Copa América 2024

As estatísticas que comprovam como Dorival Júnior tenta conduzir renovação na Seleção

Treinador convoca Seleção com média de idade de 25,5 anos e apenas 11 remanescentes da Copa do Catar

Logo que assumiu o cargo mais importante para um técnico no Brasil, no início do ano, Dorival Júnior prometeu devolver a seleção brasileira ao povo. Desde então, o treinador comanda uma severa reformulação na Seleção com muitas caras novas para atrair a identificação dos torcedores.

A lista de convocados para a Copa América é a maior prova do processo de renovação conduzido pelo treinador. Dos 26 atletas chamados pelo técnico, apenas quatro participaram da última conquista do Brasil na competição, em 2019: o goleiro Alisson, os zagueiros Marquinhos e Éder Militão e o meia Lucas Paquetá. Ederson também estaria nesta relação de campeões, mas foi cortado por lesão.

> A renovação de Dorival na Seleção para a Copa América

  • apenas quatro jogadores já foram campeões pela Seleção;
  • são apenas onze remanescentes da última Copa do Mundo;
  • Seleção tem só cinco jogadores com 30 anos ou mais;
  • média de idade da convocação é de 25,5 anos;
  • dois jogadores são estreantes na Seleção: Ederson e Evanílson.

Além disso, menos da metade dos convocados teve a experiência de disputar uma Copa do Mundo. Apenas 11 jogadores da lista de Dorival foram chamados por Tite para o Mundial do Catar.

O processo de renovação também se reflete na média de idade da Seleção convocada para a Copa América. Alisson (31), Rafael (34), Danilo (32), Wendell (30) e Marquinhos (30) são os únicos jogadores com 30 anos ou mais — e todos eles são defensores. A média de idade é de 25,5 anos.

E como ficam as lideranças?

A reformulação conduzida por Dorival Júnior também faz despertar novas lideranças. Alisson, Danilo e Marquinhos ainda são os principais líderes e capitães da Seleção. Mas jogadores como Vini Jr, Lucas Paquetá e Gabriel Magalhães também começam a despontar como referências tanto para os mais novos quanto para os mais experientes.

—É um momento de transição para nós em certo ponto. Eu, Danilo, Marquinhos, que somos os mais velhos, já desde o tempo dos outros capitães já exercemos certa liderança. A liderança é natural na vida do atleta, não é imposta. Temos muitos jogadores que já jogaram Copa do Mundo, e isso vai credenciando. Vini Jr. é um cara que, apesar de jovem, tem levantado a voz para vários assuntos e desde cedo é uma liderança técnica. Acredito que tem o perfil para ser um dos líderes dessa nova geração. Paquetá, Gabriel Magalhães, que também tem perfil. O líder vai crescer de maneira natural — afirma o goleiro Alisson.

Renovação começou antes da Copa América

A verdade é que Dorival Júnior iniciou a reformulação na Seleção já em sua primeira convocação, para dois amistosos em março. O Brasil venceu a Inglaterra por 1 a 0 em Wembley e empatou por 3 a 3 com a Espanha no Santiago Bernabéu com uma equipe cheia de caras novas.

A primeira escalação do técnico teve cinco estreantes na equipe titular — Bento, Fabrício Bruno, Beraldo, Wendell e João Gomes. Depois, Pablo Maia e Savinho entraram no segundo tempo e elevaram para sete o número de novidades a pisar o gramado de Wembley com a camisa azul da Seleção.

Dos 26 convocados pelo treinador que se apresentaram à seleção brasileira em Londres na última segunda-feira (18) para o início desta Data Fifa, dez não haviam entrado em campo para representar o Brasil. E mais do que isso. Oito deles nunca sequer haviam sido convocados para a equipe principal.

Endrick entra em campo para brilhar pela primeira vez no Santiago Bernabéu (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

> Os convocados por Dorival Júnior

Goleiros:

Alisson (Liverpool)*
Bento (Athletico)
Rafael (São Paulo)

Laterais:

Danilo (Juventus)
Guilherme Arana (Atlético-MG)
Yan Couto (Girona)
Wendell (Porto)

Zagueiros

Beraldo (PSG)
Bremer (Juventus)
Éder Militão (Real Madrid)*
Gabriel Magalhães (Arsenal)
Marquinhos (PSG)*

Meio-campistas

Andreas Pereira (Fulham)
Bruno Guimarães (Newcastle)
Douglas Luiz (Aston Villa)
Ederson (Atalanta)
João Gomes (Wolverhampton)
Lucas Paquetá (West Ham)*

Atacantes

Endrick (Palmeiras)
Evanílson (Porto)
Gabriel Martinelli (Arsenal)
Pepê (Porto)
Raphinha (Barcelona)
Rodrygo (Real Madrid)
Savinho (Girona)
Vini Jr. (Real Madrid)
*Jogadores campeões da Copa América em 2019
Em negrito, jogadores que participaram da Copa de 2022

Os amistosos do Brasil antes da Copa América

O Brasil enfrenta o México em amistoso no dia 8 de junho, no Texas, e depois retorna à Flórida para mais um compromisso, no dia 12, contra os Estados Unidos. O período de preparação em Orlando vai até o dia 20 de junho, quando a Seleção embarca rumo a Los Angeles para a estreia na Copa América.

Quando o Brasil estreia na Copa América?

O Brasil faz a sua estreia no Grupo D da Copa América em 24 de junho, contra a Costa Rica, no SoFi Stadium, em Inglewood, na Califórnia. Depois, a Seleção enfrenta o Paraguai no dia 28, no Allegiant Stadium, em Las Vegas, e encerra a participação na chave contra a Colômbia, em 2 de julho, no Levi’s Stadium, em Santa Clara.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo