Premier League
Tendência

O que o novo contratado Christopher Nkunku traz ao bagunçado Chelsea

Aos 25 anos, Nkunku era uma contratação acertada desde o ano passado, mas chega em um Chelsea que foi muito bagunçado na temporada

O atacante Christopher Nkunku foi anunciado como novo jogador do Chelsea. Os Blues pagaram a cláusula de rescisão do jogador, de mais de €60 milhões, segundo The Athletic, e assinou contrato de seis anos com Nkunku. Uma ótima contratação pelo que fez no RB Leipzig, inclusive por características diferentes, mas o desafio é conseguir equilibrar um elenco muito inchado e em um clube que foi tão bagunçado e pareceu tão perdido na temporada que terminou.

Era uma contratação fechada há muito tempo, ao menos desde outubro de 2022, mas o anúncio só foi feito agora, após os dois jogos da seleção francesa nesta data Fifa. Ele será integrado ao elenco comandado por Mauricio Pochettino, novo técnico do Chelsea.

“Estou incrivelmente feliz em chegar ao Chelsea. Foi feito um grande esforço para me trazer ao clube e estou ansioso para conhecer meus novos companheiros e o novo técnico e mostrar aos torcedores do Chelsea o que posso fazer em campo”, afirmou o jogador ao site do clube.

“Tendo jogado na Ligue 1 e na Bundesliga, agora quero jogar na Premier League, uma das ligas mais fortes do mundo. Estou muito empolgado por este desafio e ficarei orgulhoso de vestir a camisa do Chelsea”, continuou o jogador.

“Christopher provou ser um dos jogadores de ataque de destaque no futebol europeu nas últimas duas temporadas e vai agregar qualidade, criatividade e versatilidade ao nosso time”, afirmaram Laurence Stewart e Paul Winstanley, os diretores esportivos do Chelsea. “Ele demonstrou sua habilidade no mais alto nível com o RB Leipzig e na França e estamos ansiosos para que ele se junte a seus novos companheiros antes da nova temporada”.

Nas últimas temporadas, Nkunku se transformou em um atacante bastante completo. Surgiu como um jogador de velocidade pelas pontas, mas passou a ser versátil e atua em qualquer posição do ataque, inclusive como referência, até pelo alto número de gols que marca. Também atuou como meia ofensivo, embora menos vezes. O processo para chegar a isso, porém, foi longo.

O jogador foi formado na academia de futebol de Clairefontaine, da Federação Francesa, e iniciou a sua carreira no Paris Saint-Germain. Foram 78 jogos pelo clube, na maioria das vezes vindo do banco de reservas. Depois de jogar mais nas temporadas 2017/18 e 2018/19, chamou a atenção. Pouco aproveitado no clube da capital francesa, se transferiu para o RB Leipzig em 2019 por €13 milhões.

No RB Leipzig, Nkunku se desenvolveu. Na primeira temporada, 2019/20, fez cinco gols e 16 assistências em 44 jogos. Ele já mostrava o seu potencial. Na segunda temporada, 2020/21, marcou sete gols e deu 11 assistências em 40 jogos. A explosão mesmo aconteceu na temporada seguinte, 2021/22. Foram 52 jogos e impressionantes 35 gols, além de 20 assistências. Uma temporada absolutamente fenomenal do jogador, que foi o que despertou o interesse de muitos clubes – e fez com que o Chelsea fechasse a sua contratação com tanta antecipação por um valor até acima da sua multa contratual.

Na temporada 2022/23, que acaba agora, o jogador sofreu com lesões, uma delas que inclusive o tirou da Copa do Mundo e, curiosamente, abriu espaço para Randal Kolo Muani, que acabou tendo um papel importante na Copa, tanto com gol na semifinal contra Marrocos quanto com o lance decisivo na final contra a Argentina, quando ele finalizou e o goleiro Emiliano Martinez faz uma defesa incrível para impedir a vitória francesa.

Na temporada completa, Nkunku fez 36 jogos, marcou 23 gols e fez nove assistências. O Chelsea ganha um jogador que é bastante interessante e versátil. É muito rápido, mas é também acostumado a fazer muitos gols. Em certo aspecto, tem algo como Raheem Sterling, mas se mostrou mais artilheiro, mais forte e mais completo também.

Os demais pontas são bem diferentes. Christian Pulisic é um jogador de drible e velocidade, mas não faz tantas assistências e não é bom finalizador. Hakim Ziyech é um jogador criativo, de assistências, mas não tem velocidade e nem é um grande finalizador. Mykhaylo Mudryk é um jogador que custou muito dinheiro e é mais criativo do que veloz ou finalizador.

A grande questão para Nkunku, ou mesmo para qualquer jogador que chegue ao Chelsea, mesmo os do mais alto nível, é como se encaixar em um elenco tão inchado e em um clube que mostrou tamanha incompetência, tanto em termos administrativos e de contratações quanto em campo, com um time que ficou muito aquém do que se imaginava e sem sequer conseguir uma classificação europeia.

Por isso, é difícil projetar onde e como Nkunku pode jogar no Chelsea, porque com a mudança de técnico e com a possível saída de diversos jogadores, o que veremos é um time completamente novo. Seja como for, Nkunku chega para ser titular e tende a ser uma arma importante a um time que tinha tanta dificuldades em fazer gols na temporada passada.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo