Eliminatórias da Copa

Rodrygo deve substituir seu ídolo Neymar em chance de ouro para confirmar novo patamar na Seleção

Sem Neymar, Diniz deve optar por centralizar Rodrygo na Seleção para jogos contra Colômbia e Argentina

Rodrygo tinha dez anos de idade quando migrou das quadras de futsal aos gramados da Baixada Santista. O garoto franzino que deixava sentados seus marcadores via Neymar fazer o mesmo com os defensores já no time principal do Santos. A idolatria foi tão natural quanto instantânea, de um Menino da Vila para outro. Mais de uma década mais tarde, o atacante virou companheiro e agora deve ser substituto do ídolo na seleção brasileira.

Conforme apurado pela Trivela, Fernando Diniz deve optar por centralizar Rodrygo na vaga que costuma ser de Neymar nos jogos contra Colômbia e Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2026. O camisa 10 acaba de passar por uma cirurgia para reconstrução do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo e será desfalque por um bom tempo.

Rodrygo quer confirmar mudança de patamar na Seleção (Foto: VItor Silva/CBF)

Será a chance para o Raio confirmar de vez a sua mudança de status com a camisa do Brasil. Reserva e pouco utilizado por Tite durante o ciclo da última Copa, Rodrygo virou titular absoluto e um dos pilares da equipe de Diniz. Tanto que ele iniciou os quatro jogos sob o comando do treinador até agora.

– Como vocês sabem, é uma pressão grande, mas a gente lida de uma forma tranquila, porque está acostumado. Vestimos a camisa da maior seleção do mundo, mas também jogamos nos maiores clubes do mundo, lá tem pressão quarta e domingo. E eu me enxergo com mais pressão, cada vez tendo mais responsabilidade, é uma pressão boa, saber que esperam algo de você, contam com você. É assim que me enxergo no novo ciclo, espero corresponder à altura – afirmou o atacante em entrevista na última Data Fifa.

Rodrygo é expoente do Dinizismo na Seleção

Ao lado de Marquinhos, o Rayo perdeu um dos pênaltis que decretaram a eliminação do Brasil para a Croácia na Copa do Mundo de 2022. Mas a mudança de chave foi imediata. Coube justamente a ele, em uma das voltas poéticas que o futebol gosta de dar, marcar o primeiro gol da Seleção sob a nova direção de Diniz. E foram logo dois gols, além de uma assistência, na goleada por 5 a 1 sobre a Bolívia, na última sexta-feira (8), no Mangueirão.

Mas o entendimento do atacante sobre o estilo de jogo do treinador vai além dos gols e das assistências. Rodrygo costuma atuar aberto pela direita na Seleção. Uma posição que é apenas de “origem”. O atacante tem liberdade de movimentação e apareceu com frequência pela esquerda ao lado de Vini Jr e também centralizado. Trata-se de uma orientação do treinador, seguida à risca pelo Raio.

–  O Diniz deixou claro que quer que eu esteja sempre perto da bola. O principal de tudo é jogar onde vai ter espaço, muitas vezes não vai ter por dentro, vou ter que ficar aberto. E quando aberto estiver ruim, é para ir para dentro, movimentar. A explicação é essa, jogar onde tem espaço. É sempre importante você conseguir fazer muitas funções, sempre deixei claro essa facilidade que tenho para jogar nas pontas, só não gosto de jogar de 9, no clube estou tendo que fazer. Aqui na Seleção, posso cair por todos os lados do campo, isso tem ajudado meu jogo, é importante fazer todas, isso aumenta suas chances de não ser substituído. É importante para mim – analisa Rodrygo.

Rodrygo já atuou no lugar de Neymar até mesmo na Copa do Mundo (IconSport)

Todas essas características credenciam o atacante à vaga de Neymar nos dois jogos da Data Fifa. O próprio Fernando Diniz já disse em entrevista que Rodrygo é uma “possibilidade” para a vaga do camisa 10 por tudo o que fez em campo nos jogos das Eliminatórias até agora.

– Ficar sem o Neymar é sempre muito ruim, é um prejuízo para o futebol brasileiro e para o futebol como um todo. Trata-se de um gênio do futebol, um dos grandes jogadores da história, essa é a minha opinião. O Rodrygo é uma possibilidade porque ele já jogou muito em aproximação com o Neymar, mas ainda não tem nada definido – admite o treinador.

A versatilidade, aliás, já foi trunfo do atacante para ir à última Copa do Mundo. Tite o convocou como um “curinga” da Seleção. Tanto que o jogador substituiu Neymar na equipe durante o Mundial, na partida contra Camarões, quando o Brasil foi a campo com reservas.

Chance de ouro vem com Rodrygo em alta

Rodrygo tem a chance de ouro de confirmar a mudança de status na Seleção contra a Colômbia e principalmente no clássico contra a Argentina de Lionel Messi, atual campeã do mundo, no Maracanã. E o momento para isso não poderia ser melhor.

Após viver um início de temporada abaixo do esperado, Rodrygo parece começar a deslanchar pelo Real Madrid – ao lado de Vini Jr, diga-se. Com dois gols cada, a dupla passou por cima do Valencia em uma goleada por 5 a 1 no Estádio Santiago Bernabéu. O Raio, aliás, deu duas assistências nesta partida. Os dois já haviam brilhado no jogo anterior, contra o Braga pela Champions League. Não à toa, Carlo Ancelotti se derramou em elogios aos brasileiros no último sábado (12).

– Vinícius e Rodrygo voltaram ao seu melhor nível. Eles precisavam de tempo e se saíram muito bem nas últimas partidas. Jogaram com uma qualidade extraordinária. Dá para dizer que eles voltaram. Quando Rodrygo e Vinícius estão num dia bom, criamos muitas oportunidades. E as duas últimas partidas foram um reflexo perfeito – afirma Ancelotti.

Veja a lista completa de Diniz:

  • Goleiros: Alisson (Liverpool), Bento (Athletico) e Lucas Perri (Botafogo)
  • Laterais: Carlos Augusto (Inter de Milão), Emerson (Tottenham) e Renan Lodi (Olympique Marseille)
  • Zagueiros: Bremer (Juventus), Marquinhos (PSG), Gabriel Magalhães (Arsenal), Nino (Fluminense)
  • Meio-campistas: André (Fluminense), Bruno Guimarães (Newcastle), Douglas Luiz (Aston Villa) Joelinton (Newcastle), Raphael Veiga (Palmeiras) e Rodrygo (Real Madrid)
  • Atacantes:  Endrick (Palmeiras), Gabriel Jesus (Arsenal), Gabriel Martinelli (Arsenal), João Pedro (Brighton), Paulinho (Atlético-MG), Pepê (Porto), Raphinha (Barcelona) e Vini Jr (Real Madrid)

Quando joga a Seleção?

O Brasil enfrenta a Colômbia no próximo dia 16, às 21h (horário de Brasília), no Estádio Metropolitano de Barranquilha, pela 5ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. Depois, a Seleção terá pela frente o clássico com a Argentina, no dia 21, às 21h30 (horário de Brasília), no Maracanã.

Após dois tropeços na última Data Fifa, a seleção brasileira precisa se recuperar contra dois rivais complicados. O Brasil ocupa a terceira colocação na tabela das Eliminatórias, com sete pontos após quatro partidas. Lembrando que são seis vagas diretas em disputa para a Copa do Mundo de 2026, além de mais uma vaga para repescagem.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo