Brasil

Lesão grave de Rubens é baque incalculável para o Atlético-MG

Jovem e versátil jogador, Rubens deve desfalcar o Atlético por um bom tempo e talvez só volte no próximo ano

No empate do Atlético-MG contra o Criciúma na última quarta-feira (17), o Galo teve uma notícia pior ainda do que o gol do adversário nos minutos: a lesão de Rubens nos minutos iniciais da partida. O Alvinegro confirmou que ele sofreu Rubens uma entorse no joelho esquerdo, com ruptura completa do ligamento colateral medial e parcial do cruzado anterior, e será um grande desfalque para o time de Milito.

Quem confirmou a gravidade da lesão de Rubens foi Rodrigo Lasmar, médico do clube, que afirmou ainda não ser um caso cirúrgico: “Vamos tratá-lo de forma conservadora e repetir os exames em 3 a 4 semanas, para avaliar se será necessária cirurgia”. O Atlético não revelou o tempo total da recuperação de Rubens, mas, uma lesão grave como essa deve deixar um atleta de alto rendimento como ele fora de ação por alguns meses. Em caso da necessidade de cirurgia, é certo que só voltará a atuar em 2025.

O lance da lesão de Rubens foi uma fatalidade sem tamanho. O jovem ganhava sua primeira oportunidade com Milito, já que ele teve uma lesão no braço logo na chegada do argentino. Antes de completar 10 minutos em campo, viu Felippe Mateus disputar uma bola com Lemos e acabar se desequilibrando, caindo assim sob o joelho do lateral atleticano. A cena foi feia e rodou o Brasil de tão impactante.

No momento da lesão, Rubens não conseguia parar de chorar, e também não pôde colocar os pés no chão para deixar as quatro linhas, mesmo estando bem próximo da linha lateral. Ele teve que sair de maca e ser carregado até o banco de reservas.

Lesão de Rubens é péssima não só para o jogador

Rubens estava em campo para substituir Guilherme Arana, poupado por Milito por conta da maratona de jogos. O jovem, formado como meia, foi o substituto do lateral atleticano enquanto ele se recuperava de sua grave lesão, que o tirou da Copa do Mundo e dos gramados por nove meses. Ele é o único substituto de Arana no elenco atleticano.

— Decidimos que Arana não começasse a partida, pois teve uma sequência muito grande de partidas jogadas. Coincidiu que Rubens se recuperou da lesão na mão e decidimos que ele iria jogar, pois eu também necessito ver todos os jogadores. Por isso, além da rotação, precisava vê-lo jogar — disse Gabriel Milito após o jogo contra o Criciúma.

Sem Rubens, Milito não tem um substituto que possa fazer a mesma função e tenha características parecidas de Arana. Alguns atletas podem atuar como ala-esquerda, mas nenhum tem as mesmas forças para atacar e defender como os dois citados. Dessa forma, o treinador argentino terá que arrumar alternativas antes não pensadas para que o lateral titular possa descansar.

Em caso de ser algo grave, teremos que pensar muito para ver como vamos fazer para dosificar o Arana, pois é impossível que ele jogue todas as partidas e todos os minutos no nível de intensidade que pretendo e a equipe necessita. Buscaremos algumas alternativas, talvez nas categorias de base. Mas, de alguma maneira, vamos resolver — destacou Milito.

Fora a falta de um reserva para conseguir descansar Arana, Milito ainda perde a oportunidade de fazer uma das dobradinhas que mais fez sucesso no Atlético, que é a do lateral com Rubens. Já que o jovem é mai de origem, ele e Arana podem atuar juntos sem problemas, e se complementam muito bem.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo