Copa do Brasil

Não relacionados para estreia na Copa do Brasil, três jogadores têm fim de ciclo próximo no Internacional

Coudet confirmou que ausências de Gabriel, De Pena e Luiz Adriano na estreia do Internacional na Copa do Brasil, contra o ASA, foram motivadas por possíveis negociações com outros clubes

Na lista de relacionados do Internacional para a estreia na Copa do Brasil, na quarta-feira (28), contra o ASA, em Arapiraca/AL, a ausência de três jogadores chamou atenção. O volante Gabriel, o meia Carlos De Pena e o centroavante Luiz Adriano não viajaram para o nordeste brasileiro. O motivo é que, se fosse utilizado na partida, o trio não poderia disputar a competição por outra equipe, como previsto no regulamento. Essa justificativa, que já era especulada, foi confirmada pelo técnico Eduardo Coudet após a vitória colorada por 2 a 0.

— Alguns jogadores que a diretoria está negociando, se participassem hoje, depois pode complicar, porque os clubes querem fechar para ter os jogadores em todas as competições, como nós. A particularidade foi essa. Alguns estão negociando com outro clube, ou a diretoria está negociando saída, chegada. Eu sou quem para falar do mercado? Mas a movimentação até o dia 7 [fechamento da janela de transferências] vai acontecer, vocês sabem. Fechamos com Bruno Gomes ao final da inscrição do Gauchão, faltando oito minutos. Imagina o que pode acontecer até 7 de março? Não posso falar de casos pontuais, individuais, mas posso afirmar o mesmo que vocês: alguns jogadores que não estiveram na convocatória é por não poderem participar, depois se tem uma saída. Muito simples, e sem ter que esconder nada — admitiu Coudet.

O estágio das negociações e o destino dos jogadores ainda é um mistério. Nas últimas semanas, Gabriel e De Pena foram sondados pelo Vasco. O meia uruguaio também foi procurado pelo Corinthians. Até aqui, nada de concreto. Mas está claro que o final de ciclo dos três jogadores no Beira-Rio se aproxima. A permanência em Porto Alegre nesta semana apenas evidencia.

Importantes em 2022, Gabriel e De Pena perderam espaço por diferentes motivos

Gabriel, De Pena e Luiz Adriano perderam espaço no elenco do Internacional. Tanto por questões individuais quanto pela chegada de reforços. Isso que os dois primeiros foram muito importantes em 2022, no vice-campeonato brasileiro, sob o comando de Mano Menezes.

Após chegar do Corinthians, Gabriel se identificou rapidamente com o Inter e se tornou peça chave do time de Mano, como primeiro volante de contenção em um time que jogava, muitas vezes, de forma reativa. Porém, ‘Ruf Ruf', como é apelidado, sofreu grave lesão no joelho no início de outubro de 2022, e só voltou a jogar em julho de 2023.

Além da falta de ritmo de jogo, com a chegada de Coudet, que privilegia jogadores mais técnicos, Gabriel foi para o final da fila, que tinha Johnny e Rômulo à sua frente. Com a venda do norte-americano para o Real Betis, da Espanha, no final do ano passado, Aránguiz foi recuado para a primeira função de meio-campo. Como consequência, ‘Ruf Ruf' recebeu apenas 20 minutos em campo até aqui no Campeonato Gaúcho, e a perspectiva é ainda pior com as chegadas de Bruno Gomes e, principalmente, de Fernando.

No caso de De Pena, que foi grata surpresa ao ser contratado como ponta e se destacar como segundo volante no vice-campeonato brasileiro de 2022, a crise técnica veio com força em 2023. O psicológico do uruguaio também foi afetado devido a um problema de saúde de seu pai. Muitas vezes improvisado como lateral esquerdo, ele perdeu pênaltis nas disputas contra América-MG, na Copa do Brasil, e River Plate, na Libertadores, e foi expulso contra o Corinthians, no Campeonato Brasileiro.

Mesmo que Coudet goste de De Pena, no início deste ano Hyoran foi contratado para ser o reserva imediato de Maurício — posto que o uruguaio ocupava até então. Na lateral esquerda, Thuan Lara foi reintegrado após ser afastado por se apresentar acima do peso na pré-temporada, e o Inter planeja contratar alguém para brigar por posição com Renê.

Contratação de Luiz Adriano raramente se justificou

Diferentemente de Gabriel e De Pena, que foram importantes em determinados momentos dessa passagem pelo Inter, o mesmo não pode ser dito de Luiz Adriano. Campeão mundial pelo Inter em 2006, o centroavante retornou ao clube em fevereiro de 2023, em momento de escassez de centroavantes, que tinha Alemão em mau momento e Lucca recém subindo do profissional.

O único momento de destaque de Luiz Adriano foi ao jogo que classificou o Inter para as oitavas de final da Libertadores do ano passado, quando marcou dois gols sobre o Independiente Medellín. Porém, com a chegada de Enner Valencia, foi para o banco de reservas, e não aproveitou as oportunidades recebidas. Não por acaso, a direção colorada buscou Alario e Borré para 2024. A gota d'água para o camisa 9 foi a péssima atuação contra o São Luiz, no início do Gauchão.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo