cobertura de três Copas do Mundo e cinco Olimpíadas.
Botão Voltar ao topo