Brasil

Das vaias à exaltação, Yuri Alberto desabafou sobre tudo: Corinthians, má fase e, claro, Mano Menezes

Em 2020, António e o camisa 9 do Corinthians trabalharam juntos no Santos, quando o novo treinador alvinegro era auxiliar de Jeusaldo Pereira

O jejum de gols de Yuri Alberto foi encerrado na partida diante do Novorizontino, no dia 04 de fevereiro: o jogador não marcava desde 31ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2023. As dificuldades fizeram dele um alvo constante de críticas, e até mesmo os lances – e foram muitos – onde ele não conseguiu dominar a bola viraram motivos para os questionamentos quanto a sua continuidade no time titular.

Em entrevista após a partida contra a Portuguesa, no domingo, quando ele fez o segundo gol alvinegro na vitória por 2 a 0, o camisa nove do Corinthians falou sobre esses dias “sombrios” e revelou que contou muito com ajuda não somente da sua família, mas também com o apoio de todos os companheiros de time e de todo seu staff, incluindo uma psicóloga:

— A gente fica muito chateado, não tem como, não sou uma máquina. É lógico que eu sinto, tenho sentimentos, eu estava muito chateado. Agora, no final, se transforma em raiva (a chateação), porque a chateação desanima e a raiva te motiva, então eu queria mostrar que tenho capacidade de entregar o que entreguei quando eu cheguei aqui, de como eu acostumei a torcida. Foram momentos difíceis que passei aqui, de muita perseguição, muita humilhação. Parece que, pelo momento em que estou, todo mundo quer tirar uma casquinha, sabe? Então, foi um momento difícil, mas só agradecer à minha família, à minha equipe, meu fisiologista, meu psicólogo que tem me ajudado bastante – desabafou Yuri Alberto.

Jogadores do banco de reservas do Corinthians comemoram gol com Yuri Alberto (Foto: Agência Corinthians)

Há menos de um mês vaiado dentro da Neo Química Arena, Yuri ouviu seu nome gritado dentro do estádio

No dia 30 de janeiro, Corinthians e São Paulo disputaram mais um clássico Majestoso, a vitória colocou fim ao tabu de dez anos sem o Tricolor Paulista conseguir vencer o Timão dentro da Neo Química Arena. Durante o jogo, Mano Menezes, que até então era treinador do clube, tirou Yuri Alberto para colocar Arthur Souza, garoto da base. Na hora da troca, na beira do gramado, o camisa nove saiu do campo sob uma sonora vaia.

Porém, se há dez dias ele era vaiado pela torcida, neste domingo com a vitória de 2 a 0 sobre a Portuguesa, Yuri foi ovacionado por praticamente toda a arena, que gritou seu nome durante toda a comemoração do jogador com elenco e comissão técnica. Apesar da demonstração de apoio, o centroavante alvinegro voltou a dizer sobre os momentos complicados:

– É gratificante demais (ter o nome gritado), mas muito triste também quando as coisas não vão pelo lado bom. Foi um momento difícil para mim, mas meus companheiros deram suporte, minha família. Esqueço quando estou com a minha filha em casa. É mesmo Agradecer a toda minha família pelo suporte – respondeu Yuri

Yuri Alberto desabafou sobre falas de Mano Menezes

Durante a partida com o São Bernardo, segunda derrota do time em 2024, Yuri cometeu erros nas tomadas de decisão, e foi cobrado do banco de reservas por Mano Menezes, que gritou com o jogador perguntou se ele era burro, na hora da substituição Yuri conversou sobre a situação ali mesmo na beira do gramado.

Na coletiva pós-jogo, o até então treinador disse que foi uma situação de jogo, e havia se referido a situação do jogo e não ao atleta. A situação tomou tanta proporção que no clássico diante do Santos, a torcida rival usou a mesma fala para pegar no pé de Yuri, e todas às vezes que o jogador revelado no Peixe pegava na bola, era chamado de “burro” pela torcida.

Perguntado sobre esse momento, Yuri classificou a atitude de Mano como uma “infelicidade” e disse que resolveu tudo ali na hora, e que qualquer atleta está sujeito a passar por isso na carreira:

— Cara, foi uma infelicidade dele e, graças a Deus, na hora que saí do campo eu já fui e resolvi com ele ali. Eu falei que não precisava daquilo e ele também se desculpou comigo, porque estava muito nervoso ali no momento do jogo. Na carreira do jogador sempre tem isso, o bom é a gente minimizar, quanto menos vezes houver esses momentos na vida do jogador, melhor – completou o camisa nove.

“Vou com ele até o fim”: Yuri mostra apoio total a António Oliveira e revela ajuda na época do Santos

Yuri Alberto também falou sobre António Oliveira, ele e o novo treinador do Corinthians já tinham trabalhado juntos durante a passagem de ambos pelo Santos. Em 2020, o mister – como é chamado pelos atletas – fazia parte da comissão técnica de Jesualdo Ferreira, como auxiliar, e pegou o fim da passagem do jogador no Peixe:

— Esse carinho que eu tenho pelo António é do Santos. Eu estava encerrando meu contrato e não havia acordo para renovação. Ao invés de me afastarem, eles me colocaram para jogar e ele tinha muito carinho por mim. Apesar de ninguém ter a obrigação de me dar um suporte naquele momento, ele me deu. Só tenho a retribuir aqui no Corinthians tudo o que ele fez por mim. Vou com ele até o fim. Vamos trazer a torcida ainda mais para o nosso lado.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância, paixão que se tornou profissão. Além do futebol me mantenho por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhei como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo