Brasil

Milito faz testes e ganha opções para período com elenco curto no Atlético-MG

Treinador terá muitos desfalques a partir da próxima semana, e fez testes para confirmar alternativas

O Atlético-MG entrou em campo muito modificado na última terça-feira (28). Mesmo assim, goleou o Caracas por 4 a 0 com uma grande atuação, o que serviu para dar ao técnico Gabriel Milito mais opções para montar o time, principalmente nas próximas semanas, quando terá um elenco curto diante das lesões e da Copa América.

Na última semana, a Trivela mostrou que o Atlético terá um elenco de, no máximo, 20 jogadores durante a Copa América. Dos jogadores que atuam com mais frequência, só 13 estariam disponíveis. Gabriel Milito então deu oportunidade a jogadores que pouco atuam, e a maioria chamou atenção, agradando o treinador.

Estou extremamente feliz pelo rendimento dos jogadores que hoje jogaram e, habitualmente, lhes resta esperar. Mesmo assim, a cada dia estão treinando e prontos para quando eu preciso, como hoje — Gabriel Milito

O principal dos nomes foi Pedrinho, que está em fim de empréstimo e vai deixar o time em um mês. Até lá, é jogador do Atlético, e pode contribuir no meio-campo ofensivo do time. Contra o Caracas, ele brilhou com dois gols e uma assistência. Ele atuou na vaga de Alan Franco, que será um dos desfalques por estar com o Equador na Copa América.

Outro que entrou bem foi o experiente Mariano. Jogando como zagueiro/ala pela direita, teve boa atuação com a bola no pé e, nas poucas tentativas de escapada do Caracas pelo seu lado, se mostrou seguro e preparado, ganhando lances na velocidade, inclusive, mesmo já com quase 38 anos. O lateral atuou na vaga de Saravia.

A “estreia” de Palacios

Contratado no início de março, o colombiano Brahian Palacios só entrou em campo pelo Atlético na última semana, na derrota para o Sport. Foram só os minutos finais com o time focando em se defender, então ele quase não pegou na bola. Dá para dizer, então, que a estreia dele mesmo foi nesta terça, na Arena MRV.

Palacios entrou em campo com cerca de 20 minutos da etapa final e deu uma ótima resposta. Atuando pela direita, causou um verdadeiro salseiro na defesa venezuelana. O primeiro chute dele foi muito longe do gol, mas os outros dois foram certeiros, e só não entraram por conta de duas grandes defesas do goleiro.

O último chute, inclusive, foi após um drible espetacular do colombiano, que tirou dois marcadores na entrada da área e bateu firme, parando no goleiro.

— Trabalho para, quando o professor precisar, estar disponível da melhor maneira. Muito feliz por classificar em primeiro e estrear aqui na Arena com a torcida. Cada vez me sinto melhor, com mais confiança e adaptado ao estilo de jogo — afirmou Palacios.

Com Palacios, Milito ganha uma opção de velocidade e habilidade pela direita do campo. O jovem também pode atuar pela esquerda, mas, nesse jogo, quando ele entrou, Alisson, que foi um dos destaques, foi deslocado de lado.

Alisson cada vez mais maduro

Outro destaque no jogo foi o jovem Alisson. Cria da base do Atlético, o jogador tem recebido cada vez mais chances no time profissional. Contra o Caracas, foi titular, jogou do início ao fim e marcou um golaço.

— Alisson é um jogador jovem, com muito potencial. Tem coisas a melhorar, mas também tem muito talento. Ele tem que se convencer a não colocar um limite, tem que querer mais e mais. Nós vamos ajudar para que ele seja cada dia melhor. Condição e talento ele tem de sobra. Mas, é jovem e, pessoalmente, sei que, só com talento e qualidade não se chega na elite, tem que ter também mentalidade — afirmou Milito.

Alisson atuou a maioria do jogo pela direita, onde está mais habituado, com uma diferença de que teve um pouco mais de obrigações defensivas. Por sorte, o Caracas pouco atacou e ele não teve que se preocupar muito com isso.

Como citado, ele passou a jogar na esquerda com a entrada de Palacios. Essa mudança é mais um ganho para o time de Milito, pois o treinador sabe que pode mudar o atleta de lado em caso de uma necessidade — que pode acontecer com a ausência de Arana.

Improvisações de sucesso de Milito

A citada ausência de Arana, que estará com o Brasil na Copa América, era um problema para Milito, já que o reserva dele, Rubens, está lesionado. No entanto, o treinador parece ter encontrado uma solução “tampão” para o período: Scarpa na esquerda.

Habituado a jogar pelo lado direito do campo, Gustavo Scarpa atuou pela esquerda contra o Caracas e saiu de campo com duas assistências na conta. A diferença é que, nesse jogo, ele atuou com Arana, e não na posição do lateral. Essa função, sem o lateral esquerdo em campo, ele fez no jogo contra o Cuiabá, e também se saiu muito bem.

Outro ganho que Milito teve no jogo foi o zagueiro Bruno Fuchs como volante. O treinador não tem mais seu titular, Otávio, lesionado. Alan Franco, como citado, vai para a Copa América, e Battaglia, o volante “que restou”, está atuando como zagueiro.

Contra o Caracas, Battaglia foi volante, mas, quando ele deixou o campo para a entrada de Rabello, quem fez a função da saída de bola foi Bruno Fuchs, um defensor muito técnico e com qualidade no passe. Caso precise (e é provável que será necessário), Milito já sabe que pode contar com o zagueiro como primeiro volante.

Dos que tiveram chance com Milito, Cadu não se destacou, mas também não foi mal. Já Alan Kardec, que entrou no lugar do atacante, foi mal mais uma vez. O também jovem Rômulo, estreou em casa, mas pouco apareceu, já que o Caracas não atacou a defesa atleticana, mas ele havia se destacado em outras duas partidas.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo