Copa América 2024

Arbitragem em empate com a Colômbia dá razão a críticas de Vini Jr a Conmebol

Brasil reclama de pênalti não marcado em Vini Jr no empate em 1 a 1 com a Colômbia

Minutos após fazer a sua melhor atuação pela seleção brasileira e marcar dois gols na vitória por 4 a 1 sobre o Paraguai, na última sexta-feira (28), Vini Jr fez uma espécie de desabafo nos microfones. O atacante disparou contra a organização da Copa América pela Conmebol:

— A Copa América é sempre complicada pelos campo, pelos árbitros que são sempre ao contrário, pela forma que tratam a gente, mas é seguir firme, só ganhando podemos falar, quando a gente fala a Conmebol diz que a gente fala demais — Vini Jr.

O favorito à Bola de Ouro nesta temporada não sabia e nem poderia saber. Mas suas palavras viraram profecia quatro dias mais tarde.

É verdade que o Brasil foi amassado pela Colômbia no empate em 1 a 1 desta terça-feira (2), em Santa Clara, pela última rodada do Grupo D. Mas é verdade também que a arbitragem teve papel determinante no resultado.

Brasil se revolta com a arbitragem

Mesmo que tenha sido envolvido pelo adversário em (mais) um jogo abaixo da média na Copa América, o Brasil pode, sim, reclamar do árbitro venezuelano Jesús Valenzuela. Como de fato fizeram os jogadores e o técnico Dorival Júnior dentro de campo ao final da partida.

A principal reclamação brasileira é um pênalti não marcado em Vini Jr. quando o jogo ainda estava 1 a 0, no final do primeiro tempo. O atacante foi derrubado por Muñoz dentro da área.

Um pênalti claro, que parecia mera questão de tempo. Mas Jesús Valenzuela não marcou pênalti. E pior: os responsáveis pelo VAR sequer recomendaram a revisão.

Além disso, o árbitro permitiu que o autor do gol colombiano, Muñoz, cometesse sete faltas na partida sem que recebesse cartão amarelo. Vini, por sua vez, foi amarelado (corretamente) logo em sua primeira infração, por entrada em James Rodríguez.

Vini reclama sozinho contra a Conmebol

Chama atenção que a manifestação de Vini Jr. após o jogo contra o Paraguai foi a única em tom mais crítico de um representante do Brasil à Conmebol. Até agora, a diretoria da Seleção e o presidente Ednaldo Rodrigues não compraram briga com a entidade.

Nos microfones, o técnico Dorival Júnior sempre comenta a necessidade de adaptação aos campos com dimensões menores da competição. Mas vale lembrar que o Brasil e todas as outras seleções aceitaram estas condições.

Vini Jr. é desfalque contra o Uruguai

Além da frustração (e da revolta) com o empate, o Brasil ainda perdeu Vini Jr. para as quartas de final. O atacante recebeu o segundo cartão amarelo na Copa América pela falta em James Rodríguez e está suspenso contra o Uruguai.

O confronto das quartas de final

  • Uruguai x Brasil — sábado, 6 de julho, às 22h (horário de Brasília), em Las Vegas
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo DecontoSetorista

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo