Copa América

Messi: “O Brasil com Neymar vai ser duríssimo. Sabemos do seu potencial e o que ele pode fazer”

Argentina se classificou de modo dramático à final da Copa América, onde terá um duelo enorme contra o Brasil de Neymar

A Copa América 2021 terá uma final marcante, mesmo em uma edição que nem deveria ter acontecido. A Argentina enfrentará o Brasil no Maracanã, em uma final que reunirá os dois principais craques do continente: Lionel Messi, pela albiceleste, e Neymar pela canarinha. Para chegar lá, a Argentina precisou passar pelo sofrimento dos pênaltis, depois de um empate por 1 a 1 no tempo normal. A vitória veio com participação decisiva do goleiro Emiliano Martínez.

A final será no sábado, dia 10 de julho, às 21h, e terá um palco importante. Messi busca o seu primeiro título pela seleção argentina, para também tirar um jejum que dura desde a Copa América 1993. Messi, particularmente, foi o craque da medalha de ouro olímpica em 2008, mas pelo time principal ainda tenta o seu primeiro troféu.

Messi tem sido decisivo para a Argentina na Copa América. Ele participou de 80% dos gols da Argentina no torneio e tem sido o esteio de uma seleção que se renovou e busca encontrar um novo time com o técnico Lionel Scaloni. Foi dele, inclusive, o passe para o gol de Lautaro Martínez no jogo contra a Colômbia. Ele teve participação direta em nove dos 11 gols da Argentina no torneio. Com quatro gols, Messi é também o artilheiro da competição até aqui. Além disso, são cinco assistências. Também é o jogador que mais deu passes para gol nesta edição.

O duelo com o Brasil é uma chance de ouro para a Argentina quebrar o jejum de 28 anos sem títulos pelo time principal. Um duelo, porém, que será duro para os dois times. A seleção brasileira é a atual campeã da Copa América. Conquistou o título em 2019, em edição realizada no Brasil, e com um jogo polêmico com a Argentina na semifinal.

A imprensa argentina tem criticado muito a arbitragem nesta edição, inclusive nomeando o VAR de “VARSIL”. Para além da rivalidade que já existe historicamente, o Brasil se tornou sede de um torneio que a Argentina é que deveria sediar, e não sediou porque o governo quis concentrar forças no combate à pandemia. Tudo isso cria um tempero a mais para o jogo, que reunirá as duas maiores estrelas atualmente do futebol sul-americano. E com Messi carregando um peso enorme pelo jejum de títulos.

“O Brasil com Neymar vai ser duríssimo. Sabemos do seu potencial e o que Neymar pode fazer individualmente”, afirmou Messi. “Sabíamos que seria difícil, sabíamos que eles viriam… Conseguimos o empate e os pênaltis são uma loteria, mas estávamos muito confiantes”.

O capitão da Argentina elogiou o goleiro Emiliano Martínez, que foi crucial na vitória dos pênaltis. Foram três defesas do goleiro do Aston Villa, que foi decisivo na disputa. “Temos um fenômeno no gol. Sabia que dois ele ia defender e não decepcionou. Ele merece, porque é um animal”, analisou Messi.

A classificação dá a Messi mais uma chance de conquistar um título pela seleção argentina. Será a terceira final que o camisa 10 jogará pela albiceleste, depois da Copa 2014, perdida na prorrogação para a Alemanha; e as finais da Copa América 2015 e da Copa América Centenário, em 2016.

Depois da sofrida partida contra a Colômbia em Brasília, Messi voltou a ressaltar o seu objetivo. “O que eu mais quero é ganhar algo com a seleção”, disse o camisa 10, depois do jogo. “Aproveitei muitos estes 45 dias duros, estamos muito felizes. Este grupo merecia”.

“Sempre tentei deixar tudo pela seleção, dar o máximo. Sempre luto por levantar a Copa. Eu tive que jogar várias finais. Mais além de ganhar ou perder, estivemos sempre até o último da Copa América e agora uma vez mais este grupo merece”, continuou.

Messi ainda comentou sobre Neymar ter afirmado que queria a Argentina na final da Copa América, porque tem amigos lá. “Eu sei que ele queria que eu estivesse na final porque é um amigo”, declarou o capitão argentino.

A final entre Brasil x Argentina será no sábado, 10 de julho, às 21h (horário de Brasília), com transmissão do SBT e da ESPN Brasil. Fique ligado na Programação de TV.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo