Sul-Americana

Os prós e contras do Cruzeiro poupar na estreia da Copa Sul-Americana

O Cruzeiro estreia na Copa Sul-Americana nesta quinta-feira (4), contra a Universidad Católica, na altitude de Quito, no Equador

O Cruzeiro terá uma maratona de jogos importantes neste mês de abril e o próximo deles é a estreia na Copa Sul-Americana, quando enfrentará a Universidad Católica, na altitude de Quito, no Equador. A partida, que será disputada às 21h (horário de Brasília), da próxima quinta-feira (4), marcará o retorno do clube celeste a uma competição internacional, que não disputa desde 2019.

A estreia na Copa Sul-Americana acontece em meio a disputa da finalíssima do Campeonato Mineiro. O Cruzeiro tem a vantagem de jogar por um empate na volta, após conseguir a igualdade no jogo de ida, contra o maior rival, o Atlético-MG. Galo e Raposa ficaram no 2 a 2, em partida disputada na Arena MRV, com 100% de atleticanos nas arquibancadas.

A proximidade entre os jogos e a longa viagem para a altitude equatoriana criou um dilema para o treinador argentino Nicolás Larcamón e sua comissão técnica: poupar ou não poupar jogadores? Bem, duas baixas já são certas. O ponta Arthur Gomes e o centroavante Juan Dinenno, titulares do time, nem viajaram para o Equador após “identificação de desgaste acentuado depois do clássico”, como informou o Cruzeiro. Em suas vagas, foram relacionados os jovens Kaiki, lateral-esquerdo, e Vitinho, meia.

Mesmo com a confirmação prévia de duas ausências, ainda há a possibilidade de novos nomes serem preservados visando não só a grande decisão estadual, que acontece no domingo (7), às 15h30, no Mineirão, como a sequência de jogos que engloba partidas do Campeonato Brasileiro e da Copa Sul-Americana.

Pensando nisso, a Trivela separou prós e contras de preservar atletas na partida contra a Universidad Católica. Veja:

Prós

  • Cruzeiro chegar bem fisicamente para a final

Assim como o Cruzeiro, o Atlético-MG também jogará na quinta-feira, quando estreará pela Copa Libertadores, contra o Caracas, na Venezuela. O time alvinegro também pode ir modificado, pensando na final de domingo. Caso o time celeste opte por preservar alguns atletas, chegará no mínimo com a mesma condição do adversário da decisão. Caso Gabriel Milito utilize seu time titular, a vantagem azul pode ser ainda maior.

Mesmo que o estadual seja um torneio de menor valor, financeiro e esportivo, se trata de uma competição importante para o Cruzeiro, que não a conquista desde 2019, ano em que afundou em crise sem precedentes. Além disso, a decisão será em um Mineirão lotado de cruzeirenses, que querem fazer da tarde de domingo um dia especial.

  • Evitar lesões

Gerenciar o elenco fisicamente também pode ser importante, já que o Cruzeiro terá sequência de jogos bem pesada pela frente e arriscar perder jogadores por lesão pode impactar não só na final do Campeonato Mineiro, como no decorrer da temporada. Ainda que possua um elenco com melhores opções do que em 2023, alguns jogadores da Raposa não possuem substitutos a altura.

  • Dar rodagem para jogadores

Outro ponto positivo para o Cruzeiro em poupar atletas é poder dar mais minutos para nomes que jogaram pouco, incluindo alguns reforços como José Cifuentes e Álvaro Barreal. Também pode ser a oportunidade de garotos da base como Vitinho, Robert e Kaiki terem chance de atuar. Rafa Silva, que não entrou em campo desde que voltou de tratamento físico especial, é outro que pode ser beneficiado.

Contras

  • Fase de grupos da Copa Sul-Americana é traiçoeira

Diferentemente de como é na Copa Libertadores, na Copa Sul-Americana somente o primeiro colocado de cada grupo se classifica diretamente às oitavas de final da competição. Os segundos jogam um playoff contra os terceiros colocados vindos da Libertadores. Por isso, conseguir bons resultados é primordial neste primeiro momento de competição. Em caso de perda da primeira posição, há a possibilidade de enfrentar um time forte que caiu prematuramente na competição mais importante do continente.

  • Universidad Católica (EQU) pode complicar para o Cruzeiro

Apesar de menos conhecida que sua xará chilena, a Universidad Católica (EQU) é um time perigoso e se trata da segunda força do grupo B da Copa Sul-Americana. Se perder na estreia, o time celeste terá que se recuperar nas rodadas seguintes e torcer contra o rival equatoriano, para que a classificação em primeiro na chave não fique ameaçada. Tropeçar no Mineirão se tornará algo impensável.

  • Questão financeira

O Cruzeiro ainda se reestrutura financeiramente e, após ser eliminado de forma precoce na milionária Copa do Brasil, precisa encontrar novas formas de ganhar dinheiro. Sendo assim, a Copa Sul-Americana surge como uma fonte bem melhor que o Campeonato Mineiro, que não rende valores tão significativos. Cada vitória na fase de grupos da competição renderá 115 mil dólares (R$ 575 mil) e chegar às oitavas de final, 600 mil dólares (R$ 3 milhões).

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo