Brasil

Como esfriar o caldeirão que é o Corinthians 2024? Reforços e cautela de Mano Menezes podem ser o caminho

Postura prudente de Mano Menezes é valida e evita novas trapalhadas da gestão Augusto Melo, que recém assumiu o Corinthians

Três jogos: duas derrotas e uma vitória. Esse é o saldo do Corinthians no ano de 2024. Não era para ser o “fim do mundo”, porém uma lista de fatores tem colaborado para que o clube caminhe rumo a uma crise completamente desnecessária e precoce. A soma de declarações infelizes — seja da diretoria ou de Mano Menezes – com a pressão de uma torcida que sofreu muito em 2023 pode ser explosiva.

Por incrível que pareça, os reforços, que a princípio agradaram a Fiel torcida, viraram também motivo de angústia no Corinthians. Isso porque o clube vem tendo dificuldades de contar com uma das suas principais contratações: Rodrigo Garro. Além disso, houve as saídas repentinas de Lucas Veríssimo e Matheus França que, diga-se, nem chegou efetivamente.

Tudo isso, por óbvio, impacta no processo de construção de uma nova equipe que já seria muito complexo sem esses obstáculos extras. Pode ser que todo esse cenário impacte ainda mais na formação de um elenco coeso e entrosado.

Uso da base é necessário, mas o clube preza pela cautela com o garotos

Jovens da base do Corinthians deve ser utilizados com cautela. Ao menos é o que defende Mano Menezes – Foto: Iconsport

Na derrota diante do São Bernardo no último sábado (28), Mano Menezes relacionou para a partida cinco jogadores do sub-20 alvinegro, atletas que foram recém-campeões da Copinha. Arthur Souza chegou até ser utilizado para tentar – sem sucesso – empatar a partida e evitar o revés vexatório no ABC.

Ainda na segunda rodada, após a derrota para o Ituano, Mano Menezes admitiu que estava esperando a realização da final da Copinha para, com calma, selecionar os atletas que integrariam o elenco profissional. Claro que após o título, a expectativa da torcida para a utilização dos jovens aumentou.

Além de Arthur Souza, Breno Bidon e Kayke são nomes sempre citados quando se fala das promessas alvinegras. Experiente, Mano Menezes sabe que a entrada desses jovens em campo, ainda mais em um cenário tenso como o do clube atualmente, é perigosa e não pode ser vista como uma solução mágica para os problemas da equipe:

— Seria muito cômodo para eu jogar os meninos – no campo – e dizer: ‘resolva aí o problema porque vocês foram campeão na quinta-feira e agora o time profissional precisa’. Isso não funciona assim. A chance disso dar errado é maior do que tudo. E eles jogaram quinta-feira, só vieram aqui pela nossa necessidade mesmo, né? E a gente trouxe eles para ambientá-los para daqui a pouco, aí, sim, um pouquinho mais adiante, poder utilizá-los, logo, logo, porque precisamos deles, ponderou Mano Menezes.

Apesar da precaução do técnico do principal, Danilo Andrade, treinador do sub-20 e ídolo do clube, disse confiar que parte dos jogadores campeões da Copinha 2024 tem realmente potencial para brilhar na equipe profissional do Corinthians. Multicampeão com o clube, ele ressaltou, contudo, a pressão que é defender as cores do alvinegro:

— Cada um tem seu estilo, seu jeito de lidar, são vários atletas com potencial muito grande, futuro promissor pela frente, mas tem essa cobrança muito grande, a gente sabe como que funciona, principalmente num clube igual o Corinthians, né, que você tem que jogar bem todos os jogos. Mas tenho certeza que vários ali vão ter oportunidade de jogar aqui no Corinthians.

Postura de Mano Menezes contrapõe fala do diretor de futebol

A postura correta de Mano Menezes em proteger os jovens atletas do clube acaba, por incrível que pareça, destoando de um dos membros da diretoria alvinegra. Muito pressionado pelas recentes declarações quase que megalomaníacas dele e de seu chefe, Rubão, o diretor de futebol no clube, chegou a citar Arthur Souza ao ser cobrado por reforços no ataque:

— O centroavante está aí – Arthur Souza -, fez três gols hoje [na semifinal da Copinha diante do Novorizontino]. Tem grandes chances e é da casa, afirmou o dirigente na ocasião.

A declaração simplista de Rubão certamente é um dos elementos que compõe o descontentamento expresso por Mano Menezes após a derrota para o São Bernardo. O treinador chegou a citar as promessas e fatores externos que exageraram a já sempre alta expectativa da torcida do Corinthians com o desempenho do time.

Chega de Pedro Raul pode amenizar o clima?

Reforçada com a chegada de Fabinho Soldado, novo executivo de futebol do clube, a gestão Augusto Melo tenta dar respostas às críticas. A contratação de Pedro Raul, atacante ex-Goiás e Vasco, que está no Toluca do México, seria uma notícia para acalmar os ânimos.

Questionado sobre a possível vinda do atleta, que estaria com negociações avançadas com o Corinthians, Mano Menezes foi exageradamente cauteloso, o que também demonstra o desgaste dentro do clube com as recentes trapalhadas dos cartolas.

— Em relação à contratação, a direção pode falar. Não cabe a mim até pelos acontecidos todos recentes. A gente está tomando todos os cuidados necessários para que as coisas sejam encaminhadas como têm que ser. Então, a direção fala sobre a chegada de jogadores. Eu não vou falar. Eu vou falar quando ele chegar no clube – pontuou Mano Menezes.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo