Brasil

Invicto na Arena MRV: Cruzeiro acaba com festa da estreia de Milito no Atlético-MG com gol no fim

No primeiro jogo da decisão do Campeonato Mineiro, Galo sofreu o empate nos acréscimos e decisão será no Mineirão

No primeiro jogo da decisão do Campeonato Mineiro, o Atlético-MG recebeu o Cruzeiro na Arena MRV e sofreu o empate nos acréscimos. Com o 2 a 2 no placar, o Galo segue sem vencer o maior rival dentro de sua própria casa. O jogo marcou também a estreia de Gabriel Milito no comando do Alvinegro, e o time atleticano se portou de uma forma completamente diferente, pelo menos no primeiro tempo, já que, no segundo, os cruzeirenses foram melhores.

O Atlético dominou o primeiro tempo, sendo, praticamente, o único time que criou chances. Em duas dessas, colocou a bola nas redes, primeiro com o zagueiro Bruno Fuchs e depois com Hulk, ambos golaços. Mas o que mais chamou atenção foi o estilo do Galo, completamente diferente do que vinha apresentando com Felipão, tanto taticamente quanto emocionalmente. Já no segundo tempo, o jogo foi mais equilibrado, como Cruzeiro diminuindo o placar logo no início e colocando tensão na Arena MRV. Já nos minutos finais, Dinenno fez jus a superioridade cruzeirense na etapa final e empatou o jogo, mantendo a invencibilidade celeste na casa do Galo.

Com esse resultado, o Cruzeiro só precisa empatar novamente na próxima semana, no Mineirão, para serem campeões. Já o Atlético só pode pensar na vitória.

Um Atlético-MG incansável

A diferença do time do Atlético sob o comando de Gabriel Milito foi perceptível desde o primeiro minuto. Além da escalação, a vontade e a disposição dos jogadores foi outra, muito mais vívidos no jogo – era a ‘paixão' que o treinador pediu. Fora isso, as trocas de passes e o perde-pressiona também foram marca do time. E foi assim do primeiro o último minuto da primeira etapa.

A era Milito começou com uma pintura inesperada. Aos nove minutos, Bruno Fuchs recebeu sobra de falta na lateral-esquerda e, em uma jogada digna de Ronaldinho, driblou dois defensores cruzeirenses, invadindo a área e batendo firme por baixo de Rafael Cabral. Confira:

O Atlético tomou conta do primeiro tempo e foi o único a criar grandes chances. Paulinho e Jemerson perderam dois gols claros, mas Hulk não desperdiçou a chance que teve.

Em uma bela saída de bola do Galo, Arana deu lançamento rasteiro para o ataque. Paulinho não alcançou, mas ela sobrou para Hulk que, cara a cara com Cabral, ainda driblou o goleiro cruzeirense e bateu com tranquilidade para ampliar

Cruzeiro é melhor e empata o jogo com méritos

Logo no início do segundo tempo, o Cruzeiro conseguiu reagir, mas com um gol do Atlético. O Galo perdeu a bola na saída e Dinenno tentou achar Matheus Pereira invadindo a área, o meia domino mal e Lemos tentou dar um chutão para tirar, mas ela pegou em Jemerson e foi parar dentro do gol atleticano.

Depois do gol cruzeirenses, o jogo ficou claramente mais tenso. O Atlético tentava responder, mas sem muito sucesso, enquanto o Cruzeiro buscava aproveitar os espaços na defesa atleticana, tem um pouco mais de êxito, mas sem conseguir concluir a gol para empatar o jogo.

O Atlético voltou a levar perigo a partir dos 30 minutos. Primeiro Paulinho parou em Cabral após chute fraco. Depois, a bola ficou pipocando na defesa cruzeirense, mas o Galo não conseguiu achar um espaço para mandá-la ao gol. O Cruzeiro respondeu com Matheus Pereira sendo lançado sozinho na cara do gol, mas, antes de chutar, Jemerson chegou travando e se recuperou do gol contra marcado.

Nos minutos finais, o Cruzeiro se animou e chegou com perigo para empatar. Primeiro, Matheus Pereira arriscou de fora e mandou próximo da trave. Depois, William acertou o travessão em cruzamento que acabou indo para fora. Nos acréscimos, Dinenno recebeu cruzamento na medida e mandou de cabeça para empatar.

Diferença entre Milito e Felipão

A troca de Felipão por Gabriel Milito não fez diferença só em campo. Fora dele, o comportamento do argentino também é completamente diferente do brasileiro. Enquanto Scolari dava orientações pontuais ao longo do jogo, Milito é, assim como seu time, muito dinâmico. O treinador conversa e orienta a todo momento. Mesmo após os gols, ele tira um tempinho para chamar um ou outro atleta no meio da celebração. Sem dúvidas, é um estilo mais enérgico à beira do gramado.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo