Brasileirão Série A

Meio-campistas são boa notícia em empate frustrante do Cruzeiro

Quarteto formado por Matheus Jussa, Filipe Machado, Lucas Silva e Matheus Pereira se destacou contra o líder Botafogo

O Cruzeiro tem muito o que lamentar após o empate em 0 a 0 com o líder Botafogo, na noite deste domingo (6), no Mineirão. A partida, válida pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, teve amplo domínio celeste e os três pontos só não foram conquistados por causa da grande atuação do goleiro Lucas Perri.

Se por um lado o torcedor celeste irá lamentar o resultado frustrante, por outro poderá ter esperanças em resultados melhores, já que alguns pontos positivos podem ser tirados do resultado de hoje. Talvez o mais evidente deles seja a atuação dominante contra o líder isolado do Brasileirão.

Jogando para 45 mil pessoas no Mineirão, o Cruzeiro teve 67% de posse de bola, finalizando 13 vezes, sendo quatro na direção do gol de Perri, três grandes chances. O Botafogo, por sua vez, chutou duas vezes contra o gol de Anderson, substituto de Rafael Cabral, suspenso. Somente uma dessas finalizações chegou até o goleiro celeste, que encaixou com facilidade. A outra foi travada.

A outra grande notícia foi a atuação do meio de campo celeste, dominante no jogo e preponderante para o desempenho positivo da Raposa.

Matheus Jussa

Primeiro homem de meio-campo, Matheus Jussa fez uma boa partida na contenção do perigoso ataque botafoguense e se destacou na distribuição de jogo. Além disso, o camisa 18 ainda conseguiu se aventurar ao ataque, finalizando duas vezes. O jogador ainda acertou cinco das dez bolas longas que tentou.

+LEIA MAIS: Auxiliar de Pepa lamenta empate e acerta em análise: Cruzeiro merecia mais

Lucas Silva

O capitão do Cruzeiro fez uma grande partida, não só pelo ótimo aproveitamento nos passes (91,3%) e nem por ter acertado todas as oito bolas longas que tentou no jogo, com algumas delas deixando os companheiros em excelente condição no ataque.

Lucas Silva ainda desarmou, venceu duelos e orquestrou o time. Chamou a atenção a disposição e força do volante. O camisa 16 se apresentou para o jogo, pediu bolas e orientou os companheiros. Deu bronca quando necessário e fez valer a braçadeira recebida com a ausência de Rafael Cabral.

A chegada do jogador, que carregou a desconfiança de parte da torcida por ter deixado o Grêmio em baixa, parece ter sido um dos grandes acertos do Cruzeiro na janela que se fechou recentemente. O meio de campo da Raposa mudou desde que Lucas entrou e a transição da defesa para o ataque, que vinha deixando a desejar, voltou a ser um ponto forte da equipe.

Filipe Machado

Ainda criticado por parte da torcida celeste, Filipe Machado fez uma partida sólida e ajudou o time na construção de jogadas. O volante teve 87,2% de acerto nos passes, encaixou uma bola longa e fez interceptações e um desarme. Tem atuado mais avançado no esquema de três volantes e saiu aos 20 da segunda etapa para a entrada de Mateus Vital.

+LEIA MAIS: Cruzeiro dá destino a encostados e define elenco que termina 2023

Matheus Pereira

Estreando como titular do Cruzeiro e fazendo seu primeiro jogo no Mineirão, o meia Matheus Pereira deixou excelente impressão na partida. Participativo, o meia mostrou muita qualidade no passe, tendo 86,3% de acerto, e criando uma grande chance. Uma das principais qualidades do camisa 96, já demonstrada em outros clubes, é a capacidade de colocar os colegas em boa condição de fazer gols.

Além do índice de acertos de passe, vale ressaltar que muitos deles foram bolas difíceis, rápidas, em que o jogador teve pouco tempo para raciocinar e que, mesmo assim, encontrou soluções criativas e plásticas para resolver as jogadas.

Matheus Pereira ainda mostrou desenvoltura na hora de driblar e quase marcou seu gol numa cobrança de falta venenosa que Lucas Perri teve que se virar para defender.

Após dizer que precisaria de cerca de 15 dias para recuperar sua melhor forma, o jogador já dá sinais de que sua adaptação tem sido ainda mais rápida. Mesmo ainda não tendo as condições físicas e de ritmo de jogo ideais, Matheus atuou até os 29 minutos do segundo tempo da partida contra o Botafogo. Em sua estreia, contra o Athletico-PR, o camisa 96 jogou apenas dez minutos.

Perguntado sobre a situação física do atleta, Samuel Correia, auxiliar técnico que substituiu o suspenso Pepa, destacou que ele não sentiu fadiga e saiu em decorrência de uma pancada no joelho.

— Fomos perguntando como ele estava, desgaste, mas ele não saiu por causa disso. Houve um toque no joelho e isso o impediu de continuar no jogo. Nós estávamos cientes do que ele podia nos dar e a saída foi por causa do toque do joelho e não por causa de fadiga — explicou Correia.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo