Copa América 2024

Copa América mal começou e já é um fracasso – e até os americanos concordam

Ainda na 1ª rodada, a Copa América acumula críticas de jogadores, treinadores e torcedores - americanos também reclamam

A Seleção Brasileira estreia na Copa América 2024 nesta segunda-feira (24), às 22h (horário de Brasília), contra a Costa Rica, no SoFi Stadium, em Iglewood, nos Estados Unidos. E logo nos primeiros dias, o torneio já dá sinais de que é um fracasso.

A 1ª rodada da Copa América ainda nem acabou, mas já acumula críticas de jogadores, treinadores e torcedores. Agora, foi a vez do americano Weston McKennie se juntar às reclamações.

Após a vitória dos EUA sobre a Bolívia por 2 a 0 no último domingo (23), no AT&T Stadium, o meia da Juventus se mostrou decepcionado com o público pequeno para a estreia dos anfitriões:

– É frustrante, principalmente para o jogador, estar num estádio com capacidade para 70 mil pessoas e só entrarem 25 mil (sic). Não há atmosfera – disse o meia ao The Athletic.

Vale ressaltar que o público registrado na partida dos americanos foi, na verdade, de quase 48 mil pessoas. Mas por conta da capacidade, ainda sim, o estádio ficou repleto de lugares vazios.

Foto: (IconSport) - Jogos da Copa América estão longe da capacidade máxima dos estádios
Foto: (IconSport) – Jogos da Copa América estão longe da capacidade máxima dos estádios

A crítica do meia dos Estados Unidos não é infundada. Com exceção da partida de abertura da competição, a Copa América tem registrado uma média de público pouco empolgante.

Públicos em jogos da Copa América 2024 até aqui

  • Argentina x Canadá: 70.564 (capacidade do estádio – 71 mil)
  • Peru x Chile: 43.030 (capacidade do estádio – 80 mil)
  • Equador x Venezuela: 29.864 (capacidade do estádio – 68,5 mil)
  • México x Jamaica: 53.763 (capacidade do estádio – 72,2 mil)
  • Estados Unidos x Bolívia: 47.874 (capacidade do estádio – 80 mil)
  • Uruguai x Panamá: 33.425 (capacidade do estádio (65,3 mil)

Copa América: fracasso de público e com campos polêmicos

Mais do que a baixa presença dos torcedores, a Copa América também já está marcada pelos campos polêmicos – cujos problemas vão desde a qualidade do gramado até as dimensões da superfície de jogo.

Desde o pontapé inicial do torneio, as seleções se uniram para criticar o estado dos campos. Primeiro, a Argentina não se intimidou ao dizer que o gramado parecia um “trampolim”.

Dibu Martínez, Lionel Messi e o técnico Scaloni foram alguns dos críticos mais ferrenhos à superfície de jogo disponibilizada pela Conmebol nesta Copa América.

Foto: (IconSport) - Gramado na Copa América deixa a desejar
Foto: (IconSport) – Gramado na Copa América deixa a desejar

E para não dizer que as reclamações só são dos estrangeiros, o próprio Weston McKennie deu sua forte opinião sobre os gramados do torneio. O meia americano ainda contrastou seu argumento com os campos da Eurocopa.

– Estamos jogando num campo de futebol com um gramado irregular, que se quebra a cada passo que damos. É frustrante. Na Alemanha, todos jogam em grandes campos, com gramado bonito e o jogo é afetado positivamente.

Também hoje, o técnico do Chile, Ricardo Gareca, reforçou o coro contra os gramados da competição, criticando desde a qualidade até o tamanho.

– Esses campos não têm sido dos melhores, houve problemas em todos os jogos. O campo está seco, com pequenas dimensões e irregularidades, produto da forma como a grama artificial está colocada. – criticou o comandante da seleção chilena.

Se já não bastasse o gramado ruim, a Copa América 2024 também traz campos com medidas menores do que o habitual, o que influencia diretamente na maneira como cada equipe joga.

Dos 14 estádios da competição, 11 deles são mais curtos e estreitos. O motivo por trás disso é que as arenas são multiuso e palcos (principalmente) da NFL, a principal liga do futebol americano nos EUA.

Na Copa América, os gramados têm 100 metros de comprimento por 64 metros de largura. Já na Copa do Mundo, por exemplo, as dimensões são de 105m por 68m. Ou seja, 20 m² a mais.

Mesmo com dimensões reduzidas, os gramados estão dentro das normas da Fifa. A entidade permite que os campos para jogos oficiais internacionais tenham entre 100m e 110m de comprimento e 64m e 75m de largura.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo