Mundial de Clubes

Em dia de campeões na Ásia, África e Oceania, time de Crespo confirma ida ao Supermundial

Al-Ain comandado por ex-São Paulo é campeão asiático, enquanto Al Ahly leva na África e Auckland na Oceania

O sábado (25) foi agitado nas competições continentais, com três decisões diferentes. Não tivemos muita novidade na África e na Oceania. Ao menos na Ásia, um novo time confirmou a ida ao “Supermundial” de Clubes de 2025, competição de 32 clubes disputada entre 15 de junho e 13 de julho de 2025, nos Estados Unidos.

O Al-Ain, treinado pelo argentino Hernán Crespo, ex-São Paulo, não tomou conhecimento do Yokohama F. Marinos: enfiou cinco, revertendo a derrota de 2 a 1 na ida da decisão e confirmou o favoritismo ao ficar com a taça.

A equipe dos Emirados Árabes Unidos começou voando e pelos pés do marroquino Soufiane Rahimi, destaque do time, abriu o placar com oito minutos. Apesar do paraguaio Kaku ampliar, os japoneses reagiram com o brasileiro Yan Matheus.

Porém, as chances do Yokohama foram a zero com a expulsão do goleiro William Popp antes do fim do primeiro tempo. Na etapa final, Rahimi fez mais um, enquanto Kodjo Fo Doh Laba cravou dois para fechar a goleada.

O time de Crespo é o quarto e último representante confirmado da AFC no Mundial de 2025.

O Al-Ain se juntou a Al-Hilal (campeão da competição em 2021) e Urawa Red Diamons (2022) no Supermundial, enquanto o Ulsan Hyundai já está confirmado via ranking.

Gigante do Egito leva mais uma Liga dos Campeões da CAF

Na África, o Al Ahly, chamado de “Real Madrid africano”, levou o 12º título continental em sua rica e vencedora história.

Como a asiática, a final africana é disputada em dois jogos e ainda com a regra do gol fora. A ida, na Tunísia, terminou 0 a 0, e a volta de hoje foi definida em apenas três minutos no relógio.

Um escanteio de Hussein El Shahat, do time egípcio, cobrado na área, contou um inesperado desvio de Roger Aholou, tomando o rumo das redes do próprio Espérance Tunis.

A partir dali, o time de fora não teve forças para atacar. Na verdade, quem chegou mais perto de marcar foi o póprio Al Ahly com uma bomba de Mohamed Magdy Afsha no travessão.

Campeão também em 2021 e 2023, o gigante do Egito já estava garantido no Mundial junto do Wydad Casablanca (campeão em 2022), Mamelodi Sundowns e o Espérence, sendo os dois últimos via ranking.

Oceania também sem novidades: Auckland leva mais um

Hegemônico, o Auckland City faturou o tri consecutivo da Champions League da Oceania neste sábado.

E, como na Ásia, foi uma final fácil e de caminho natural. Em meia hora, já estava 2 a 0 aos neozelandeses, que antes dos 20 do segundo tempo já emplacaram o 4 a 0 em cima do AS Pirae, da Polinésia Francesa.

Com apenas uma vaga cedida pela Fifa, a Oceania seria representada por quem tivesse a maior pontuação nas últimas três edições da competição. Já campeão das duas primeiras, o Auckland estava garantido antes mesmo da vitória de hoje.

As vagas abertas ao Supermundial

 

  • América do Sul

Campeões em 2021, 2022 e 2023, Palmeiras, Flamengo e Fluminense são os representantes confirmados da Conmebol na competição da Fifa, enquanto o River Plate está garantido via ranking.

Sobram duas vagas, uma do campeão de 2024 e mais uma de ranking – hoje, preenchido pelo Boca Juniors.

Como já há mais de dois brasileiros classificados, São Paulo, Grêmio, Atlético Mineiro e Botafogo só podem ir para o Supermundial se algum for campeão nesse ano.

Mesmo cenário de Estudiantes, San Lorenzo, Rosario Central e Talleres, já que River e Boca (que perde a vaga se algum compatriota for campeão) são absolutos por pontos no raking.

Caso o River seja o vencedor, abre-se mais duas vagas via ranking, podendo beneficiar Olimpia (57 pontos), Nacional do Uruguai (56), Cerro Porteño (46), Independiente Del Valle (45) ou Barcelona (43).

O Boca soma 71, mas disputa a Copa Sul-Americana nesta temporada e precisa torcer contra as equipes abaixo no ranking para não ser ultrapassado. Vale citar que cada vitória vale 3 pontos, mesmo número de quando um time avança de fase. Empate vale um e derrota zero.

  • América do Norte, Central e Caribe

O León, do México, conquistou a Champions League da Concacaf 2023 e será o representante da América do Norte, Central e Caribe no Mundial de Clubes (Foto: Icon sport)

Já com três vagas preenchidas, falta apenas o campeão da Conchampions de 2024 para definir o único da Concacaf.

A decisão será disputada em 1º de junho entre Pachuca (México) e Columbus Crew (EUA).

  • País-sede (EUA)

A 32ª vaga será do campeão nacional dos Estados Unidos, o país-sede. Ou seja, poderá ter o Inter Miami de Lionel Messi e Luis Suárez na competição.

Quem já está classificado ao Mundial de Clubes de 2025

Uefa (12 vagas)

* Ainda pode se classificar como campeão da atual temporada da Champions League

Conmebol (6 vagas)

* Ainda pode se classificar como campeão da atual temporada da Libertadores

AFC (4 vagas)

CAF (4 vagas)

Concacaf (4 vagas)

OFC (1 vaga)

  • Auckland City (Nova Zelândia): ranking
Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo