Brasil

‘Tem tudo para virar ídolo’: Assim como a torcida, Hulk está militizado no Atlético-MG

Torcida do Atlético está encantada com a forma de jogar de Gabriel Milito, e não é diferente com Hulk, principal jogador do time

O Atlético-MG vive uma grande fase desde a chegada do técnico Gabriel Milito. Com o treinador o clube perdeu apenas um dos últimos 13 jogos. Além dos resultados, a forma como o time joga tem encantando a todos, principalmente a torcida, que se diz “Militizada”. Esse encantamento pelo argentino não fica só nas arquibancadas, e é também dos jogadores. Um dos maiores ídolos da história do Galo e principal jogador do atual elenco, Hulk também está maravilhado com o trabalho do seu novo comandante.

Milito fez o Atlético se transformar do time monótomo com Felipão para um extremamente intenso. E isso não demorou. No primeiro jogo, com uma semana de treinamento, tudo já havia mudado no clube, dando esperanças a torcida. O tempo passou e, quase dois meses depois, o Galo é apontado como um dos melhores time sdo futebol brasileiro. Essa mudança drástica positiva encantou os torcedores e também os jogadores atleticanos, principalmente pela forma de trabalho do argentino.

— É um cara que trabalha bastante e cobra muito. É bom quando a gente tem um líder assim, que não tá satisfeito. Ah, tá jogando bem? Tá jogando… Mas eu quero mais, eu posso mais. Isso é bacana. A gente começa a entender que tem um cara que cobra bastante. Então, quando tem um cara que cobra, você vai estar sempre preocupado em dar o teu melhor: ‘Não posso relaxar, se não ele vai dar uma dura aqui, vai gritar comigo, tal’. Todo mundo foca, todo mundo concentrado no dia a dia — destacou Hulk ao GaloCast, da GaloTV.

Hulk elogia publicamente Milito praticamente desde o primeiro do treinador no Atlético. Sempre fala que o argentino tem muito conhecimento de futebol e sabe o que está fazendo, que tem o caminho certo para o time. O camisa 7 atleticano destaca como o técnico não só tem conhecimento, mas também consegue transmitir isso de forma muito clara.

É um cara que dá bons treinos e consegue explicar muito bem pra gente, então eu tenho certeza que ele tem tudo pra ganhar muitas coisas aqui e virar ídolo aqui como treinador que tenho certeza que tem grande chance de isso acontecer sim — Hulk sobre Milito

‘Tem que sofrer para ganhar da gente’

O Atlético enfileirou 12 jogos seguidos sem perder desde a estreia de Militio, mas acabou sendo derrotado no último jogo, contra o Peñarol. Sabendo que não era invencível e uma hora o revés ia acontecer, o argentino preparou muito bem o time para quando esse momento chegasse, e isso faz diferença para diminuir o impacto da derrota.

— Perdemos agora da Libertadores, na qual já estávamos classificados, e a cobrança já começou. Milito já fechou todo mundo, começou a cobrar, de ter que rever onde errou para que isso não volte a acontecer. Errar, perder, vai acontecer. Ninguém é invencível, mas assim, já que a gente vai perder, os caras têm que sofrer para ganhar da gente — afirmou o atacante.

Nessa derrota para o Peñarol, o jogo do Atlético foi anulado pelos uruguaios, que se fecharam e tiraram todos os espaços possíveis do Galo. Hulk revelou que Milito aproveitou o período sem jogos, com o Campeonato Brasileiro parado, para justamente fazer o time achar um jeito de passar por times tão fechados quanto o último adversário.

— Ele está treinando muito essa questão de criar nas dificuldades, o que a gente precisa fazer de diferente para que aquele time saia dali de trás, para dificultar um pouco também a marcação deles – revelou.

Fase menos goleadora de Hulk não afeta ele ou Milito

Após o último jogo, Hulk completou nove partidas seguidas sem marcar ele, algo incomum para ele. No entanto, nem o atacante e nem Milito estão preocupados com isso, pois sabem que os gols, naturalmente, vão voltar a sair dos pés do camisa 7.

Alguns apontam que um dos motivos é que, com Milito, Hulk tem jogado mais de costas para o gol, ficando longe da meta em algumas jogadas. O atacante, então, explicou a tática atleticana e a liberdade dele em campo, que já funcionou em alguns jogos, como ele também lembrou.

— Ele dá essa liberdade para a gente. Por vezes eu tenho que baixar para criar jogada, para tentar atrair o marcador para outro jogador explorar aquele espaço. No jogo contra o Cruzeiro, quando a gente baixa um pouco a linha e o Zaracho acha espaço, o Renzo (Saravia), e eles passam para fazer o gol. É bacana para a gente essa virada de jogo, quando o Scarpa chega de surpresa, o Arana chega, então a gente faz esse movimento para outros jogadores ocuparem aquele espaço — explicou Hulk.

A próxima chance de acabar com a seca para Hulk é nesta quarta-feira (22), quando o Atlético encara o Sport, pela segundo jogo da 3ª fase da Copa do Brasil, em Pernambuco. Na ida, em BH, o Galo venceu por 2 a 0.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo