Brasil

Fluminense tenta depender menos de gols de Cano, que diminui média em 2024

Cano vê média de gols reduzir pela metade em 2024, e Tricolor tenta compensar com outros jogadores

O Fluminense continua irregular em 2024. Muito por conta da queda de rendimento de defesa e ataque em relação ao mágico 2023. Um jogador chama a atenção: Germán Cano. O argentino não está mal, mas vê sua altíssima média de gols diminuir.

Também, pudera. O atacante de 36 anos vinha de 84 gols em 131 jogos nas suas primeiras duas temporadas com a camisa tricolor, uma média de 0,64 por partida que era mesmo dificílima de manter. Em 2024, ele balançou as redes cinco vezes em 16 jogos, ou seja, reduziu o aproveitamento pela metade (0,32 gol por jogo).

Desse jeito, o técnico Fernando Diniz tenta fazer com que outros jogadores supram a necessidade de gols da equipe. Mas até aqui, mesmo com o setor bastante reforçado, o Tricolor registra uma queda coletiva na média de bolas na rede na temporada em relação aos últimos anos.

Fluminense vê dificuldade com centroavantes reservas

O artilheiro do Flu no ano é Lelê, que marcou seis vezes no Campeonato Carioca. Terceiro reserva, entretanto, ele sofreu grave lesão no joelho e pode voltar apenas no próximo ano.

Para piorar, o reserva imediato de Cano tampouco vive boa temporada. John Kennedy marcou apenas um gol pelo Fluminense em 2024, em cobrança de pênalti na derrota para o Botafogo, com time misto, no Carioca. O atacante convive com problemas extracampo e, desse jeito, não tem jogado bem.

Herói da conquista da Libertadores em 2023, o jovem completou 22 anos na última sexta-feira (19). O camisa 9 foi reintegrado após episódios de indisciplina e entrou nas últimas duas partidas. O Tricolor tem esperança de recuperá-lo para que ele possa ajudar a aumentar o poder de fogo no ataque.

Reserva imediato, John Kennedy marcou apenas um gol pelo Fluminense em 2024 - Foto: Icon sport
Reserva imediato, John Kennedy marcou apenas um gol pelo Fluminense em 2024 – Foto: Icon sport

Para 2024, o Fluminense contratou oito jogadores, sendo cinco deles jogadores ofensivos: Renato Augusto, David Terans, Douglas Costa, Jan Lucumí e Marquinhos. Mas ainda sofre para ser mais efetivo na frente.

Companheiros tentam compensar gols de Cano no Fluminense

Já que Cano não repete os tempos de Máquina de Gols que viveu entre 2022 e 2023, os companheiros tentam compensar no ataque. O Fluminense vê uma distribuição maior de seus gols em 2024.

Outros 15 jogadores já balançaram as redes na temporada, entre atacantes, meias e defensores. Lelê é o artilheiro com seis gols, e Arias divide a vice-liderança com Cano, com cinco. Abaixo do trio, mais cinco jogadores: Isaac, Marquinhos, Ganso, Lima e João Neto.

Herói do Fluminense na Recopa, Arias tem o mesmo número de gols que Cano em 2024 (Foto: Icon Sport)
Herói do Fluminense na Recopa, Arias tem o mesmo número de gols que Cano em 2024 (Foto: Icon Sport)

O último não está mais no elenco, emprestado ao CRB para a disputa da Série B. Já Lima poderia ser o terceiro com mais gols, mas teve uma bola na rede “roubada” por Terans na vitória sobre o Sampaio Corrêa.

De todo jeito, a média de gols do Fluminense também diminuiu. Em 2022, o Tricolor marcava 1,7 gol por jogo, aproveitamento que caiu ligeiramente durante 2023 para 1,6 gol por jogo. Já em 2024, a queda foi maior: o Flu marca 1,3 gol por partida.

Diniz testa variações no ataque do Fluminense

Nos últimos jogos, Fernando Diniz tentou muita coisa para dar mais presença de área ao Fluminense. Se no ano passado usou muitas vezes quatro atacantes com dois centroavantes por dentro, nesta temporada, jogou até sem nenhum.

Renato Augusto e Ganso já foram utilizados em funções mais avançadas no Fluminense em 2024 - Foto: Divulgação/CONMEBOL
Renato Augusto e Ganso já foram utilizados em funções mais avançadas no Fluminense em 2024 – Foto: Divulgação/CONMEBOL

Renato Augusto chegou a atuar como falso 9 em alguns momentos de 2024. Quem também passou a pisar mais na área e ficar ao lado de Cano no ataque é Ganso, que marcou dois gols na temporada e os dois de cabeça, como um centroavante. O camisa 10, por outro lado, acaba sacrificando sua função de organizador do time no meio-campo.

— A partir do momento em que o Ganso pisa mais na área, mesmo quando não faz gol, ele propicia que o Cano e outros jogadores tenham mais chances de marcar — afirmou Diniz, que, por outro lado, admite compensações:

— É o organizador central do nosso time, mas a gente sempre cobra que ele chegue mais na área, porque ele tem essa capacidade, tem boa finalização, é um cara grande, tem altura. No jogo contra o Bragantino e contra o Colo-Colo, o Cano não faz o gol, mas ele é importante porque está na área desviando a atenção de alguém. Acaba sobrando outro companheiro para fazer o gol — destacou Diniz após vitória sobre o Vasco, quando Ganso abriu o placar.

Como está o Fluminense em 2024

Próximos jogos do Fluminense

Veja os próximos confrontos do Fluminense na continuação da temporada:

  • Fluminense x Sampaio Corrêa — Copa do Brasil — quarta-feira, 22 de maio — 20h (de Brasília);
  • Fluminense x Alianza Lima — Libertadores — quarta-feira, 29 de maio — 21h30 (de Brasília).
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo