Copa do Brasil

Pior jogo com Milito ainda é suficiente para Atlético-MG avançar na Copa do Brasil

O Atlético fez seu pior jogo sob o comando de Gabriel Milito, sendo dominado pelo Sport, que teve chances de fazer mais, mas pecou na finalização

No segundo jogo da terceira fase da Copa do Brasil, o Sport venceu o Atlético-MG por 1 a 0, na Arena Pernambuco. Mas o resultado não foi suficiente para o Rubro-Negro, já que o Galo venceu na Arena MRV por 2 a 0. O Alvinegro fez um de seus piores jogos da temporada, mas conseguiu sair classificado mesmo assim, com muito sufoco.

O Atlético jogou muito mal, principalmente no primeiro tempo, dando muita liberdade ao Sport de todas as formas, enquanto, com a bola, não conseguiu criar quase nada. O Rubro-Negro abriu o placar e teve outras chances claras de ampliar, mas desperdiçou. No segundo tempo, o Galo se ajustou um pouco mais defensivamente com algumas mudanças de Milito, mas seguiu pouco eficiente no ataque.

Apesar de pouco eficiente, o Atlético chegou a balançar as redes com um belo gol de Paulinho, mas o árbitro Bráulio da Silva Machado anulou após revisão no VAR, o que gerou muita polêmica e reclamação, em campo e nas redes sociais.

Sport passeou no primeiro tempo enquanto o Atlético só assistiu

Os primeiros 45 minutos na Arena Pernambuco foram um dos piores do Atlético no ano. O pior com Milito, sem dúvidas. O Galo não conseguiu jogar, criou só uma jogada, desperdiçada por Scarpa, e marcou ainda pior. Já o Sport teve liberdade do início ao fim da etapa inicial para fazer o que quisesse, e só não saiu com um placar maior por falhas nas definições das jogadas.

O Sport, que se impôs muito bem, abriu o placar aos 13 minutos, com Barletta recebendo sozinho na direita, com tempo para dominar, ajeitar e bater. Ele ainda contou com um desvio na defesa, que fez a bola encobrir Everson. O Rubro-Negro ainda chegou com muito perigo em outras oportunidades, duas delas com Pedro Lima, que acabou nem chutando e nem cruzando nas duas oportunidades, já dentro da área. A outra com Romarinho, em contra-ataque, mas o atacante pegou muito mal na bola ao invadir a área.

O Atlético, além de tudo dar errado e deixar muito espaço, principalmente no meio-campo, parecia desatento. Prova disso foi um lance, aos 20 minutos, em que Everson saiu a bola com Battaglia, mas o argentino estava olhando para o outro lado e só foi ver a bola quando alertado, com o Sport quase roubando para fazer o segundo.

Otávio fez muita falta ao Galo

Lesionado no último jogo, devendo voltar só em julho, o volante Otávio fez enorme falta ao meio-campo do Atlético. Ele era o único primeiro volante de pegada disponível. Sem ele, Alan Franco foi colocado na posição, mas não é a mesma coisa, tem estilo diferente.

Dessa forma, o Atlético ficou muito exposto no meio-campo. O time do Sport encontrava espaços com muita facilidade, seja com passes entre linhas ou jogadas individuais. A falta de um “cão de guarda” ficou clara durante toda a primeira etapa.

Atlético teve que se segurar — graças a arbitragem

O segundo tempo não começou muito diferente do que foi o primeiro, com o Sport tendo a bola e sabendo trabalhá-la melhor. O Rubro-Negro quase marcou o segundo já nos minutos iniciais, mas Gustavo Coutinho perdeu boa chance na área.

Apesar de não estar bem, o Atlético conseguiu uma jogada trabalhada aos 10 minutos, com Zaracho fazendo o pivô para Paulinho, que, com muita qualidade, bateu no ângulo do goleiro, empatando o jogo. No entanto, o VAR analisou toda a jogada e viu uma falta no início do lance. O árbitro foi ao monitor e concordou, anulando o gol atleticano, o que gerou muita revolta do time e da torcida.

Após o gol anulado do Galo, o jogo ficou muito mais pegado, principalmente por parte dos atleticanos, descontando a frustração do lance em jogadas. O árbitro não conseguiu controlar os ânimos e o jogo ficou muito parado por faltas e discussões.

Aos 22 minutos, o Sport quase marcou o segundo, mas Vargas salvou o chute em cima da linha. Com o tempo passando, o Rubro-Negro foi se mandando mais ao ataque, oferecendo, naturalmente, mais espaços na defesa. O Galo quase marcou aos 40, com Alisson, mas a bola passou ao lado da trave.

No fim, o Atlético se fechou muito bem e o Sport não conseguiu mais levar perigo. A torcida Rubro-Negra aplaudiu o time no fim perante a determinação em busca da classificação, que acabou não acontecendo.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo