Premier League

Ansu Fati é o trunfo inesperado de um Brighton ainda mais promissor e empolgante

O Brighton convenceu Ansu Fati a se provar na Inglaterra e o ponta pode recuperar seu melhor no ofensivo time de Roberto de Zerbi

A camisa 10 às costas representa o moral que Ansu Fati um dia desfrutou no Barcelona. O garoto explodiu em tempos difíceis do clube e acabou eleito como herdeiro do místico número, vago a partir da saída de Lionel Messi. Entretanto, o desenvolvimento da carreira do atacante no Camp Nou seria atravancado. As lesões atrapalharam demais Ansu Fati, assim como o ponta não desfrutou do mesmo respaldo desde a chegada de Xavi ao comando técnico. E, sem grande sequência recente no Barça, uma mudança de ares parece bem-vinda a esta altura. O jovem de 20 anos poderá se provar na Premier League, como novo ás na manga do Brighton.

A mudança de Ansu Fati para o Brighton é ocasional. O ponta assina por empréstimo até o final da temporada, sem opção de compra das Gaivotas por enquanto. O clube pagará 80% de seu salário, estimado em €186 mil semanais. Será uma boa maneira para o jovem ganhar minutos e mostrar seu talento numa liga mais forte. Estará num clube que dá espaço a jovens e, melhor ainda, pratica um futebol ofensivo sob as ordens de Roberto de Zerbi. Enquanto isso, o Barcelona também aproveita o movimento. Poderá ver como será a afirmação de Ansu Fati para voltar ao elenco e, caso isso não aconteça, poderá valorizar o garoto para uma venda futura.

De Zerbi ligou para convencer Ansu Fati e explicar como vê o garoto dentro do Brighton. Enquanto isso, Xavi também ligou para liberar o atacante, ao dizer que não tinha como garantir mais minutos em campo diante da concorrência no elenco. A escolha do espanhol é natural, considerando a diferença de tratamento. O jovem passou os últimos dias com a família, para definir seu futuro. Também teve propostas de outros clubes espanhóis, mas a chance de disputar a Premier League era atrativa. O projeto do Brighton o fisgou, mesmo com o interesse de Tottenham e Chelsea por sua compra.

Ansu Fati estourou no Barça, mas caiu em desencanto

Ansu Fati nasceu em Bissau e se mudou para a Espanha aos seis anos. Primeiro morou na Andaluzia e por lá defendeu as categorias de base do Sevilla quando tinha oito anos. A chegada ao Barcelona aconteceu aos dez anos, virando um dos destaques de La Masía. Já a estreia no time principal se deu aos 16, com direito a dois gols nas três primeiras partidas – tornando-se o mais jovem na história do Barça a balançar as redes. Pouco depois, também quebrou o recorde de precocidade como mais novo a anotar um gol na Champions League. A explosão garantiu olhares especiais a Fati e também muitos holofotes.

Em sua primeira temporada, Ansu Fati anotou oito gols pelo Barcelona. Conquistou a Copa do Rei, mas estava presente também nos 8 a 2 do Bayern de Munique pela Champions League 2019/20. Já a segunda temporada, em 2020/21, começou até melhor. Emendou partidas com gols ou assistências, a ponto de ser premiado como o melhor jogador de La Liga em setembro de 2020. A ascensão seria interrompida em novembro, com uma séria lesão no menisco que o tirou do restante da temporada. Foram nove meses no estaleiro. O retorno em 2021/22 demandou paciência.

A esta altura, Ansu Fati havia herdado a camisa 10 de Messi. O atacante voltou bem, com novos gols por La Liga entre setembro e novembro de 2021. Contudo, uma nova contusão o tirou do time por mais três meses, agora com um problema muscular. Retornou apenas na reta final de La Liga 2021/22, quando Xavi Hernández tinha assumido o comando. A temporada passada, a primeira completa sob as ordens do novo treinador, foi também a primeira com Fati novamente saudável. O que não garantiu tanto espaço. Xavi foi cauteloso na retomada do garoto e isso causou rusgas, mesmo que não tenha atrapalhado a presença do prodígio na Copa do Mundo e também na conquista da Liga das Nações pela seleção espanhola.

Ansu Fati disputou 51 partidas pelo Barcelona na temporada passada, mas foi titular em apenas 14 compromissos. O ponta deixou sua marca na conquista de La Liga, com sete gols e quatro assistências, importante especialmente nas primeiras rodadas. Mas não que isso criasse uma relação de confiança com Xavi. O treinador manteve Raphinha e Ousmane Dembélé como suas opções principais na ponta. Insatisfeito com a falta de minutos, que melhoraria seu ritmo competitivo, Fati passou a considerar novos destinos. O atacante se via empacado na hora de apresentar seu melhor.

A atual temporada até parecia garantir brechas a Ansu Fati no Barcelona. A saída de Dembélé poderia auxiliar o jovem na hierarquia, mas não foi isso que se notou. Ele saiu do banco nas três primeiras rodadas de La Liga, sem impacto. Passou despercebido enquanto os maiores interesses se concentram agora em outro garoto de La Masía, Lamine Yamal, de 16 anos. Xavi também não parecia propenso a grandes esforços para segurar Fati como o camisa 10 do time. Neste momento, o empréstimo rumo à Premier League se sugere como decisão mais ponderada para todas as partes.

O que o Brighton ganha com Ansu Fati

A contratação de Ansu Fati, mesmo que por empréstimo, aponta o prestígio do Brighton. Não é pouca coisa ganhar a concorrência por uma promessa do Barcelona, que certamente poderia se provar num clube de mais peso. Um atrativo dos alviazuis é o ambiente, diante do trabalho estável desenvolvido desde os tempos de Graham Potter. Roberto de Zerbi potencializou o futebol do Brighton e o estilo ofensivo se torna mais um chamariz. Além disso, é uma equipe que agora figura na Liga Europa, com a vitrine continental. Servirá para Fati e também para outros tantos talentos à disposição.

O Brighton recebeu €187,5 milhões na atual janela de transferências, em dinheiro alavancado por três vendas: Moisés Caicedo e Robert Sánchez ao Chelsea, além de Alexis Mac Allister ao Liverpool. Há uma dúvida natural sobre a maneira como o time lidará com as perdas no meio-campo. Entretanto, o mercado também rendeu bons negócios além de Ansu Fati. O reforço mais caro foi o atacante João Pedro, que fazia hora extra no Watford. Carlos Baleba é uma jovem alternativa para o meio-campo, comprado do Lille. O gol ganhou o promissor Bart Verbruggen, destaque do Anderlecht. Já a defesa tem agora Igor, que veio da Fiorentina para suprir o fim do empréstimo de Levi Colwill. As Gaivotas ainda pinçaram Mahmoud Dahoud e James Milner sem contrato.

A capacidade competitiva do Brighton se viu neste início de campanha na Premier League. O time de Roberto de Zerbi emplacou goleadas contra Luton Town e Wolverhampton, apesar do chacoalhão na rodada passada contra o West Ham. É uma equipe bem estruturada, com a espinha dorsal formada por Lewis Dunk, Pervis Estupiñán, Pascal Gross, Solly March e Kaoru Mitoma. Uma pena somente a lesão no menisco de Julio Enciso, que fazia um início de temporada sensacional. Ansu Fati não é uma reposição direta, mas compensa em termos de habilidade.

A dúvida fica para o encaixe de Ansu Fati. O espanhol costuma atuar na ponta esquerda, posição na qual teria a concorrência pesadíssima de Kaoru Mitoma. Por tudo o que jogou na última temporada e pelas maravilhas que já fez nesse início de Premier League, não tem como tirar o japonês da equipe titular. Desta maneira, Ansu Fati tende a ser uma alternativa para a Liga Europa ou então para ser deslocado a outro setor. Roberto de Zerbi certamente saberá como aproveitar mais um talento em suas mãos.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo