Ásia/Oceania

O que levou o Al Nassr de Cristiano Ronaldo a ser punido pela Fifa

Contratação feita em 2018 não foi paga e o clube de Cristiano Ronaldo e do técnico Luís Castro foi punido e está ameaçado de não poder inscrever contratações

O Al Nassr tem atraído manchetes pelo mundo por ter Cristiano Ronaldo e ser um dos quatro grandes clubes da Arábia Saudita que se tornaram estatais e recebem um grande investimento. Só que desta vez, o clube chama a atenção por outro motivo: tomou uma punição da Fifa por falta de pagamento ao Leicester por uma transferência antes dessa onda toda de contratações.

O caso é antigo, muito antes dessa injeção recente de dinheiro do governo saudita. Em 2018, o Al Nassr contratou o atacante Ahmed Musa, que estava no Leicester. O acordo era de um total de €18 milhões, além de outros €2 milhões em cláusulas variáveis de desempenho.

Musa foi contratado pelo Leicester logo depois que o clube surpreendeu o mundo ao conquistar a Premier League, na temporada 2015/16. Foi emprestado para o CSKA Moscou, seu ex-clube, antes de ser negociado em definitivo com o Al Nassr.

Musah seria dispensado dois anos depois, ao final do seu contrato, e jogou desde então pelo Kano Pillars, do seu país-natal, Nigéria, Karagümrük antes de se transferir ao Sivasspor, que defende desde 2022. Só que o Al Nassr segue sem resolver o problema do seu pagamento ao Leicester pelo jogador.

Al Nassr levou o caso à Corte Arbitral do Esporte

Pelo Al Nassr, Musa jogou 60 partidas e conquistou o título do Campeonato Saudita. Segundo o contrato de venda, o Al Nassr deveria pagar €200 mil a cada 20 jogos do jogador como titular. Dos 60 jogos, o nigeriano fez 49 como titular e o clube deveria pagar €460 mil. Foi a falta desse pagamento que o Leicester reclamou à Fifa e que levou à suspensão.

Ahmed Musa em ação pelo Leicester (Icon Sport)

A decisão sobre o caso já tinha acontecido em outubro de 2021, quando inicialmente o Al Nassr foi avisado que poderia sofrer a punição e não poder mais inscrever jogadores se não pagassem o valor devido ao Leicester. O caso foi até à Corte Arbitral do Esporte, onde o clube saudita foi derrotado e ficou determinado que teria que fazer o pagamento, o que não foi feito. Assim, sofreu a punição, que vale para transferências nacionais e internacionais. Ou seja: estrelas contratadas pelo clube não poderão ser inscritas.

A decisão original da Fifa estabelece que o clube não possa registrar jogadores por três janelas consecutivas. O Al Nassr foi avisado que o caso será levado ao Comitê Disciplinar da Fifa caso o pagamento não seja feito até o fim do prazo, no dia 31 de julho, segundo informado em documento da Fifa.

Al Nassr iniciou a onda saudita com Cristiano Ronaldo

Em janeiro, o Al Nassr surpreendeu ao anunciar a contratação de Cristiano Ronaldo, que tinha rescindido contrato com o Manchester United durante a Copa do Mundo. O português forçava a barra para sair e conseguiu. O movimento inicial causou muita estranheza, já que Ronaldo sempre falou sobre a importância de competir em alto nível. Só que o salário oferecido pelos sauditas, €200 milhões por temporada, se tornou determinante.

Meses depois, o que vemos é um movimento de muitos jogadores irem para a Arábia Saudita pelo mesmo motivo: salários exorbitantes. O Chelsea, particularmente, parece feliz em fazer uma redução do seu elenco com alguns deles indo para a Arábia Saudita, como Edouard Mendy e N’Golo Kanté, que recebiam salários altos.

Problemas para inscrever Brozovic?

Depois de ter contratado Cristiano Ronaldo em janeiro, o Al Nassr levou também o meio-campista Marcelo Brozovic, da Inter de Milão. Com a punição imposta pela Fifa, Brozovic, neste momento, não poderá ser inscrito para a próxima temporada da liga saudita, que começará no dia 11 de agosto.

O clube, que será comandado por Luis Castro, que deixou o Botafogo, líder do Brasileirão, recentemente, ainda está interessado em mais jogadores. Entre os nomes especulados está o meio-campista Paul Pogba, da Juventus, o que o clube italiano agradeceria aos céus se acontecesse. Pogba mal conseguiu jogar nesse seu retorno ao clube, com problema de lesão que o tirou até da Copa do Mundo. Quando voltou, não conseguiu render.

O atacante Hakim Ziyech, marroquino que foi destaque na Copa do Mundo e defende o Chelsea, onde mal jogou, é outro que foi especulado. Sua transferência, porém, acabou não acontecendo depois que o jogador não passou nos exames médicos.

Muito provavelmente, até o começo da próxima temporada o clube terá mais reforços, até pela quantidade enorme de dinheiro que está circulando no futebol saudita. E também porque Cristiano Ronaldo diz que quer ser campeão. Seu empresário, Jorge Mendes, tem feito diversos negócios para levar jogadores para o futebol do país do Oriente Médio. Não deve parar onde está.

Al Nassr é um dos quatro clubes estatizados pelo governo saudita

Em junho, o governo saudita anunciou um processo de estatização dos quatro maiores clubes do país. O PIF, Fundo de Investimento Público, do governo saudita, passou a ser dono de 75% dos clubes, com outros 25% pertencentes a uma associação ligada ao clube.

Os clubes estatizados na Arábia Saudita

  • Al Hilal
  • Al Ahli
  • Al Ittihad
  • Al Nassr

É justamente isso que está por trás dessa onda de dinheiro nos clubes sauditas, contratando diversos jogadores do futebol europeu e com a clara intenção de causar impacto com estrelas. Karim Benzema talvez tenha sido a maior delas, contratado pelo campeão saudita, Al Ittihad. O clube também tem Romarinho, destaque na última temporada, além de ter contratado N’Golo Kanté e o atacante Jota, que estava no Celtic (não confundir com o jogador do Liverpool, que segue por lá).

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo