Brasil

Atlético-MG não passa da terceira marcha, e é punido com empate do Criciúma no fim

Com um time menos dinâmico do que o habitual com Milito, Atlético não conseguiu segurar o 1 a 0 contra o Criciúma na Arena MRV

O Atlético-MG recebeu o Criciúma na Arena MRV e, diferente dos outros jogos com Milito, não demonstrou o mesmo ímpeto e dinâmica. O Galo até saiu na frente e parecia ter o jogo controlado, mas o 1 a 0 no placar é traiçoeiro, e o time catarinense chegou ao empate em uma bola inesperada já nos minutos finais. Foi o segundo empate atleticano em duas rodadas de Campeonato Brasileiro.

Com a maratona de jogos que o Atlético está tendo e vai continuar, incluindo um clássico contra o Cruzeiro no fim de semana e um jogo de Libertadores depois, o técnico Gabriel Milito poupou alguns jogadores, como Jemerson, Arana e Zaracho, além de já não contar com o suspenso Battaglia. Provavelmente pela sequência cansativa e esse jogo ser visto como o menos relevante, o Galo teve uma atuação bem mais contida do que vimos nas outras partidas com o treinador argentino, acabou não sendo suficiente para garantir os três pontos.

Atlético teve dificuldades e foi entrando no jogo aos poucos

O Atlético teve um primeiro tempo sem conseguir engatar. O Criciúma até foi melhor e assustou nos minutos iniciais em um lance de confusão na área que a bola acabou nas mãos de Everson. O Galo ainda teve uma fatalidade, que foi a grave lesão de Rubens antes dos 10 minutos, que teve que sair de campo, pois não conseguia nem colocar os pés no chão.

Depois do baque inicial e da lesão de Rubens, o Atlético começou a se soltar e dominava mais o jogo, controlando a bola e tentando achar espaços na defesa do Criciúma. Mas, quando o Galo estava em uma crescente, algo inesperado aconteceu.

Queda de luz na Arena MRV

Aos 24 minutos do primeiro tempo, metade das luzes da Arena MRV se apagou de repente, interrompendo assim o jogo e a crescente em que o time de Milito se encontrava. Foram cerca de oito minutos até que as luzes fossem religadas e o jogo retomasse. Foi a primeira vez que algo do tipo aconteceu na nova casa do Galo, inaugurado em agosto de 2023.

O apagão pela metade da Arena MRV (AGIF/SUSA/Icon Sport)

Scarpa repete gol para desafogar o Galo

Com a luz de volta, o Atlético conseguiu não perder o ímpeto e seguiu cada vez mais dominando o jogo e jogando o Criciúma para o seu campo de defesa. Apesar disso, ainda não foi visto o time dinâmico que desempenhou nos outros jogos. Mas o Galo não precisou acelerar muito jogo para chegar ao seu gol.

Aos 40 minutos, a defesa do Criciúma afastou mal e a bola caiu nos pés de Hulk, que tocou para Scarpa invadindo a área na direita. O meia puxou para a esquerda e bateu rasteiro, contando com um desvio para ver a bola no fundo da rede. Um gol praticamente idêntico ao que marcou há uma semana, contra o Rosario Central, pela Libertadores.

Scarpa ainda teve mais dois lances bem parecidos com o gol. No primeiro, o goleiro Alisson quase soltou, mas conseguiu se recuperar. No segundo, a bola desviou igual, mas, dessa vez, foi para fora, ao lado do gol.

Atlético não saiu do 1 a 0 perigoso e foi punido

O Atlético teve um início de segundo tempo mais agitado, e quase ampliou em dois lances antes dos 10 minutos, com Scarpa e Paulinho. O Galo manteve o jogo bem controlado, mas passou a sofrer mais sustos em chegadas esporádicas do Criciúma, que tentava sair, já que estava atrás do placar. O Alvinegro conseguiu conter a maioria das ações ofensivas do time catarinense, mas viu o adversário levar perigo em algumas chegadas.

Nos 15 minutos, o jogo foi ganhando ares dramáticos, pois o Atlético não matava o resultado e o Criciúma tentava achar a famosa “uma bola” para chegar o empate. E essa oportunidade apareceu aos 39 minutos, quando um cruzamento passou por toda a área e encontrou o ex-América-MG, Matheusinho, que completou para o gol contando ainda com desvio que tirou Everson completamente do lance.

Lesão de Rubens é péssima notícia

Nenhuma lesão é boa notícia para ninguém, mas, especificamente a de Rubens, é péssima para todos. Para o jogador, pois essa era a primeira oportunidade dele com Gabriel Milito, já que tinha lesionado o braço exatamente na chegada do argentino. Para o time (principalmente Arana), pois não há outro no elenco que possa fazer a lateral/ala-esquerda da mesma forma que eles, ou seja, é difícil que Arana possa descansar. E para o treinador, que perde uma peça considerada muito importante e versátil.

O lance da lesão, com o jogador do Criciúma caindo sobre a perna de Rubens, foi dos mais feios possíveis. Não há um diagnóstico ainda, mas será muita sorte se não for algo grave que o tire de campo por muito tempo. Nos minutos finais, o Galo foi para cima desesperadamente em busca do gol da vitória, mas não conseguiu furar o bloqueio do time carvoeiro.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo