Copa América

Técnico do Chile sobre Copa América no Brasil: “Parece um risco enorme”

Martín Lasarte, técnico da seleção chilena, criticou a mudança de sede da Copa América e alertou sobre os riscos em um continente que sofre com a pandemia de COVID-19

O técnico da seleção chilena de futebol, Martín Lasarte, se pronunciou nesta quarta-feira sobre a decisão da Conmebol de levar a Copa América para o Brasil, um dos países que mais sofre com a pandemia da COVID-19. Ele se une a Lionel Scaloni e Ricardo Gareca, técnicos de Argentina e Peru, que também questionaram a mudança, por diferentes motivos. A competição seria sediada na Colômbia e Argentina, mas o torneio saiu da Colômbia pelos protestos contra a reforma tributária e depois também saiu da Argentina pelo agravamento da pandemia. Se cogitou o cancelamento, mas o Brasil surgiu e definiu jogos em Cuiabá, Goiânia, Brasília e Rio.

“A situação teve uma série de mudanças estranhas”, disse o treinador da seleção chilena, se referindo às mudanças de programação e local. Para ele, é preciso “assegurar a maior proteção” e que os organizadores tenham “100%, não 99% de efetividade em relação a esses aspectos”. O uruguaio ainda foi além: “Se acontecer alguma coisa, vamos ver quem é que vai pendurar a medalha”.

“Já disse antes, mas agora acontece isso com o Brasil. Isso pode acontecer com qualquer pessoa e pode ser um de nós. Não é a mesma coisa um jogador de 25 anos se infectar e um membro da comissão técnica que seja mais velho. Me parece um risco enorme, a saúde está em primeiro lugar, no meu ponto de vista”, analisou Lasarte.

O técnico da Argentina, Lionel Scaloni, deixou claro que não gosta da situação. “Eu tenho uma opinião formada sobre isso tudo. Há muito tempo se falavam dos problemas que tínhamos como país para poder sediar a Copa América, do esforço que o governo, a AFA e todo mundo estava fazendo para tentar que se pudesse jogar na Argentina. A Colômbia, como todos sabemos, tinha saído. No final, se decidiu que não se realizasse aqui por uma questão de saúde, algo lógico, e resulta que agora vamos ao Brasil. Com isso, está tudo dito”, disse o treinador da Argentina.

Outro argentino, o técnico da seleção peruana, Ricardo Gareca, também foi crítico da situação. “O que me interessa é que haja seriedade. Eu acredito que toda a América do Sul está com problemas. Não acredito que haja um país na América do Sul que não tenha inconvenientes a respeito da pandemia. Não me parece justo que a Copa América seja jogada no país que se jogou anteriormente, não tanto pela pandemia. A pandemia está em todos os lados”, disse o treinador.

Havia motivos mais do que justos para questionar a existência desta edição da Copa América mesmo que não houvesse pandemia. Com a situação sanitária na América do Sul, mais ainda. A escolha do Brasil não faz sentido e deveria ser questionada – como toda o fato de jogar a competição em 2021, ainda sob a pandemia.

A Copa América está prevista para começar no dia 13 de junho. Ainda não se sabe em que cidade, nem que horário, nem que jogo será a abertura. Neste momento, a Conmebol não tem essas informações.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo