Copa América 2024

Entenda por que a CBF entrou em rota de colisão com a Conmebol na Copa América

Entidade brasileira reclama da arbitragem e da logística para competição nos Estados Unidos

A CBF irá protocolar uma reclamação formal à Conmebol contra a arbitragem no empate em 1 a 1 com a Colômbia, na última terça-feira (2). E este é apenas mais um episódio que evidencia que as duas entidades estão em rota de colisão durante a disputa da Copa América nos Estados Unidos.

Isso porque a Conmebol já reconheceu o erro do árbitro ao não assinalar pênalti de Muñoz em Vinicius Júnior no final da primeira etapa, quando o Brasil vencia a partida por 1 a 0.

Mesmo assim, a CBF questiona o critério adotado no lance e pede a suspensão de Jesús Valenzuela e toda a equipe de arbitragem.

> As reclamações da CBF à Conmebol:

  • Dimensões reduzidas dos campos da Copa América;
  • Reclamação formal contra arbitragem no empate com a Colômbia;
  • Decisões da logística da Conmebol em cidades sede.

De hotel a arbitragem: CBF e Conmebol em rota de colisão

O movimento feito pela diretoria da seleção é mais uma forma de manifestar oficialmente toda a inconformidade com a Conmebol na organização da Copa América. A CBF faz críticas públicas à entidade sul-americana desde antes do início da competição.

As reclamações vão desde as dimensões reduzidas dos campos utilizados na Copa América até a logística oferecida pela Conmebol à seleção brasileira. O clima de insatisfação aumentou no retorno da Seleção a Las Vegas para as quartas de final conta o Uruguai.

Na chegada do Brasil ao hotel, o motorista do ônibus contratado pela Conmebol não permitiu que a delegação brasileira descesse e acessasse o local pela porta da frente. Ele alegou cumprir ordens da entidade sul-americana e conduziu o veículo à porta de trás do estabelecimento.

Para revolta dos brasileiros e do presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, em especial. O mandatário chegou a disparar para a equipe de segurança do hotel: “Nós não somos bandidos”. A reportagem da TNT Sports flagrou em vídeo este momento.

A CBF já havia manifestado inconformidade com a logística na primeira estadia em Las Vegas, para o jogo contra o Paraguai. Desta vez, por conta da distância do hotel para o campo de treinamentos.

O que aconteceu foi que a entidade havia marcado um hotel que ficava próximo do local de treinos. Mas o gramado não ficou pronto, e a Conmebol realocou o local de preparação para um lugar a 40 minutos de distância da concentração brasileira.

As condições do campo de treinos também não agradaram. Ele ficava separado da rua por apenas uma grade de proteção, que tirava a privacidade de Dorival Júnior e permitia contato entre torcedores e jogadores. No retorno a Las Vegas, a CBF mudou de hotel.

A primeira reclamação da CBF contra a Conmebol iniciou ainda antes do início da Copa América e tinha a ver com a dimensão reduzida dos campos da competição. Os gramados são cinco metros mais curtos e quatro metros mais estreitos do que o habitual, representando 20 m² a menos.

Mas aí cabe também uma ressalva. A CBF aceitou o regulamento da Copa América com as dimensões menores.

Oitavas de final da Copa América

  • Brasil x Uruguai — Las Vegas — sábado (6), às 22h (horário de Brasília) — Transmissão: TV Globo (TV aberta) e SporTV (TV fechada)
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo