Eliminatórias da Copa

O menino cresceu e Rodrygo agora se diz protagonista da Seleção e sai em defesa de seu ídolo Neymar

Se antes era promessa, hoje Rodrygo é realidade e protagonista da Seleção, papel que também cabe a Neymar, ídolo que o ponta defendeu

Aos 22 anos, Rodrygo já fala como gente grande pela seleção brasileira. Fala com o status de protagonista que conquistou com Fernando Diniz neste início de ciclo da Copa do Mundo de 2026. Às vésperas do duelo com o Uruguai, na próxima terça-feira (17), às 21h (horário de Brasília), no Estádio Centenário, pelas Eliminatórias, o atacante concedeu entrevista em que se mostrou à vontade para dizer que gosta de pressão de atuar pela Seleção e para defender o seu ídolo Neymar.

O que disse Rodrygo

  • se disse com mais “pressão” por ser protagonista;
  • explicou a nova movimentação com Diniz
  • disse ficar triste com críticas a Neymar
  • encheu Valverde, seu companheiro de Real, de elogios

Rodrygo assimila pressão de ser protagonista

Titular nos três jogos sob o comando de Fernando Diniz. Rodrygo sabe que vive um novo momento pela Seleção com o treinador. E ele se vê mais do que preparado para isso. O atacante afirmou que gosta de lidar com a pressão de ter mais responsabilidade sempre que entra em campo pelo Brasil.

– Como vocês sabem, é uma pressão grande, mas a gente lida de uma forma tranquila, porque está acostumado. Vestimos a camisa da maior seleção do mundo, mas também jogamos nos maiores clubes do mundo, lá tem pressão quarta e domingo. E eu me enxergo com mais pressão, cada vez tendo mais responsabilidade, é uma pressão boa, saber que esperam algo de você, contam com você. É assim que me enxergo no novo ciclo, espero corresponder à altura – afirmou o atacante.

Rodrygo será protagonista na Seleção de Diniz (Foto: VItor Silva/CBF)

Nova movimentação com Diniz

Rodrygo também já dá amostras em campo de que entende as orientações de Fernando Diniz. O atacante disse que o treinador pediu que ele estivesse sempre perto da bola. E ele trata de cumprir. No empate com a Venezuela, o camisa 11 saiu da direita e se deslocou por todos os setores do ataque para participar ativamente do jogos.

– O Diniz deixou claro que quer que eu esteja sempre perto da bola, perto do Neymar para tabelar. O principal de tudo é jogar onde vai ter espaço, muitas vezes não vai ter por dentro, vou ter que ficar aberto. E quando aberto estiver ruim, é para ir para dentro, movimentar. A explicação é essa, jogar onde tem espaço. É sempre importante você conseguir fazer muitas funções, sempre deixei claro essa facilidade que tenho para jogar nas pontas, só não gosto de jogar de 9, no clube estou tendo que fazer. Aqui na Seleção, posso cair por todos os lados do campo, isso tem ajudado meu jogo, é importante fazer todas, isso aumenta suas chances de não ser substituído. É importante para mim – disse Rodrygo.

Defesa a Neymar

Durante a coletiva, Rodrygo saiu em defesa de Neymar, seu ídolo de infância e que hoje é companheiro de ataque na Seleção. O atacante falou que o camisa 10 segue sendo a referência do Brasil mesmo aos 31 anos de idade e disse que as críticas ao amigo o deixam triste.

– Dentro de campo, tudo o que ele já ofereceu, não muda nada ele ter 31 anos ou não. Ele continua com a mesma qualidade de sempre, sendo nosso principal jogador. Por mais que sempre falem mal dele, a gente que convive de perto sabe que ele é totalmente diferente dessa imagem que algumas pessoas têm dele. Eu fico triste de ver certos comentários, ele me ajuda muito. Às vezes estou no meu clube e ele lá da Arábia manda mensagem para mim, isso ajuda muito. Em campo não tem nem o que falar, se perder ou empatar, a maior responsabilidade é dele. Mas se ganha, fica nítido que ele é nosso melhor jogador – revelou.

Rodrygo enche a bola de Valverde

Rodrygo ainda projetou o duelo com o Uruguai, com muitos elogios a Federico Valverde, capitão da seleção uruguaia e seu colega de Real Madrid. Em sua opinião, o volante é um dos melhores jogadores do mundo.

– Aposta não, mas a gente conversou bastante. Ele falou: “Vocês nem precisam ir, fiquem em Madri”. Temos que tomar cuidado com ele. Sou muito fã do futebol dele, falo que é um dos melhores jogadores do mundo. Será um jogo difícil e tem que tomar cuidado com o Valverde – ressaltou o atacante.

Seleção é vice-líder e se prepara para clássico

A Seleção perdeu a liderança das Eliminatórias para a Argentina, na última rodada após o empate com a Venezuela. A Albiceleste é a única equipe com 100% de aproveitamento até agora. O Brasil aparece na vice-liderança, com sete pontos. O clássico contra o Uruguai será nesta terça-feira (17), às 21h (horário de Brasília), no Estádio Centenário, em Montevidéu, pela quarta rodada.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo