Brasileirão Série A

Lucas Silva surpreende e vira dono do meio de campo do Cruzeiro

Boas atuações de Lucas Silva fazem com que jogador caia nas graças da torcida - e do treinador Pepa

De volta ao Cruzeiro após três anos e meio no Grêmio, o volante Lucas Silva, de 30 anos, foi a melhor das notícias da janela de transferências de meio do ano celeste. Mesmo com a badalada contratação do meia Matheus Pereira — que se lesionou em sua estreia como titular — e as boas atuações do atacante Arthur Gomes, o camisa 16 é quem mais enche os olhos do torcedor dentre os reforços azuis.

Lucas Silva chegou ao Cruzeiro vindo de momento em baixa no Grêmio. No time gaúcho, o volante, que teve papel importante e participou ativamente da equipe em outros anos, havia perdido a titularidade e ficado quase dois meses sem jogar até rescindir com o tricolor e desembarcar em Belo Horizonte. Antes de reforçar o time de Pepa, Lucas Silva havia disputado somente 11 jogos em 2023, iniciando sete deles.

Uma vez contratado pelo Cruzeiro, que não precisou dar compensações financeiras ao Grêmio pelo jogador — Lucas Silva ainda aceitou um salário reduzido para voltar ao clube que o revelou —, o volante chegou à Toca da Raposa II sem muito alarde. Claro que por sua história na Raposa, onde conquistou dois Campeonatos Brasileiros (2013 e 2014) e duas Copas do Brasil (2017 e 2018), o jogador foi muito bem recebido pelos torcedores, que comemoraram seu retorno. Mas poucos poderiam imaginar que o camisa 16 atuaria de forma dominante tão rapidamente. Seu desempenho desde que retornou ao time estrelado impressiona:

Lucas Silva domina meio de campo do Cruzeiro

Já vestindo azul, Lucas Silva não entrou de cara no time. Mesmo festejado pela torcida, o volante não saiu do banco nas partidas contra Coritiba e Goiás, válidas pelas 15ª e 16ª rodadas do Brasileirão. Com o desempenho ruim do Cruzeiro nestes jogos, com atuações pouco convincentes dos meio-campistas escalados por Pepa, a presença de Lucas passou a ser cobrada mais enfaticamente ao treinador português.

Na partida seguinte, contra o Atheltico-PR, Lucas Silva fez sua reestreia pelo Cruzeiro, como titular, para não sair mais. Um dos melhores do time no empate em 3 a 3, Lucas terminou a partida com uma assistência, concedida em um lindo passe em profundidade para Wesley, e uma pré-assistência, já que foi o volante quem bateu o escanteio que Neris desviou, achando Arthur Gomes livre para marcar.

Lucas Silva ainda teve um aproveitamento de 91% nos passes, acertando 43 dos 39 tentados, deu cinco passes chave e acertou as duas bolas longas que tentou, sendo esta última uma das principais características mostradas pelo jogador neste retorno. O volante, além de armar o time, ainda teve bons números nos duelos travados.

A grande reestreia surpreendeu e Lucas Silva mostrou que tinha vindo pra ficar. No jogo seguinte, contra o líder Botafogo, com a suspensão do goleiro e capitão Rafael Cabral, o camisa 16 assumiu a braçadeira e guiou o Cruzeiro para mais uma ótima atuação. O resultado não veio — a partida terminou empatada em 0 a 0, graças a grande atuação do goleiro Lucas Perrei, do Glorioso —-, mas Lucas Silva voltou a desfilar classe e talento em campo. Mais uma vez com 91% de passes certos, 70 dos 64 tentados, e oito bolas longa certo, um aproveitamento de 100%, o jogador controlou o meio de campo com bastante eficiência, além de efetuar dois desarmes.

Após o empate contra o Botafogo, Lucas Silva foi perguntado pela reportagem da Trivela sobre sua relação com o Cruzeiro e se atuar pela equipe celeste é diferente para ele.

— Sem dúvidas (é diferente para ele atuar pelo Cruzeiro). Me sinto muito à vontade quando visto o manto celeste e isso já foi desde que eu cheguei nos treinamentos e isso reflete nos jogos — falou o jogador.

Sem deixar cair o ritmo, Lucas Silva segue jogando bem

Contra o Palmeiras, na rodada seguinte, Lucas Silva foi o melhor jogador do Cruzeiro em campo e só não terminou o jogo com números ainda mais positivos pois Wesley não aproveitou a grande chance criada pelo volante, que, após ganhar a bola em duas oportunidades no meio de campo e controlar, deixou o camisa 11 em ótimas condições de finalização. Lucas ainda distribuiu quatro passes chave e acertou as três bolas longas que tentou. O jogador ainda se destacou nos combates que travou durante a partida.

Na última partida do Cruzeiro no Brasileirão, o empate em 1 a 1 com o Corinthians, Lucas Silva foi o melhor jogador de linha da partida segundo os dados do Sofascore. Somente o goleiro Cássio, que fez sete defesas no jogo, teve nota ligeiramente maior. Mais uma vez, o volante se destacou na armação de jogadas, dando cinco passes chave e criando uma grande chance, não aproveitada por seus companheiros.

Como Lucas Silva tem atuado pelo Cruzeiro?

Desde que retornou ao Cruzeiro, Lucas Silva tem atuado como um construtor de jogadas, com bastante espaço para se movimentar entre as duas áreas, mas atuando principalmente à frente da linha de meio campo. Com espaço para circular e ler o posicionamento de seus companheiros e adversários, Pepa tem conseguido extrair do jogador o melhor de suas principais características: visão de jogo, precisão no passe e nos lançamentos longos.

Lucas tem conseguido distribuir bolas com velocidade, muitas vezes de primeira, o que tem sido uma arma importantíssima, já que o time celeste atua com pontas rápidos, que conseguem ser lançados pelo jogador, fazendo dos contra-ataques celestes armas de perigo.

Suas tarefas defensivas são não tão complexas e em nenhum dos jogos disputados pelo Cruzeiro em 2023, Lucas precisou ficar plantado na defesa ou marcar individualmente algum jogador. Como o volante Matheus Jussa tem sido o principal homem de contenção do meio de campo celeste, e Filipe Machado ajudando na marcação quando está em campo, o camisa 16 pode se concentrar na pressão para recuperar a bola e nos combates, em especial quando nenhuma das equipes conseguiu o controle total.

O retorno de Lucas Silva ao Cruzeiro é um alívio para clube e jogador. O volante vinha em baixa na carreira e voltando para “sua casa” consegue mostrar que ainda há muito por fazer. A maturidade demonstrada em campo reflete o auge de seus 30 anos e realmente a impressão passada é que o atleta se sente em casa vestindo azul.

Já o Cruzeiro ganhou uma peça importante, ainda em falta no elenco, que melhorou as atuações da equipe, dando mais verticalidade e controle no meio de campo. O time de Pepa ainda sofre com as más finalizações, mas muitos desses chutes tem saído após participações decisivas de Lucas Silva. Caso mantenha o ritmo imposto até o fim da temporada, o camisa 16 será, mais uma vez, peça importante na história do clube que o revelou para o mundo. E o próximo desafio é contra o Grêmio, ex-clube de Lucas, que preferiu não aproveitar o jogador em 2023. Mais uma oportunidade para o volante desfilar sua classe e ajudar a Raposa a reencontrar o caminho das vitórias.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo