Ásia/Oceania

Sadio Mané é mais um na crescente fila de embarque para a Arábia Saudita

Sem render o esperado no Bayern, Sadio Mané tem a possibilidade de ir para a Arábia Saudita e formar um ataque de peso ao lado de Cristiano Ronaldo no Al-Nassr

O atacante Sadio Mané não teve uma boa temporada pelo Bayern de Munique, depois de sair do Liverpool, onde foi ídolo, e pode estar novamente de mudança. O senegalês está em negociação com o Al Nassr, clube de Cristiano Ronaldo, para ser mais uma estrela europeia a seguir para o futebol da Arábia Saudita. Seu companheiro de seleção, o zagueiro Kalidou Koulibaly, acertou com o Al Hilal.

A agência que representa Sadio Mané, Roof, através de um dos seus agentes, teve uma reunião com o diretor esportivo do Al Nassr, Goran Vucetic, no hotel Pine Cliff, em Portugal. Na reunião, foi tratada da possibilidade da transferência do jogador, de 31 anos, para o futebol saudita. Seria uma saída que o Bayern gostaria, porque ajudaria o clube a levantar recursos e ainda diminuir o elenco.

Mané tem contrato com o Bayern até 2025. O clube alemão pagou £35 milhões (€41 milhões) para tirá-lo do Liverpool, onde ele conquistou um lugar entre os melhores do mundo e marcou época como um jogador histórico, conquistando todos os títulos possíveis.

O jogador perdeu a Copa do Mundo por Senegal por uma lesão, da qual não se recuperou a tempo. Ele chegou a estar na lista de convocados dos Leões de Teranga, mas foi cortado pouco antes da estreia. A temporada no Bayern terminou em título, mas longe de ser satisfatória. Pela seleção senegalesa, porém, ele segue em altíssimo nível e foi protagonista na vitória categórica do país africano sobre a seleção brasileira, em amistoso realizado em março.

Sadio Mané não entregou o que se esperava no Bayern

A chegada de Sadio Mané no Bayern foi, de certa forma, para compensar a saída de Robert Lewandowski, que foi para o Barcelona. Os dois são jogadores muito diferentes, ainda que Mané tenha jogado centralizado no Liverpool na sua última temporada por lá.

A adaptação não foi como o esperado. Mané não teve continuidade e nem o desempenho que se esperava. O time do Bayern, como um todo, não entregou o futebol esperado, o que também contribuiu para que o desempenho de Mané não fosse o melhor. Mas se esperava dele o que ele era no Liverpool: um jogador absolutamente decisivo, que por vezes eleva o futebol dos companheiros.

O que vimos na temporada na Alemanha foi um Mané muito tímido e pouco influente no jogo. Até seus números foram modestos. Em 38 jogos, marcou 12 gols e fez seis assistências. Atuou mais vezes centralizado, mas também jogou pela ponta esquerda, onde se consagrou, e não foi bem.

Extracampo também foi problema para Mané no Bayern

Se dentro de campo as coisas já não funcionavam, fora dele também havia problemas. Mané se desentendeu seriamente com Leroy Sané e agrediu o companheiro, o que fez com que ele fosse suspenso pelo próprio clube. Terminou a temporada no banco do clube bávaro.

Por tudo isso, o Bayern pensa em um centroavante — o seu sonho de consumo é Harry Kane, do Tottenham – e o destino de Mané está indefinido. É aí que surge o Al Nassr, com uma possibilidade de levar o jogador, o que pode gerar um dinheiro de transferência muito bem-vindo ao Bayern, ao mesmo tempo que pode oferecer ao senegalês a chance de jogar com Cristiano Ronaldo, o que não sabemos se tem tanto apelo assim.

O dinheiro, claro, é um fator sempre crucial nesse movimento, embora Mané tenha demonstrado ao longo da sua carreira que esse fator não pesa tanto assim. Ele precisa ser seduzido pela ideia, como foi em jogar pelo Bayern. Com 31 anos, ele ainda tem pelo menos alguns anos no mais alto nível e pode escolher fazer isso em qualquer liga.

A temporada de Mané no Bayern:

  • 38 jogos
  • 12 gols
  • 6 assistências
  • Na Bundesliga: 25 jogos, 7 gols, 5 assistências
  • Campeão da Bundesliga

As contratações do Al Nassr

Cristiano Ronaldo terminou a temporada na Arábia Saudita frustrado por não ter conseguido o título da liga local nem da Copa do país. Ele deu entrevista dizendo que espera ser campeão na próxima temporada. Com tantos reforços chegando nos clubes rivais, ele espera que o Al Nassr faça o mesmo.

Nesta janela, o Al Nassr contratou o meio-campista Marcelo Brozovic, da Inter de Milão, e o também meio-campista Seko Fofana, do Lens. O clube ainda negocia a chegada do lateral Alex Telles, que pertence ao Manchester United, mas não está nos planos de Erik ten Hag para a temporada.

Governo Saudita estatizou os quatro maiores clubes do país

O governo da Arábia Saudita resolveu agir de forma ainda mais evidente para fortalecer a liga de futebol profissional do país no começo de junho deste ano. O ministro do esporte saudita anunciou que o Public Investment Fund (PIF), fundo de investimento controlado pelo governo do país do golfo, vai assumir o controle dos quatro maiores clubes do país: Al Ahli, Al Ittihad, Al Hilal e Al Nassr.

A ideia é fortalecer esses clubes e a liga como um todo, em mais uma tentativa de fazer manchetes e usar o futebol como soft power para ganhar força – incluindo aí os planos de sediar futuramente uma Copa do Mundo, em projeto de sportswashing muito maior.

O PIF irá controlar 75% dos clubes da Saudi Pro League, com outros 25% sendo de duas organizações sem fins lucrativos. As diretorias desses clubes serão formadas por sete membros, sendo cinco deles escolhidos pelo PIF e outros dois pelas organizações sem fins lucrativos.

O ministro do esporte afirma que as organizações serão cada uma “uma instituição que inclui os atuais membros da assembleia geral do clube e os novos membros, e dois membros serão nomeados por eles na diretoria do clube, sendo que um deles será o presidente da diretoria”.

Plano da Arábia Saudita envolve sediar uma Copa do Mundo

O governo da Arábia Saudita anunciou planos recentemente que são parte do projeto “Vision 2030”, que envolve, entre outras coisas, sediar a Copa do Mundo de 2030.

Como uma das candidaturas para 2030 é de Portugal, Espanha e Marrocos e o fundo de investimentos saudita fez um grande acordo para patrocinar a Superliga Africana, os sauditas já estudam serem candidatos apenas em 2034, com o apoio dos países africanos, e apoiar a candidatura que tem Marrocos para 2030. Isso, porém, não está definido. Os sauditas ainda podem decidir ser candidatos.

Estes são os principais jogadores que foram para Arábia Saudita nessa janela:

  • Rúben Neves – €55 milhões– Wolverhampton para Al-Hilal
  • Sergej Milinkovic-Savic – €42 milhões– Lazio para Al-Hilal
  • Jota – €29,1 milhões – Celtic para Al-Ittihad
  • Kalidou Koulibaly – €23 milhões– Chelsea para Al-Hilal
  • Seko Fofana – €19 milhões– Lens para Al-Nassr
  • Edouard Mendy – €18,5 milhões– Chelsea para Al-Ahli
  • Marcelo Brozovic – €18 milhões– Internazionale para Al-Nassr
  • Karim Benzema – custo zero – Real Madrid para Al-Ittihad
  • Roberto Firmino – custo zero – Liverpool para Al-Ahli
  • N'Golo Kanté – custo zero – Chelsea para Al-Ittihad
  • Joel Robles – custo zero – Leeds para Al-Qadsiah
Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo