Copa América

Técnico ex-Premier League assume Canadá às vésperas da Copa América

Jesse Marsch, ex-Leeds e RB Leipzig, aceitou o convite da Seleção Canadense e terá a missão árdua pela frente

A Seleção Canadense anunciou, nesta segunda-feira (13), a chegada de seu mais novo técnico. Trata-se de Jesse Marsch, técnico estadunidense de 50 anos, que assinou vínculo válido até 2026. Ele comandará a equipe na Copa América 2024 e, caso cumpra o contrato, também ficará à frente do time na Copa Ouro da Concacaf em 2025 e na Copa do Mundo de 2026.

— Esta equipe vai empolgar toda a comunidade canadense. Vamos jogar com força e inspiração e vamos dar tudo. Estou ansioso para começar — disse Jesse Marsch em uma conversa por telefone com o secretário-geral da Canada Soccer, Kevin Blue, publicada em vídeo pela Seleção Canadense no X (antigo Twitter).

Jesse Marsch encontrará ambiente pesado no Canadá

Jesse Marsch, ao que tudo indica, terá muito trabalho pela frente. Isso porque, além de recuperar a confiança dos jogadores, o novo treinador precisará lidar com a crise que assola os bastidores da seleção há anos. É bem verdade que o Canadá conta com sua melhor geração da história. Afinal, foi este grupo de atletas que recolocou o país em uma Copa do Mundo após três décadas e meia, com direito a campanha expressiva nas Eliminatórias. Todavia, isso acabou ofuscado. O motivo? Um escândalo financeiro que abalou as estruturas da Federação Canadense de Futebol (CSA).

O escândalo citado envolve o terrível acordo firmado entre a federação e a Canada Soccer Business, que adquiriu os direitos de venda de transmissão e patrocínio da seleção até 2027. O negócio escancarou o desastre financeiro da CSA e conturbou todo o ambiente da equipe, uma vez que a CSA cortou custos e não cumpriu acordos de premiação com os jogadores, gerando uma tensão entre atletas e dirigentes.

Em meio a este cenário caótico, o Canadá acabou eliminado da fase de grupos da Copa do Mundo 2022. O técnico John Herdman foi demitido em agosto do ano passado e, desde então, a seleção não tinha um treinador permanente. Marsch chega, então, com a missão de acalmar os ânimos e ajeitar a casa.

Na tentativa de contornar a situação, a CSA divulgou acordo com os donos dos principais clubes do país (Toronto FC, Vancouver Whitecaps FC e CF Montréal), além de outros “embaixadores”. O objetivo central é equilibrar as contas e voltar a investir nas seleções masculina e feminina.

Carreira de Jesse Marsch

Tido por muitos como o melhor técnico estadunidense em atividade, Jesse Marsch teve uma rápida passagem pelo futebol canadense em 2012. Ele foi o primeiro técnico da história do Montréal Impact, então nova franquia da Major League Soccer (MLS) — atualmente CF Montréal.

Auxiliar de Bob Bradley na Seleção Norte-Americana entre 2010 e 2011, Marsch foi eleito o melhor técnico da MLS em 2015, quando comandou o New York Red Bulls. Posteriormente, iniciou sua trajetória na Europa ao aceitar o convite do RB Leipzig para ser auxiliar da equipe. Em junho de 2019, assumiu o comando do Red Bull Salzburg e fez sucesso por lá. Bicampeão austríaco, Marsch retornou ao Leipzig na temporada 2021/22, dessa vez como técnico principal, substituindo Julian Nagelsmann.

Seu último trabalho foi à frente do Leeds United, onde ficou de fevereiro de 2022 a fevereiro de 2023. Ao todo, comandou os Whites em 37 jogos, com 11 vitórias, 10 empates e 16 derrotas. Antes da Copa América, Jesse Marsch terá dois testes de fogo à frente do Canadá, contra Holanda e França, nos dias 06 e 09 de junho, respectivamente.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo