Brasileirão Série A

Para não morrer, o Cruzeiro fez o que era preciso: matou quem estava contra ele

O Cruzeiro conquistou 22 pontos em 12 partidas contra adversários diretos contra o rebaixamento e 25 pontos nos 26 confrontos restantes

Após muita apreensão, angústia e alívio, o Campeonato Brasileiro de 2023 acabou para o Cruzeiro na noite dessa quarta-feira (6), e, apesar de transitar por linhas tortas, o time celeste conseguiu alcançar seus principais objetivos na temporada: a permanência na elite do futebol nacional e a classificação para a Copa Sul-Americana, que recoloca o time mineiro numa competição internacional após quatro longas temporadas.

Mas como dito, não foi fácil alcançar esses objetivos e por muitos momentos o torcedor cruzeirense sentiu medo do time revisitar o pesadelo vivido entre 2020 e 2022, quando disputou a Série B do Campeonato Brasileiro por três temporadas seguidas. E se no fim deu tudo certo, muito se deveu ao desempenho do Cruzeiro contra os adversários diretos na briga contra o descenso. A Raposa conseguiu bons resultados contra a maioria deles, o que fez com que o time conseguisse pontuar e, consequentemente, evitar que os rivais o fizessem.

O Cruzeiro terminou o Brasileirão na 14ª colocação, com 47 pontos em 38 jogos, quatro de vantagem para o Santos, primeiro time da zona de rebaixamento definitiva do campeonato. Atrás da Raposa ficaram, na ordem, Vasco, Bahia e os despromovidos Santos, Goiás, Coritiba e América-MG. Destes, o clube celeste não venceu apenas um, o Coxa, vice-lanterna com apenas 30 pontos em todo o campeonato.

Mesmo escapando na penúltima rodada e chegando para o jogo derradeiro do Brasileiro com a tranquilidade de já não ter chances de cair, focado somente em buscar uma vaga na Copa Sul-Americana, o Cruzeiro terminou o campeonato próximo do Z4. Se não caiu, o time mineiro tem muito o que agradecer aos 22 pontos conquistados sobre os seis times que ficaram abaixo de si na tabela.

Para se ter ideia, foram 22 pontos nos 12 jogos em questão, e apenas 25 nos 26 restantes.

Cruzeiro x Vasco da Gama – 4 pontos

O Vasco da Gama foi uma das equipes que não conseguiu bater o Cruzeiro no Brasileirão. O time celeste venceu o cruz-maltino no primeiro turno, por 1 a 0, com belo gol de falta do volante Filipe Machado, em um São Januário vazio, já que o clube carioca havia perdido mandos de campo por confusões protagonizadas por sua torcida.

No returno, empate em 2 a 2 em uma partida movimentada, disputada, curiosamente, num Mineirão vazio, visto que dessa vez era o Cruzeiro quem havia sido punido por invasão de campo de seus torcedores durante a partida contra o Coritiba, disputada na Vila Capanema, em Curitiba. Enquanto Puma Rodríguez e Gabriel Pec marcaram os gols do Vasco, Arthur Gomes e Bruno Rodrigues, de pênalti, anotaram para o time celeste.

Cruzeiro x Bahia – 4 pontos

Livre do rebaixamento após goleada sobre o Atlético-MG e derrota do Santos para o Fortaleza, o Bahia foi outro time que não conseguiu vencer o Cruzeiro. No primeiro turno, as equipes fizeram uma partida movimentada na Arena Fonte Nova, que terminou empatada em 2 a 2. Kayky e Arthur Sales marcaram para os baianos, enquanto Bruno Rodrigues e Wesley anotaram para a Raposa.

No jogo de volta, um atropelo do Cruzeiro no Mineirão. A equipe celeste venceu por 3 a 0 num momento importante da temporada, podendo, após o resultado, respirar aliviado na situação. Kanu, contra, Marlon e Bruno Rodrigues anotaram para o time celeste.

Cruzeiro x Santos – 6 pontos

O inédito rebaixado Santos foi o único time do Brasileirão a perder as duas partidas para o Cruzeiro, estatística que pesa quando se olha para a tabela e percebe que o Peixe precisava de apenas dois pontos para se livrar do descenso. No primeiro turno, vitória da Raposa por 2 a 1, no Independência. Wesley, que saiu do banco ainda no primeiro tempo para substituir o lesionado Rafael Bidu, marcou os gols celestes, enquanto o garoto ngelo guardou para o alvinegro praiano.

No segundo turno, uma goleada acachapante em plena Vila Belmiro assustou os santistas, que viram seu clube ser atropelado por um Cruzeiro que tinha Zé Ricardo estreando no comando da equipe. Matheus Jussa, Bruno Rodrigues e Nikão fizeram os gols do 3 a 0 cruzeirense.

Cruzeiro x Goiás – 3 pontos

Diferentemente dos clubes já citados, o Goiás conseguiu bater o Cruzeiro no campeonato, vencendo o time celeste no Independência, por 1 a 0, no primeiro turno. O gol do jogo foi marcado por João Magno, em partida ruim do time celeste, comandado, naquele momento, por Pepa.

Mas o Cruzeiro não deixou barato e venceu o Goiás no returno, em partida disputada no Estádio da Serrinha, com um gol salvador do garoto Robert, de apenas 18 anos. O camisa 80, que havia entrado no jogo aos 38 do segundo tempo, fez belo gol aos 51, depois de receber linda inversão de jogo do decisivo Bruno Rodrigues. O gol foi muito importante para afastar o time da zona de rebaixamento. Um tropeço naquele momento seria devastador para a equipe.

Cruzeiro x Coritiba – 1 ponto

De todos os times que ficaram abaixo do Cruzeiro na tabela, o time celeste só não conseguiu bater o Coritiba. No primeiro turno, um empate sem graça no Independência. No returno, o Coxa instaurou uma crise na Raposa ao vencer o time celeste por 1 a 0, com gol do atacante Robson.

O gol, marcado já no final da partida, fez com que torcedores do Cruzeiro presentes na Vila Capanema invadissem o campo de jogo. Parte da torcida do Coritiba, que nutre grande rivalidade contra os cruzeirenses, dentro do universo das Torcidas Organizadas, também invadiu logo em seguida, o que iniciou uma batalha campal que precisou ser apartada pela Polícia Militar.

A partida precisou ser interrompida, com todos os atletas tendo que se refugiar nos túneis que levam aos vestiários. Depois de alguns minutos de tensão, a situação foi controlada, pelo menos dentro do estádio, e os jogadores voltaram a campo para terminar o jogo.

Cruzeiro x América-MG – 4 pontos

Rival local do Cruzeiro, o América-MG foi a vítima da maior goleada celeste no Brasileirão 2023. A Raposa fez 4 a 0 no Coelho no Independência, em um jogo onde, incrivelmente, o placar não refletiu o que foi, de fato, a partida. O alviverde fez bom jogo, mandou duas bolas na trave, mas falhou no momento defensivo, sendo vazado por Henrique Dourado, Marlon e Gilberto, duas vezes.

No segundo turno, mesmo virtualmente rebaixado, o América-MG engrossou o caldo para o time celeste em pleno Mineirão. O Cruzeiro até começou bem e abriu o placar com Luciano Castán, que completou escanteio de cabeça, mas o Coelho não se abalou e buscou o empate, com o habilidoso meia argentino Martín Benítez. Os dois gols do empate em 1 a 1 saíram na primeira etapa, mas foi o alviverde quem passou mais perto da vitória, criando as melhores chances do jogo.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa é mineiro, formado em Jornalismo na UFOP, em 2019. Passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas, antes de se tornar setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo