Copa América 2024

Inovação (ou bizarrice) na Copa América: goleiro do México ganha luva incomum

Por lesão no dedo, Julio González recebeu uma luva diferente de sua fornecedora para usar nos Estados Unidos

Não é só na Eurocopa que há acessórios inusitados. Depois da máscara de Mbappé na Alemanha, o goleiro do México, Julio González, intrigou o público ao aparecer com uma luva incomum em jogo da Copa América.

O arqueiro do Pumas e titular do gol mexicano tem usado uma luva especial de quatro dedos devido à lesão. Julio quebrou um dos dedos da mão esquerda e precisaria realizar cirurgia para consertá-lo. Mas ele não estava disposto a parar de jogar pelo clube e muito menos deixar a oportunidade na seleção passar.

Apesar da dor, Julio tem conseguido atuar em alto nível. A fornecedora Elite Sport é a responsável pela criação da luva adaptada. Com ela, o goleiro não precisar usar tala, já que é capaz de amarrar/juntar os dedos centrais da mão esquerda.

— Não sabemos quanto tempo ele vai jogar assim. Ele não queria parar de jogar porque estava em boa forma e havia competição pela vaga. Ele diz que dói toda vez que uma bola bate nele, que seu dedo vibra. Ele simplesmente aguenta isso — disse Alejandro Resendiz, diretor da fabricante de luvas Elite Sport, em entrevista à ESPN Argentina.

Julio González tem 33 anos e defende o Pumas desde 2020. Revelado nas categorias de base do Santos Laguna, o goleiro passou por Tampico Madero (México), Tiburones Rojos (México) e Praviano (Espanha).

Desempenho de Julio González com a luva de quatro dedos

Julio foi titular nas duas primeiras partidas do México na Copa América. Diante da Jamaica, o goleiro não foi vazado e sua seleção venceu por 1 a 0.

No jogo seguinte, não conseguiu evitar a derrota para a Venezuela. De pênalti, Salomón Rondón marcou e decretou o triunfo dos venezuelanos.

A situação física de Julio não será um problema para sequência da competição. O técnico Jaime Lozano não só conta com o veterano, bem como pretende mantê-lo na equipe titular.

O México volta a campo neste domingo (30), para enfrentar o Equador, pela terceira rodada do Grupo B. A bola rola a partir das 21h (horário de Brasília), no State Farm Stadium, em Glendale — subúrbio de Phoenix, no Arizona.

A luva poderá ser comercializada?

Julio, como citado, segue 100% focado na Copa América. O arqueiro mexicano ainda não sabe quando (e se) vai realizar cirurgia de reparação no dedo. Fato é que as luvas especiais seguem sendo desenvolvidas pela fornecedora. Não há, no entanto, a intenção de comercializá-las.

— Não é algo que será confortável para todos. Foi apenas algo que desenvolvemos para atender a uma necessidade médica — pontuou Resendiz.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo