Brasil

Pedrinho marca após 900 dias e quer ficar no Atlético-MG, mas permanência é improvável

Em fim de contrato, Pedrinho brilhou em goleada do Atlético e quer ficar, mas é improvável que isso aconteça

Surpresa na escalação e destaque na goleada do Atlético-MG contra o Caracas nesta terça-feira (28), o meia Pedrinho voltou a balançar as redes após mais de 900 dias. Pelo Galo, marcou o seu primeiro (e o segundo) gol. Ele tem contrato de empréstimo até o fim de junho e deseja ficar, mas é improvável que isso aconteça.

Titular na vaga de Alan Franco, poupado por estar pendurado, Pedrinho teve atuação de gala (ou de Galo) contra o Caracas. Além dos dois gols, ele deu uma assistência, deu incríveis nove passes decisivos e criou uma grande chance, segundo o SofaScore.

Os gols marcados foram os primeiros dele com a camisa do Atlético, depois de quase dois anos e 50 jogos. Ao todo, ele não balançava as redes desde dezembro de 2021, na goleada do Shakhtar Donetsk contra o FC Liv por 6 a 1, no campeonato ucraniano. Foram exatos 907 dias sem marcar.

— Muito feliz pelos gols e pela partida que a equipe fez. Estava bastante tempo sem fazer gol. Quando cheguei aqui, passei por duas lesões complicadíssimas, que me afastaram muito tempo do campo. Graças a Deus pude fazer uma boa partida — afirmou o meia.

Estava devendo fazer o gol e estou muito feliz de ter ajudado o Galo a vencer. É uma noite especial para mim e para toda a minha família — Pedrinho

Pedrinho quer ficar, mas deve sair

O Shakhtar, inclusive, que é para onde Pedrinho deve voltar em pouco mais de um mês. No fim de junho, seu contrato de empréstimo com o Atlético se encerra e não deve ser renovado. O clube ucraniano, inclusive, renovou o contrato dele neste ano e exigiu sua volta para o início da próxima temporada europeia.

No Atlético, a ideia é fazer uma “troca”, sai Pedrinho, de volta a Ucrânia, e chega Bernard, ídolo já anunciado pelo clube que cumpre basicamente a mesma função, como informou a Trivela em janeiro. A situação de momento não mudou, mas, se dependesse do camisa 38, ele ficaria no Galo.

— A minha situação não depende só de mim, mas das duas diretorias. Sou muito feliz aqui no Galo, meus companheiros sempre me deram apoio. A única certeza que tenho é que, o tempo que eu estiver aqui, vou dar o meu máximo para defender essa camisa — afirmou o meia.

Sim, sim (quero ficar). Não tem como não querer ficar em uma equipe tão grande quanto o Galo — Pedrinho

Passagem no Atlético marcada por lesões

Pedrinho chegou ao Atlético na metade de 2022 por empréstimo do Shakhtar. Ele fez apenas oito jogos e teve uma ruptura do tendão da coxa direita, o que tirou de ação pelo resto da temporada. O meia retornou no início de 2023 e até conseguiu engatar uma boa sequência de jogos.

No entanto, em abril, quando alternava entre titular e reserva, teve uma nova lesão grave, uma ruptura completa do músculo e do tendão no bíceps femoral da coxa esquerda. Ele retornou pouco mais de dois meses e passou a ter uma nova sequência com Felipão, se tornando titular em um período em que conseguiu contribuir com duas assistências.

Mas, em outubro, passou a sentir incômodos na coxa direita e ficou fora de ação por mais um tempo, terminando a temporada sendo pouco utilizado. Em 2024, não atuou muito com Felipão, fazendo só quatro jogos do Mineiro, sendo três saindo do banco já nos minutos finais.

Com Milito, Pedrinho atuou tão pouco quanto, sempre saindo do banco e com poucos minutos para jogar. A chance real mesmo aconteceu nesta terça, e ele a fez valer a pena.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo