Sul-Americana

Internacional faz jogo sofrível contra o Tomayapo e segue sem vencer na Sul-Americana

Com péssima atuação, Internacional chegou ao quarto jogo sem vitória ao empatar sem gols com o Real Tomayapo, no Beira-Rio

A fase do Internacional é péssima. Depois de ser eliminado na semifinal do Campeonato Gaúcho para o Juventude e estrear na Copa Sul-Americana com empate em 0 a 0 com o Belgrano, na Argentina, o Colorado voltou a fazer jogo sofrível e empatou novamente sem gols com o Real Tomayapo, da Bolívia, na noite desta quarta-feira (10), no Beira-Rio, pela segunda rodada da fase de grupos da competição continental.

Em meio à sequência de quatro jogos sem vitória, o Internacional estreia no Campeonato Brasileiro no próximo sábado (13), às 18h30min, no Beira-Rio, contra o Bahia. Pela Sul-Americana, o Colorado volta a campo no dia 25, às 23h (horário de Brasília), contra o Delfín, no Equador

Depois de mais uma eliminação em casa, Guarda Popular faz protesto pacífico

A partida com o Real Tomayapo marcou o reencontro do Internacional com sua torcida após a eliminação para o Juventude. E contou com protesto pacífico. Principal torcida organizada do Colorado, a Guarda Popular não trouxe faixas, como habitualmente acontece no Beira-Rio, e os instrumentos só passaram a ser utilizados aos 30 minutos do primeiro tempo, enquanto os cantos pediam que o time fosse ‘mais guerreiro’. Do outro lado, com a Camisa 12, a festa aconteceu normalmente.

Internacional começa com time bastante modificado

Já de olho na estreia de sábado (13), contra o Bahia, no Campeonato Brasileiro, que será prioridade na temporada colorada, o técnico Eduardo Coudet preservou alguns titulares e colocou em campo um time bastante modificado. A principal atração foi a estreia do lateral esquerdo Bernabei. No 4-1-3-2, o Internacional iniciou com Rochet; Hugo Mallo, Igor Gomes, Gabriel Mercado e Bernabei; Thiago Maia; Bruno Henrique, Alan Patrick e Wesley; Lucas Alario e Rafael Borré.

Já o Real Tomayapo, que fez a primeira partida fora da Bolívia em sua história, naturalmente veio com time defensivo, no 5-4-1. O técnico Cristián Arán, que foi auxiliar de Jorge Samapoli no Flamengo, em 2023, mandou a campo Pedro Galindo; Leonardo Justiniano, Hallyson, Juan Pablo Rioja, Aldair Cantillo e Orellana; Agustín Graneros, Sergio Vilamil, Alan Alcaraz e Matías Noble; Mirko Tomianovic.

Internacional faz primeiro tempo sofrível e ouve vaias no Beira-Rio

Como esperado, o Real Tomayapo se defendeu com linhas baixas, e o Inter teve muito mais a posse de bola. Porém, a troca de passes colorada era burocrática, sem muita objetividade. E, surpreendentemente, as primeiras finalizações do jogo foram dos bolivianos. Aos 11, em cruzamento na segunda trave, Graneros cabeceou, a bola desviou em Bernabei e Rochet evitou a saída pela linha de fundo. Um minuto depois, Noble arriscou de fora da área, e a bola passou à direita. Foi o suficiente para as primeiras vaias serem ouvidas no Beira-Rio.

A primeira tentativa do Inter surgiu aos 15 minutos, após iniciativa individual de Wesley. O atacante passou por três marcadores pela esquerda e cruzou rasteiro. Após a defesa boliviana afastar para a frente da área, a bola sobrou para Thiago Maia, que concluiu duas vezes. A primeira explodiu na marcação. A segunda passou com perigo, sobre o gol.

Mas o Inter seguia lento e pouco inspirado. E o Real Tomayapo levou perigo após bobagem de Igor Gomes, aos 20 minutos. Ao tentar devolver para Mercado, o zagueiro entregou a bola nos pés de Tomianovic, que invadiu a área pela direita e finalizou rasteiro para defesa de Rochet. A segunda onda de vaias, muito mais forte do que a primeira, foi ouvida no Beira-Rio.

Apagados até então, Borré e Alario conseguiram sua primeira jogada mais incisiva aos 25 minutos. O colombiano recebeu passe de Bernabei, na ponta esquerda, e cruzou rasteiro para o argentino, que desviou torto. Porém, o impedimento foi assinalado. Um minuto depois, após a bola passar toda extensão da área, Bernabei cruzou aberto e Alario cabeceou com perigo, sobre o gol.

Quando chegava no último terço, o Inter tomava decisões erradas, e relutava em finalizar. Thiago Maia tentou mudar isso ao arriscar mais uma vez de fora da área, aos 40 minutos. E quase foi feliz. Em sua primeira defesa no jogo, Galindo deu um tapa na bola, que ainda acertou o travessão e saiu pela linha de fundo. Na cobrança de escanteio, o Colorado até balançou as redes, com Mercado, mas o gol foi corretamente anulado por conta de toque na mão de Borré. Ao final do primeiro tempo, as vaias novamente foram fortes no Beira-Rio.

Internacional perde Alan Patrick, com lesão muscular

O pouquíssimo produtivo lado direito do Inter foi modificado na volta para o segundo tempo. Bustos e Maurício entraram para as saídas de Igor Gomes e Lucas Alario. Hugo Mallo foi para a zaga, Bruno Henrique para a função de meia central, e Alan Patrick para o ataque. Porém, com apenas três minutos o camisa 10 sentiu a parte posterior da coxa esquerda e precisou ser substituído por Lucca.

A melhor chance até então do Inter no jogo apareceu aos sete minutos. Com liberdade para avançar no campo de ataque, Mercado cruzou da intermediária. Da pequena área, sozinho na segunda trave, Borré cabeceou. Com o pé esquerdo, Galindo fez a defesa e salvou o Real Tomayapo.

Sem criatividade, o Inter trocava muitos passes para o lado e para atrás, e empilhava cruzamentos. Em um dos tantos, o Colorado teve mais um gol anulado aos 17 minutos. Bustos tabelou com Thiago Maia e, próximo à linha de fundo, cruzou na segunda trave. Galindo segurou e soltou a bola em disputa aérea com Borré, e Lucca concluiu para as redes, mas a falta no goleiro do Real Tomayapo foi corretamente assinalada.

Coudet deixou o Inter ainda mais ofensivo aos 21, ao retirar Thiago Maia e colocar Wanderson, que entrou na meia esquerda. Bruno Henrique foi recuado para primeiro volante, Wesley passou a se posicionar pelo lado direito e Maurício centralizado. Aos 26, Wanderson trouxe da esquerda para dentro e arriscou de fora da área, mas o chute saiu fraco e rasteiro, o que facilitou a defesa de Galindo.

Internacional intensifica pressão no final, mas não consegue balançar as redes

Com o adversário cansado, o Inter enfim intensificou a pressão. Aos 27, Bernabei recebeu no lado esquerdo da grande área e cruzou rasteiro. Wesley se atirou na bola, mas ela passou à esquerda do gol. Um minuto depois, Lucca recebeu de costas, dentro da área, girou e finalizou desviado, à direita do gol. Aos 32, Bustos cruzou da direita, Lucca cabeceou e Galindo fez grande defesa. Na sequência do lance, Bruno Henrique chutou forte da meia-lua da grande área, e a bola passou com perigo, à esquerda do gol. Aos 34, após cobrança de escanteio curta, Bernabei cruzou e Hugo Mallo, sozinho no meio da área, mandou por cima.

Nervosos, Bustos e depois Mercado receberam cartão amarelo por se desentenderem com jogadores do Real Tomayapo. Em sequência de escanteios, já depois dos 40, Borré, em mais uma noite em infeliz, cabeceou para defesa de Galindo, e posteriormente tirou chute de Hugo Mallo que teria a direção do gol. Aos 44, depois de cruzamento vindo do lado direito, Lucca cabeceou firme, Galindo espalmou e a bola acertou a trave esquerda, provando que o Inter poderia tentar a noite inteira, que a rede não balançaria. A última tentativa colorada foi aos 50, com Gustavo Prado, que chutou cruzado sobre o gol.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo