Copa do Brasil

Atlético-MG imprime intensidade absurda e vence o Sport na Copa do Brasil

Com domínio desde o primeiro lance do jogo, Atlético não teve problemas para passar pelo adversário na Arena MRV

Com uma intensidade absurda desde os primeiros segundos do jogo, o Atlético-MG venceu o Sport por 2 a 0 no primeiro jogo da terceira fase da Copa do Brasil. O desempenho do time atleticano impressionou, e merecia sair até com um placar mais largo. Na verdade, o Galo até marcou mais duas vezes, mas foram anulados por impedimento.

Quem pensa que, por conta do Atlético ter atropelado o Sport na intensidade, o jogo foi fácil, se engana. O time Rubro-Negro não foi até a Arena MRV para se defender, pelo contrário, fez o seu jogo com direito a marcação alta e boas trocas de passes, mas a qualidade técnica atleticana foi o diferencial para o time de Gabriel Milito sair vencedor.

Atlético e Sport se enfrentam novamente no dia 22 de maio no segundo e decisivo duelo para ver quem avança da terceira fase da Copa do Brasil. O jogo será em Pernambuco.

Atlético dominou, controlou e chegou ao gol

Os primeiros cinco minutos de jogo na Arena MRV foram os mais intensos possíveis. O Atlético enfileirou tentativas de gol, pressionando o Sport de todas as formas, mas parando sempre no paredão de jogadores do clube rubro-negro. Paulinho foi quem teve a melhor chance, na pequena área, mas tocou na bola “no susto” e mandou por cima do gol.

O Atlético chegou ao gol aos 11 minutos, após um lançamento de Fuchs para Hulk nas costas da defesa e o camisa 7 servir Scarpa. Mas, após revisão do VAR, o gol foi anulado por impedimento.

Apesar do gol anulado, o Atlético conseguiu manter o controle do jogo, e não foi fácil, já que o Sport não foi até a Arena MRV apenas para se defender. O time do também argentino Soso pressionou o Galo em cima e tentou propor jogo quando tinha a bola. No entanto, o Galo conseguiu conter qualquer tentativa do rubro-negro nordestino e conseguia recuperar a bola com rapidez.

Enquanto o Atlético (quase) sempre conseguia sair da pressão alta do Sport na saída de bola, não dá pra dizer o mesmo do rubro-negro. Exemplo disso é o gol atleticano, que partiu de um erro na saída do adversário justamente pela pressão. Após a bola rodar por Hulk, Franco e Arana, o lateral cruzou, mas ela foi na direção de Felipinho, que cabeceou errado para a pequena área, onde Zaracho apareceu sozinho para cabecear e abrir o placar.

Após o gol atleticano, o Galo seguiu com o domínio do jogo, mas não conseguiu mais chegar tão próximo ao gol do Sport. O primeiro tempo também foi muito parado pelo árbitro, que assinalou 16 faltas.

Confusão na torcida do Sport

Além do da intensidade do Atlético em campo, o que chamou atenção na Arena MRV foi a torcida do Sport, mas, mais uma vez, não foi por festa, e sim por confusão. No momento do gol atleticano, começou uma correria no setor visitante, que terminou com mais correria e bombas de efeito da Polícia Militar para tentar acalmar o clima.

No segundo tempo, mais correria foi vista no setor visitante, dessa vez sem atitudes mais duras da PM. Dois torcedores do Sport foram detidos por conta da confusão.

Intensidade não baixou e o Atlético surpreende em gol

O segundo tempo não começou muito diferente do primeiro, com o Atlético fazendo uma pressão intensa no Sport em busca do segundo gol. No entanto, o Galo pecou muito no chamado último passe e não conseguiu finalizar as jogadas. Mas a superioridade atleticana não demorou muito para refletir em mais um gol.

Aos 12 minutos, Gustavo Scarpa cobrou escanteio a meia altura direto na pequena área, onde Arana apareceu de surpresa sozinho para empurrar para o gol. A jogada ensaiada atleticana foi bem parecida com a que o Manchester City fez há pouco mais de um mês, contra o Liverpool, na Premier League.

Com o jogo mais controlado, o Atlético cadenciou mais a bola, mas sem deixar de buscar ataques. Inclusive, o Galo balançou as redes mais uma vez, com Vargas, mas o gol foi anulado por impedimento. Já o Sport até tentava e assustava em alguns lances, mas nenhum de real perigo a ponto de descontar o placar. A intensidade atleticana foi até o final, inclusive roubando bolas no campo de ataque e criando duas chances reais de gol, uma que Hulk acabou não conseguindo concluir em gol e outra que Vargas parou em grande defesa do goleiro.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo