Brasil

Números e marcas históricas mostram que Calleri merece ser capitão do São Paulo

Maior artilheiro estrangeiro do clube no Brasileirão, argentino é quem mais participou de gols em 2024

Jonathan Calleri ficou 21 dias fora em recuperação de uma lesão muscular e retornou ao São Paulo como se nunca tivesse parado. O ídolo não se cansa de alcançar marcas emblemáticas pelo clube e mostra com números por que assumiu a braçadeira de capitão da equipe na ausência de Rafinha e mesmo com Lucas Moura em campo.

Após entrar no segundo tempo da vitória por 2 a 0 sobre o Talleres, o argentino voltou ao time titular com direito a gol marcado em mais uma vitória por 2 a 0, dessa vez sobre o Cruzeiro, no último domingo (2). Um gol repleto de significados para o centroavante.

O gol sobre a Raposa foi o seu oitavo na temporada e também reforça o seu status de referência da equipe dentro de campo. O camisa 9 agora é o vice-artilheiro do São Paulo no ano, atrás de Luciano, com nove gols.

Mas ninguém no elenco participou de mais gols em 2024 do que Calleri. Com duas assistências, o argentino soma dez participações em gol em 21 partidas na temporada.

> Calleri em 2024

  • 21 jogos
  • 8 gols
  • 2 assistências
  • Média de 0,38 gol por partida
  • Participa, em média, de 0,47 gol por partida
  • Vice-artilheiro do elenco
  • Jogador que mais participa de gols no elenco

Calleri vira maior artilheiro estrangeiro no Brasileirão e passa França

O gol marcado sobre o Cruzeiro também foi emblemático para fazer o argentino alcançar outras marcas históricas pelo clube. Calleri se tornou o maior artilheiro estrangeiro do São Paulo em jogos pelo Campeonato Brasileiro. O atacante já marcou 37 vezes pelo Tricolor na competição.

Além disso, o centroavante chegou a 70 gols marcados pelo clube e ultrapassou França no ranking de artilheiros do clube no século 21. Agora, ele ocupa a quarta colocação, atrás de Luciano, Rogério Ceni e Luis Fabiano.

Argentino quer se livrar de rotina de lesões e sacrifícios

Recuperado de lesão, Calleri agora quer se livrar da rotina de sacrifícios e protagonismo que ele vive pelo São Paulo desde o ano passado.

O 2023 que o eternizou como ídolo do clube com um dos gols do título da Copa do Brasil também foi a temporada em que ele mais teve de conviver com problemas físicos — e dar exemplos de superação.

Não é raro ouvir de pessoas próximas ao centroavante e integrantes da comissão técnica a frase: “ele só joga porque é o Calleri”. Uma referência aos esforços que o camisa 9 faz para estar em campo, mesmo com dores e distante das condições ideais.

Capitão Calleri também lidera o São Paulo com exemplos de superação (IconSport)

Há exemplos de sacrifício mesmo antes da última lesão em 2024. Calleri ficou um mês sem atuar devido ao rompimento de um cisto de baker na região do joelho direito.

Inicialmente, o problema era considerado menos grave, mas demandou um longo período de recuperação, e o retorno aos gramados ainda foi longe da condição ideal.

O centroavante fez questão de estar em campo, mesmo que com o desconforto, para poder ajudar a equipe em um momento delicado. Longe dos 100%, ele voltou e marcou um dos gols na vitória por 2 a 0 do São Paulo sobre o Cobresal.

> Confira outras marcas de Calleri pelo São Paulo

Artilheiros do São Paulo no século XXI:

  1. Luís Fabiano — 212 gols em 352 jogos
  2. Rogério Ceni — 112 gols em 906 jogos;
  3. Luciano — 76 gols em 228 jogos;
  4. Calleri — 70 gols em 179 jogos;
  5. França — 69 gols em 87 jogos.

Artilheiros estrangeiros o do São Paulo

  1. Pedro Rocha — 119 gols em 393 jogos;
  2. Jonathan Calleri — 70 gols em 179 jogos;
  3. Antonio Sastre — 56 gols em 129 jogos;
  4. Gustavo Albella — 46 gols em 80 jogos;
  5. Rubén Barrios — 40 gols em 98 jogos.

Artilheiros do São Paulo na Libertadores

  1. Luis Fabiano — 14 gols em 24 jogos (2004, 2013 e 2015)
  2. Rogério Ceni — 14 gols em 90 jogos (2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2013 e 2015)
  3. Calleri — 12 gols em 16 jogos (2016 e 2024)
  4. Pedro Rocha — 10 gols em 23 jogos (1972 e 1974)
  5. Müller — 10 gols em 29 jogos (1987 e 1992-1994)
  6. Palhinha — 10 gols em 28 jogos (1992-1994)

Os próximos três jogos do São Paulo:

  • Inter x São Paulo — Brasileirão — quinta-feira, 13 de junho, às 20h (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura);
  • Corinthians x São Paulo — Brasileirão — domingo, 16 de junho, às 16h (horário de Brasília) — Transmissão: TV Globo (TV aberta) e Premiere (TV por assinatura);
  • São Paulo x Cuiabá — Brasileirão — quarta-feira, 19 de junho, às 20h (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura).
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo