Copa América 2024

Endrick diz que Neymar também é inspiração fora de campo: ‘Exemplo de pai’

Garoto se inspira em Neymar e quer encontrar camisa 10 da seleção brasileira para conselhos durante a Copa América

Às vésperas da estreia da seleção brasileira na Copa América, na próxima segunda-feira (24), às 22h (horário de Brasília), contra a Costa Rica, Endrick teve uma conversa com Neymar. Na entrevista coletiva desta sexta-feira (21), o garoto de 17 anos revelou que conversou com o atacante por telefone.

O papo ocorreu por intermédio de Marquinhos. O zagueiro estava ao telefone com Neymar, quando Endrick ouviu a voz do camisa 10, desfalque da Seleção enquanto se recupera de uma lesão no joelho esquerdo. Foi neste momento em que eles conversaram.

— Pô Neymar, tá louco… Eu estava ali com o Marquinhos, acho que o Neymar, o Marquinhos ligou… Eles se ligaram ali, conversaram, e só de ouvir a voz do Neymar ali, eu fiquei feliz, né? Pude falar com o Neymar fora dos gramados, fora da Seleção, e cara, fico muito contente, porque é um cara que eu via. Infelizmente está lesionado, mas é um cara fenomenal — Endrick.

Endrick tem Neymar como exemplo na seleção brasileira

Como muitos garotos de sua geração, Endrick tem Neymar como inspiração na carreira e espera encontrá-lo durante a disputa da Copa América. Mesmo lesionado, o atacante está em Los Angeles para assistir à estreia da Seleção.

O curioso é que o comportamento do garoto fora de campo é bem diferente do de Neymar — e desde cedo. Endrick costuma fugir das polêmicas em suas declarações em entrevistas e opta por um estilo, digamos, mais clássico e menos chamativo que o do camisa 10.

— É um cara que você se inspira muito nele. Então eu fico muito feliz, porque o Neymar faz coisas que nenhum jogador faz. Posso encontrar ele, posso tirar uma foto com ele, posso pedir uns conselhos para ele porque ele já viu muita coisa nessa vida, muita coisa que foi difícil, mas ele é um cara muito forte, ele é um cara que vai passar por tudo.

É um exemplo de pai também, um cara que está sempre com seus filhos, eu creio que esse é um exemplo que deve ser seguido e fico muito feliz, espero que eu possa encontrar ele e tirar uma foto com ele.

Depois de se isolar como o maior artilheiro da Seleção Brasileira em jogos oficiais, Neymar está cada vez mais perto de estrear pelo Al-Hilal (Foto: Icon sport)

Artilheiro da Seleção nesta temporada, Endrick vive a expectativa de ser titular na Copa América. Algo que nunca ocorreu até agora.

O atacante marcou gols na vitória por 1 a 0 do Brasil sobre a Inglaterra e no empate em 3 a 3 com a Espanha, na última Data Fifa, e também na vitória por 3 a 2 sobre o México, já em preparação para a Copa América. Ele saiu do banco em todos esses jogos.

Confira mais trechos da entrevista de Endrick:

Vai ser titular?

— Eu vou estar trabalhando. Óbvio que eu quero ajudar a Seleção, seja como for, dando dicas fora de campo, ou ajudando na resenha, ou brincando com meus colegas, fazendo ter um clima bom e repetindo. Vou esperar no tempo de Deus e no tempo do Dorival.

— E agradeço muito ao Dorival por ter me convocado, por ter confiado em mim, estar aqui, não só em mim, mas como nos outros jogadores, também. O Dorival é um treinador espetacular, e eu sei que ele está fazendo a melhor coisa para o Brasil. Ele não vai fazer a melhor coisa para o Endrick, nem para o Vinícius Jr., nem para o Rodrigo. Ele vai fazer a melhor coisa para a seleção brasileira, para o Brasil, e eu creio que ele está fazendo a melhor coisa.

Dorival Júnior tem um plano para Endrick (IconSport)

Endrick será protagonista?

— Eu não vejo assim. Não é 11 contra 1, é 11 contra 11, são 26 jogadores que estão aqui, então ninguém aqui é o ator principal, ninguém aqui é maior que o Brasil, ninguém aqui vai ser maior que ninguém. Todo mundo aqui está na mesma prateleira, não tem do mais novo, que sou eu, até o mais velho, que é o Rafael. Não tem ninguém com mais respeito que ninguém.

Responsabilidade de vestir a Nove

— Fiquei muito feliz, porque é um número que todo atacante sonha em vestir, mas também não ligo muito para o número, como eu falei, eu quero estar jogando. Não importa se é com a 21, que era a camisa que eu estava jogando, ou seja com a 16, que era a camisa que eu jogava no Palmeiras.

— Eu quero mesmo estar jogando, poder ajudar a minha equipe. E tem aqui dois caras que jogam de Camisa 9, eu e o Evanílson. O gol é muito importante para a gente, mas nada é mais importante do que a seleção brasileira. Ninguém é maior do que o Brasil. Mas foi maravilhoso marcar gols, pude fazer gols contra a Inglaterra, contra a Espanha, contra o México.

Ser precoce na Seleção

— Eu sempre fui muito precoce na minha carreira, na minha vida e desde que eu subi um profissional. Eu jogava com adversários que ficavam falando sempre no meu ouvido. Sempre ficavam me cutucando, sempre me xingando, falando da minha família, da minha namorada ou do meu irmão. Graças a Deus eu me acostumei muito rápido com isso. Desde quando eu subi profissional era assim, então eu fui acostumado, fui me adaptando como seria e estou bem tranquilo e só espero ajudar a Seleção do jeito que for.

Cobranças dos mais velhos e maturidade

— Eu já falei também que eu não confio em pessoas que falam mal de mim pelas minhas costas. Tem que falar mal de mim na minha frente. Falar o que eu estou fazendo de errado, ou certo. E é isso que o Danilo faz. O Danilo fala se eu estou errado, se eu tenho que vir aqui ou ali, se eu tenho que fazer isso aqui. Então eu agradeço muito ao Danilo, o nosso capitão. E ele não tem medo de falar na nossa cara, de falar que a gente está errado, está certo. Até ele mesmo se culpa, então isso é muito importante para mim.

“Estevão é um craque”

— O Estevão é um craque. Não tem o que falar dele. A gente jogou um campeonato juntos, a Copa do brasil sub-17. A gente pôde ser campeão juntos. Foi um tempo muito bom. Na minha despedida, pude encerrar jogando om meu melhor amigo, o Guilherme, vendido para o West Ham. O Estevão que está destruindo no Palmeiras. A gente já sabia que ele era capaz disso. O Estevão é um fenômeno, como Guilherme. Se Deus quiser, que um dia a gente possa se reencontrar aqui na seleção brasileira.

Os jogos do Brasil na Copa América

  • Brasil x Costa Rica — segunda-feira, 24 de junho, às 22h (horário de Brasília) — Los Angeles
  • Brasil x Paraguai — sexta-feira, 28 de junho, às 22h (horário de Brasília) — Las Vegas
  • Brasil x Colômbia — terça-feira, 2 de julho, às 22h (horário de Brasília) — Santa Clara
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo