Brasileirão Série A

Internacional tem grande desafio para provar que pode brigar pelo Brasileiro

Diante do Palmeiras, nesta quarta-feira (17), Internacional tem o confronto mais difícil da temporada até o momento

É cedo. Trata-se apenas da segunda de 38 rodadas. Mas o confronto com o Palmeiras, às 20h desta quarta-feira (17), servirá como termômetro para o Internacional saber o quanto está em condição de brigar pelo título do Campeonato Brasileiro, principal objetivo da temporada diante dos altos investimentos feitos em contratações. Afinal, o Colorado terá pela frente o adversário mais forte do ano até aqui, que é um dos favoritos para conquistar o tricampeonato nacional consecutivo.

Após iniciar 2024 de forma promissora, com o melhor aproveitamento entre os clubes da Série A do Campeonato Brasileiro, o Internacional sofreu eliminação traumática, na semifinal do Campeonato Gaúcho, para o Juventude, e amargou dois empates na arrancada da Copa Sul-Americana, contra Belgrano, da Argentina, e Real Tomayapo, da Bolívia. Após quatro jogos sem vencer, o Colorado se recuperou ao superar o Bahia, por 2 a 1, no último sábado (13), na estreia no Brasileirão.

Ex-Palmeiras, Wesley pede passagem e pode ser atração no time titular do Internacional

A virada sobre o Tricolor de Aço, em um segundo tempo de superioridade colorada, indicou um caminho para o técnico Eduardo Coudet diante dos significativos desfalques de Alan Patrick e Enner Valencia. Criticado pela falta de leitura e variação de jogo, o treinador do Inter adaptou seu modelo tradicional, no 4-1-3-2, ao utilizar dois pontas agudos — Wesley e Wanderson — e trazer Maurício para o meio, em algo próximo de um 4-3-3/4-1-4-1, que espelhou o Bahia de Rogério Ceni.

Wesley, principalmente, entrou muito bem no jogo. Além do gol de empate diante do Bahia, ele conseguiu boas jogadas pelo lado direito, em cima de Luciano Juba. Sua iniciativa e verticalidade, que já havia apresentado nas partidas contra Belgrano e Real Tomayapo, acrescentaram bastante a um Inter que vinha sendo burocrático recentemente.

É inegável que Wesley pede passagem no time do Inter. E pode fazer valer a ‘Lei do Ex’ contra o Palmeiras, onde foi formado e se destacou até sofrer grave lesão no joelho. No Cruzeiro, para quem foi vendido no final de 2022, o atacante não deixou saudades. Mas caminha para refazer a imagem negativa que tinha ao trocar Belo Horizonte por Porto Alegre.

Se não optar por utilizar Wesley e Wanderson juntos, Coudet manterá a dupla de ataque, com Borré ao lado de Lucca (que começou contra o Bahia) ou Alario. Sem Fernando, que contundiu o ombro direito, Mercado será o parceiro de zaga de Vitão, e Bruno Gomes e Bruno Henrique brigam por vaga no meio de campo. A provável formação colorada tem Rochet; Bustos, Vitão, Mercado e Renê; Thiago Maia, Bruno Gomes (Bruno Henrique) e Maurício; Wesley, Wanderson e Borré.

Foco na conquista do Brasileirão é admitido publicamente pelo Internacional

As alternativas são muitas, mesmo com os desfalques. Prova de que o Inter se reforçou bem visando principalmente à conquista do Campeonato Brasileiro, que não vem há 45 anos. Também por esse longo jejum, o presidente colorado, Alessandro Barcellos, admite publicamente que essa competição é prioridade na temporada 2024.

— A gente faz o planejamento com objetividade, e um olhar diferente para o Campeonato Brasileiro, pelo muito tempo que o Inter não ganha esse campeonato, e por ter chegado perto muitas vezes nos últimos anos. Há um entendimento, nosso, do torcedor, de que é importante um olhar especial para o Brasileiro — reconheceu Barcellos em entrevista à ESPN, na última terça-feira (16).

Arbitragem preocupa presidente do Internacional para o jogo contra o Palmeiras

Na mesma ocasião, o presidente do Inter falou sobre sua preocupação com a escala de arbitragem para o jogo contra o Palmeiras. Ela será comandada por Lucas Torezin, que nunca apitou uma partida de Série A do Campeonato Brasileiro. No VAR, estará Wagner Reway, que teve atuação polêmica no jogo entre Atlético-GO e Flamengo, no último domingo (14). Em seu Twitter, na segunda-feira (15), Barcellos demonstrou inconformidade com as escolhas, feitas ainda antes da primeira rodada do Brasileirão. Mas fez questão de frisar que não se trata de condicionamento prévio.

— Eu mesmo fiz questão, antes de me manifestar, de ligar para a presidente Leila, para avisá-la que não se tratava de nenhum condicionamento de arbitragem, mas de uma preocupação que é dela, é do Palmeiras. Ela concorda que a arbitragem tem que ser prioridade. Não é segredo, ela já se manifestou sobre isso em outros momentos — esclareceu Barcellos.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo