Copa América

Copa América 2024: caminho do Brasil, favoritos e quem pode surpreender

Veja todos os detalhes da Copa América de 2024, que acontece nos EUA e é chance de redenção do Brasil

Na última quinta-feira (7), a Conmebol sorteou os quatro grupos da Copa América 2024, disputada entre 20 de junho e 14 de julho em 14 sedes nos Estados Unidos. A Seleção Brasileira conheceu dois adversários e ainda ficará na expectativa da definição da repescagem entre Honduras e Costa Rica. A cerca de seis meses da competição, confira qual poderá ser a trajetória do Brasil, quem são os favoritos e os candidatos a surpreender.

O caminho do Brasil

Hoje, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não tem um presidente com a destituição de Ednaldo Rodrigues (por isso, não enviou representante ao sorteio) e também não sabe quem será o técnico na Copa América 2024. Fernando Diniz tem contrato de um ano, mas a confederação espera que, ao término do contrato com o Real Madrid em junho do próximo ano (mês da disputa da competição), Carlo Ancelotti assuma o selecionado brasileiro.

Com Diniz ou Ancelotti, a Seleção Brasileira, no grupo D, estreia em 21 de junho, no SoFi Stadium, em Inglewood, contra o vencedor de Costa Rica ou Honduras (o duelo de repescagem acontece em março de 2024). Sete dias depois, no Allegiant Stadium, em Las Vegas, terá o Paraguai, dono de campanha abaixo nas Eliminatórias, e fecha a fase grupos contra a Colômbia, algoz recente do Brasil, ao vencer por 2 x 1 com show de Luis Díaz.

O chaveamento até a final também está definido. Se terminar em primeiro, o Brasil viaja até o State Farm Stadium, em Glendale, para enfrentar nas quartas de final o segundo do grupo C (Uruguai, Estados Unidos, Panamá e Bolívia) – caso se classifique em segundo, cenário contrário: enfrenta o líder da outra chave novamente no Allegiant.

Na semifinal, imaginando que tenha sido líder do grupo D, o Brasil enfrentaria o vencedor do confronto entre o primeiro do C e o segundo do D. Na decisão, pode ser qualquer adversário das chaves A e B (que conta com a atual campeã Argentina)

Veja em detalhe os jogos da Seleção Brasileira na fase de grupos.

  • 21/06 – Brasil x Costa Rica/Honduras, no SoFI Stadium, 1ª rodada da fase de grupos;
  • 28/06 – Brasil x Paraguai, no Allegiant Stadium, 2ª rodada;
  • 02/07 – Brasil x Colômbia, no Levi's Stadium, 3ª rodada.

Os favoritos ao título da Copa América 2024

Atual campeã continental e da Copa do Mundo, a Argentina entra como o principal candidata ao título da Copa América. Donos da melhor campanha das Eliminatórias, os argentinos não tiveram um relaxamento no pós-Mundial e seguem como os mais competitivos da América do Sul. Há ainda um fator que pode pesar: pode ser a última Copa (América, com certeza, do Mundo, talvez) de Lionel Messi com a albiceleste e, talvez, até uma despedida do técnico Lionel Scaloni, que recentemente demonstrou cansaço da função.

Independente da fase que se encontra, a Seleção Brasileira sempre é uma favorita quando entra para jogar a Copa América. A capacidade do futebol brasileiro em revelar, a cada esquina, um bom jogador, num país de tamanho continental, o coloca muito a frente dos rivais da América do Sul. Seja com um trabalho de Diniz com maior duração ou o início da trajetória de Ancelotti, não se pode subestimar o Brasil, que no recorte desde 1997, é de longe a equipe que mais venceu a competição (cinco vezes).

Tirando a dupla que sempre entra como principal candidato ao título continental, temos um Uruguai extremamente promissor nas mãos de Marcelo Bielsa, técnico que assumiu pós-Copa. No momento, são três vitórias consecutivas, incluindo uma em cima da Argentina em plena La Bombonera e do Brasil, quebrando um jejum de 22 anos sem vencer os brasileiros em Montevidéu. Com apenas uma derrota, a Seleção Uruguaia está em segundo nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2026 com 13 pontos (dois a menos que os argentinos).

Além do óbvio fator dos resultados que conseguiu até aqui, Bielsa tem muito mérito nova cara que deu ao Uruguai, agora um time extremamente intenso, de transições rápidas e muito jovem (média de idade sempre na cada dos 25 anos), tudo isso sem os históricos atacantes Edison Cavani e Luís Suárez – este, até foi convocado na última Data Fifa e jogou 17 minutos contra a Bolívia.

Quem pode surpreender?

Dentre quem pode dar um trabalho para as favoritas e até causar problemas no mata-mata está a Colômbia, a única seleção invicta nas Eliminatórias Sul-Americanas e ainda bateu o Brasil por 2 x 1. Treinada pelo argentino Néstor Lorenzo (ex-auxiliar de José Pekerman), o selecionado tem bons valores individuais, especialmente do meio para frente, como Luis Díaz, Rafael Borré e Matheus Uribe, além dos conhecidos do futebol brasileiro, casos de James Rodríguez, Jhon Arias e Richard Ríos.

O Equador, basicamente a terceira força da América do Sul nos últimos anos, também entra como uma possível surpresa. Nas Eliminatórias, Félix Sánchez soube renovar a escalação como fez Bielsa, e mandou a campo em algumas partidas um time com média de idade de 24 anos. Moisés Caicedo, 22, Piero Hincapié, 21, Kendry Páez, 16 (!), Kevin Rodriguez, 23, Willian Pacho, 22, são todos nomes que estão na Europa ou vão quando completar 18 – caso de Páez, negociado com o Chelsea. O técnico espanhol também soube unir a jovialidade com a experiência de Robert Arboleda, Júnior Sornoza e Enner Valencia.

México, Peru e Chile são seleções em péssimo momento, dificuldade de renovação em diversas posições e não devem causar problemas. Estados Unidos e Canadá, times de bom nível na América do Norte e Central, encontraram dificuldades quando competiram contra selecionados mais técnicos, mas podem ter um bom teste antes de serem a sede da Copa do Mundo de 2026.

Todos os grupos da Copa América 2024

Grupo A

  • Argentina
  • Peru
  • Chile
  • Trinidad e Tobago/Canadá

Grupo B

  • México
  • Equador
  • Venezuela
  • Jamaica

Grupo C

  • Estados Unidos
  • Uruguai
  • Panamá
  • Bolívia

Grupo D

  • Brasil
  • Colômbia
  • Paraguai
  • Honduras/Costa Rica
Imagem
(Foto: Divulgação/Conmebol)

Os maiores campeões da Copa América

  1. Argentina e Uruguai – ambos com 15;
  2. Brasil – 9;
  3. Paraguai, Chile e Peru – todos com 2;
  4. Bolívia e Colômbia – ambos com 1.
Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo