Copa América 2024

Darwin Núñez iguala recorde de quase 100 anos em goleada do Uruguai

Atacante do Liverpool marcou pelo sétimo jogo seguido com a camisa da seleção, algo que não era feito desde 1928

Passeio é a palavra certa para explicar o que aconteceu no MetLife Stadium, em East Rutherford, Nova Jersey, nesta quinta-feira (27). O Uruguai não tomou conhecimento do adversário e fez 5 a 0, basicamente garantindo sua vaga nas quartas de final da Copa América.

É até difícil escolher um destaque na vitória uruguaia, já que diversos atletas foram muito bem, mas um deles conseguiu igualar uma marca que perdura por quase 100 anos.

Darwin Núñez marcou pelo sétimo jogo seguido com a camisa celeste, algo que não era feito desde 1928, quando Hector Scarone alcançou tal feito.

O atacante do Liverpool marcou 10 gols no período e ainda tem a chance de superar Scarone contra os Estados Unidos na próxima segunda (1º), às 22h (horário de Brasília).

A sequência de Darwin Núñez

Como foi Uruguai 5 x 0 Bolívia

Logicamente, Darwin começou o jogo perdendo gol, assim como faz sempre. Mas não demorou para que a Celeste abrisse o placar. Nico De La Cruz levantou na área, Ronald Araujo cabeceou para o meio e Facundo Pellistri desviou para o gol. Pouco depois, Darwin aproveitou passe de Maxi Araujo para deixar o seu.

Já na segunda etapa, a goleada foi construída. Maxi Araujo marcou o terceiro, Federico Valverde fez o quarto e já no fim, Rodrigo Bentancur deu números finais ao jogo.

Toque rubro-negro na goleada

Assim como no primeiro tempo, dois jogadores do Flamengo foram titulares. Matias Viña seguiu entre os 11 iniciais, enquanto Nico De La Cruz começou no lugar de Giorgian De Arrascaeta.

De La Cruz fez um belíssimo jogo, cobrando a falta que gerou o primeiro gol e deu a assistência do terceiro, antes de dar lugar ao companheiro, que entrou em campo e também deu passe para um gol.

Foto de Matheus Rocha

Matheus RochaSubcoordenador de conteúdo

Matheus Rocha é natural de Uberlândia, onde se formou em Jornalismo na Unitri em 2014. Começou a carreira no jornalismo na Trivela antes de passar por ExtraTime e Yahoo, participando da cobertura de três Copas do Mundo e cinco Olimpíadas.
Botão Voltar ao topo