Brasileirão Série A

Cruzeiro: entenda a lesão de Matheus Pereira e suas implicações

Jogador sofreu lesões nos ligamentos cruzado posterior e colateral medial do joelho esquerdo, durante confronto contra o Botafogo, pelo Brasileirão

Principal contratação do Cruzeiro na temporada, o meia Matheus Pereira fez, no último domingo (6), sua estreia como titular pela Raposa, no empate em 0 a 0 com o Botafogo — ele havia entrado nos minutos finais da partida contra o Athletico-PR, no dia 29 de julho —, e de quebra atuou pela primeira vez no Mineirão.

O momento, que tinha ares de festa, principalmente pelo bom desempenho do jogador durante o período em que esteve em campo, acabou se tornando de apreensão. Um choque com um adversário no campo de ataque celeste tirou Matheus Pereira do jogo, que já entrava em sua reta final, e acabou resultando em lesões no joelho esquerdo do meia.

O Cruzeiro confirmou, na manhã desta terça-feira (8), a lesão do jogador:

— O Cruzeiro informa que o atleta Matheus Pereira foi submetido a exames que constataram lesões nos ligamentos cruzado posterior e colateral medial do joelho esquerdo. O tratamento indicado para o caso é conservador, ou seja, sem necessidade cirúrgica. O atleta já iniciou a recuperação no Departamento de Saúde do Cruzeiro — comunicou o clube celeste.

+LEIA MAIS: O fechamento da janela no Brasil precisa ser repensado, com os próprios times prejudicados

Lesão de colateral medial (LCM)

A Trivela conversou com o fisioterapeuta desportivo Matthews Taveira (@lmatthewsfisio), especializado em prevenção e tratamento de lesões no esporte, para entender mais sobre as lesões de Matheus Pereira e as implicações destas para o prosseguimento da temporada do jogador.

Segundo Matthews, que trabalha pessoalmente com diversos atletas, entre eles o centroavante Gilberto, do Cruzeiro, as lesões de colateral medial (LCM) ocorrem quando existem traumas ou torções que forçam a articulação do joelho para dentro (valgo).

— Essa lesão gera uma dor medial no joelho, geralmente é bem forte, podendo gerar dificuldade para andar, dobrar e esticar a perna. A dor pode ser maior se forçarmos o joelho nesse movimento de valgo (para dentro). Pode ocorrer instabilidade articular (sensação de falseio no joelho) — explicou o fisioterapeuta.

O diagnóstico desse tipo de lesão geralmente é feito através de testes funcionais em conjunto com exames complementares. A lesão pode ser classificada em três partes, sendo elas:

  • Grau 1 (quando tem estiramento das fibras do ligamento)
  • Grau 2 (quando tem ruptura parcial dos ligamentos)
  • Grau 3 (quando tem a ruptura total do ligamento)

No grau 1 vai haver dor, mas sem instabilidade. No grau 2 pode haver instabilidade e no grau 3 tem uma instabilidade perceptível da articulação.

— O tratamento na sua maioria das vezes é conservador, sem necessidade de intervenção cirúrgica, tendo que observar algumas característica da lesão (se ela é aguda ou crônica, se ela tá associada a outra lesão, se tem instabilidade, qual o grau da lesão, entre outros fatores).

Ligamento cruzado posterior (LCP)

Matheus Pereira sofreu, também, uma lesão no ligamento cruzado posterior (LCP) do joelho esquerdo. Este é um dos ligamentos principais do joelho, que liga o fêmur à tíbia, e evita os movimentos de hiperextensão do joelho (deslocamento da tíbia para trás em relação ao fêmur).

— A lesão ocorre através de torções ou de trauma direto em que na maioria das vezes, gera uma hiperextensão do joelho. O atleta geralmente sente muita dor, tem um inchaço significativo (edema), dificuldade para movimentar o joelho (flexão e extensão), instabilidade articular e dificuldade em ficar de pé ou andar sem nenhum tipo de auxílio. O ideal é assim que diagnosticado a lesão, imobilizar para evitar a carga em cima desse ligamento e evitar que piore a lesão — explicou Matthews Taveira.

De acordo com o fisioterapeuta, a principal forma de diagnosticar as lesões de cruzado posterior são com exame físico, corroborado com exames de imagem.

— O tratamento vai depender do grau da lesão (se será conservador ou cirúrgico) e do grau de instabilidade que foi gerado no pós lesão, pois esse em conjunto com o ligamento cruzado anterior (LCA), são os principais ligamentos do joelho — completou Taveira.

Tempo de recuperação

Matthews Taveira informou que o tempo que a literatura diz para o tratamento conservador é de 6 a 8 semanas, podendo, de acordo com o tratamento realizado, esse prazo ser encurtado para 3 a 5 semanas, sem prejuízo algum para o atleta. O Cruzeiro não informa, oficialmente, o prazo de recuperação de seus atletas.

Caso Matheus Pereira fique oito semanas fora, costumeiramente o prazo máximo de recuperação, o jogador possivelmente perderia oito jogos, sendo os adversários: Palmeiras, Corinthians, Grêmio, Bragantino, Santos, Fluminense, América-MG e Cuiabá. Caso ele volte antes, com seis semanas, poderia atuar contra os dois últimos times citados.

Que consequências a lesão pode trazer ao jogador?

Matthews Taveira contou, também, que já tratou essa mesma lesão em outros atletas. Segundo ele, o caso mais recente foi o do volante Flávio, que esteve, inclusive, na mira do Cruzeiro na última janela de transferências. Apesar das sondagens, o jogador acabou fechando em definitivo com o Al Taawon, da Arábia Saudita, clube no qual esteve emprestado na temporada passada.

De acordo com o fisioterapeuta desportivo, após o encerramento do tratamento, Flávio não voltou a sentir o problema, conseguindo atuar normalmente após a liberação médica.

— Já tratei alguns atletas com essa lesão, e o último foi o Flávio Medeiros, que hoje está no futebol árabe. Conseguimos deixá-lo apto para as partidas com 18 dias. Mas trabalhávamos em três períodos durante esse processo. Ele conseguiu jogar o restante da temporada sem relatar nenhum tipo de dor que pode ser comum no retorno, como a batida de chapa na bola. Depois disso, não houveram recidivas, que são o reaparecimento de doenças ou sintomas, após período de cura — explicou o fisioterapeuta.

Matheus Pereira durante Cruzeiro x Botafogo
Matheus Pereira vinha fazendo bom jogo até se lesionar – Foto: Alessandra Torres/AGIF/Sipa USA/Icon Sport

Matheus Pereira e Tiquinho Soares tiveram a mesma lesão em Cruzeiro x Botafogo

Matthews Taveira apontou, ainda, que Matheus Pereira e Tiquinho Soares, grande destaque da campanha do Botafogo, líder do Brasileirão, sofreram a mesma lesão na partida de domingo (8), mas em contextos diferentes.

— A título de curiosidade, o Matheus Pereira e o Tiquinho Soares tiveram a mesma lesão no jogo do último domingo, porém com gatilhos iniciais diferentes. A de Tiquinho foi torção do joelho sem contato ou trauma, já a do Matheus Pereira foi um trauma direto — explicou o especialista em recuperação de lesões.

O Botafogo informou, na tarde dessa segunda-feira (7), que Tiquinho Soares ficará afastado por cinco semanas, aproximadamente, em decorrência da lesão sofrida.

— O atleta Tiquinho Soares foi submetido a exame de imagem que constatou lesão no ligamento colateral medial do joelho esquerdo. Não há necessidade de cirurgia e o prazo de recuperação será em torno de cinco semanas — publicou o clube carioca.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo