Premier League

Chelsea precisava de um goleiro e Robert Sánchez é um bom negócio a todas as partes

Robert Sánchez virou reserva no Brighton, mas é um goleiro que mostrou potencial e chega para repor a saída de Edouard Mendy

O Chelsea precisava de um novo goleiro depois da saída de Edouard Mendy (que foi para o Al Ahli, da Arábia Saudita) e encontrou uma solução, depois de dias de negociação. O clube anunciou a contratação de Robert Sánchez, goleiro espanhol de 25 anos do Brighton, em um contrato de sete anos. Os Blues pagaram £25 milhões para levar o jogador para Stamford Bridge, onde ele será uma sombra para o titular, Kepa Arrizabalaga, seu compatriota.

Os clubes chegaram a um acordo no começo desta semana, depois de semanas de negociações. Sánchez não foi relacionado para a pré-temporada do Brighton nos Estados Unidos. Além disso, ele tinha perdido espaço para Jason Steele como titular do time comandado por Roberto De Zerbi. Por isso, sua negociação era vista como boa para o clube do sul da Inglaterra para fazer dinheiro.

Ao mesmo tempo, o Chelsea considera que fez um bom negócio. Contratou um goleiro relativamente jovem, com 25 anos, por um valor bastante razoável, dentro de um mercado cada vez mais inflacionado. Os £25 milhões parecem um negócio até tranquilo se considerarmos as transferências que os próprios Blues fizeram nas últimas janelas.

“Estamos muito satisfeitos em dar as boas-vindas a Robert ao Chelsea e ele adiciona ainda mais qualidade à nossa unidade de goleiros. Robert repetidamente se provou na Premier League e foi convocado para a seleção do seu país. Estamos empolgados em o assistir trabalhar com Mauricio (Pochettino, técnico da equipe) durante a temporada à frente”, afirmaram os diretores esportivos Paul Winstanley e Laurence Stewart, em comunicado do clube.

Sánchez é um jogador para ser reserva, inicialmente. Kepa conquistou o seu lugar no time na temporada passada, quando desbancou o então titular Edouard Mendy, e é um jogador que já está estabelecido no clube. Sánchez, porém, traz algo que o Chelsea precisava: um reserva que seja confiável e versátil para atuar com os pés, quando necessário. Por isso, acaba sendo uma boa contratação, com um preço razoável.

Robert Sánchez: Um espanhol com formação inglesa

Robert Sánchez é nascido em Cartagena, cidade na costa sul da Espanha. Seu pai é de origem inglesa e jamaicana, enquanto a sua mãe é espanhola. Passou os primeiros anos da sua vida na cidade em que nasceu, atuando pela Escuela de Fútbol de Santa Ana, antes de integrar as categorias de base do Levante. Só que a sua carreira seria mesmo na Inglaterra.

Aos 15 anos, ele se mudou para a Inglaterra e passou a fazer parte das categorias de base do Brighton. Assinou o seu primeiro contrato profissional pelo clube em junho de 2015. Sua estreia como profissional aconteceu pelo Forest Green Rovers, na temporada 2018/19.  Ele jogou 17 partidas na League Two, a quarta divisão inglesa.

Na temporada seguinte, 2019/20, foi emprestado ao Rochdale. Foi por lá que teve uma atuação de destaque contra o Manchester United, pela Copa da Liga, ao garantir o empate no tempo normal e decidir a classificação nos pênaltis. Os Red Devils avançaram, mas a atuação do goleiro ficou marcada.

Sánchez então voltou ao Brighton, onde passou a ser aproveitado no time principal. Fez 90 jogos pelo clube, sendo um destaque constante desde 2020. Na última temporada, porém, perdeu espaço e passou a ter uma disputa com a diretoria do clube. Foi afastado e perdeu espaço. Jason Steele passou a ser o titular do time. Nos últimos 16 jogos pela Premier League, Sánchez jogou apenas um, sendo que ficou 10 partidas no banco e os últimos cinco ficou fora por lesão.

Fez dois jogos pela seleção espanhola ao longo da carreira. Seu primeiro jogo veio com o técnico Luis Enrique, no dia 5 de dezembro de 2021. Foi em um jogo das Eliminatórias da Copa do Mundo contra a Geórgia e o goleiro entrou no final, atuando apenas por 16 minutos.

Jogaria também um amistoso contra a Jordânia, no dia 17 de novembro de 2022, pouco antes da Copa. Copa, aliás, que o goleiro esteve presente, convocado, mas ficou no banco em todas as partidas. Ficou no banco também nas Eliminatórias da Eurocopa, em março de 2023, mas não foi convocado para a fase final da Liga das Nações, em junho, quando a Espanha conquistou o título diante da Croácia.

Sánchez se reencontrará com um profissional que ele gostou muito de trabalhar: o treinador de goleiros Ben Roberts, que também já trabalhou no Brighton.

Roberto Sánchez é anunciado pelo Chelsea (divulgação/Chelsea FC)

Movimentação intensa do Chelsea na janela

Robert Sánchez é a sétima contratação do Chelsea nesta janela de transferências. O time já trouxe o atacante Christopher Nkunku, do RB Leipzig, Alex Disasi, do Monaco, Nicolas Jackson, do Villarreal, Lesley Ugochukwu,  do Rennes, Angelo, do Santos, e Diego Moreira, jovem do Benfica, que não deve ser aproveitado na equipe principal inicialmente.

A principal mudança, porém, foi a chegada de Mauricio Pochettino, técnico de 51 anos, que tentará dar um pouco de organização ao caos que o Chelsea viveu na temporada passada. Com um elenco inchado, o técnico teve que tomar algumas decisões difíceis junto com a diretoria para negociar jogadores.

Saíram Kai Havertz para o Arsenal, Mason Mount para o Manchester United, Mateo Kovacic para o Manchester City, Kalidou Koulibaly para o Al Hilal, Christian Pulisic para o Milan, Ruben Loftus-Cheek para o Milan, N’Golo Kanté para o Al Ittihad, César Azpilicueta para o Atlético de Madrid, Pierre-Emerick Aubameyang para o Olympique de Marseille, Ethan Ampadu para o Leeds e David Datro Fofana, que foi emprestado ao Union Berlim.

Ainda é esperado que haja mais movimentações do Chelsea, especialmente em saídas. O time tem muitos zagueiros e deve liberar ao menos um deles para sair. Ainda há a possibilidade de contratação do centroavante Deivid Washington, do Santos.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo