Liga Europa

Final da Liga Europa: data, sede e campanhas de Bayer Leverkusen e Atalanta

Disputada na Irlanda, em 22 de maio, Leverkusen e Atalanta fazem uma interessante final da Liga Europa

Não são poucos os comentários nas redes sociais que apontam que a decisão da Liga Europa pode ser até melhor que a da Champions League. O motivo é que, talvez, Bayer Leverkusen e Atalanta entreguem um jogo mais parelho e aberto do que Real Madrid e Borussia Dortmund, onde há um favoritismo claro aos espanhóis. Bom, se depender do que alemães e italianos demonstraram nos últimos meses, a tendência é de um jogaço, intenso e, mesmo sendo um partida única, de muitos gols pela filosofia ofensiva de ambos os lados.

Após a decisão dos finalistas na última quinta-feira (9), a decisão, disputada na Irlanda, acontece em menos de duas semanas. Para esquentar para final, confira os detalhes do jogo e como foi a campanha da dupla.

Liga Europa

Dia, sede e transmissão

  • Data e horário: 22/05/2024, às 16h (horário de Brasília)
  • Local: Dublin Arena, em Dublin, na Irlanda
  • Onde assistir: SBT, Cultura, ESPN e Star+

Histórico e campanha dos finalistas

Bayer Leverkusen

  • Títulos da Liga Europa: 1 (1988)

Campeão da Bundesliga, finalista da Liga Europa e da Copa da Alemanha e invicto após 49 jogos na temporada (40 vitórias e nove empates), acumulando a maior sequência sem derrotas na história do futebol europeu. Já é um time histórico e a campanha na Europa conta uma parte desse domínio de futebol bonito, ofensivo e eficiente do time treinado por Xabi Alonso.

O início da campanha já dava mostras do que o Leverkusen poderia ser capaz nesta temporada. Mesmo atuando com os reservas por boa parte dos jogos, manteve o padrão ofensivo e terminou com 100% de aproveitamento, sofrendo apenas três gols e marcando 19. No entanto, o caminho não foram apenas de flores e o mata-mata mostrou a face de resistência e força mental do clube alemão.

Nas oitavas, já em fevereiro, a equipe estava em outro patamar. Já trilhando o título nacional, entrou como candidato à taça e pegou o modesto Qarabag, quem já tinha perdido duas para os alemães na fase de grupos (5 a 1 e 1 a 0). Só que o time do Azerbaijão não quis saber do favoritismo. Após surpreender eliminando o Braga na fase anterior, conseguiu abrir 2 a 0 na ida e na volta contra os Aspirinas. Ainda mais incrível do que isso, foi capaz de sucumbir nos acréscimos de ambas eliminatórias. Na primeira, o Bayer empatou com Patrik Schick aos 47. Depois, na Alemanha, o mesmo Schick foi duas vezes às redes, aos 48 e 52, para dessa vez virar e confirmar a classificação.

As reviravoltas e gols no fim não pararam por aí. Tanto nas quartas quanto na semi, os comandados por Alonso venceram a ida por 2 a 0, mas as coisas ficaram agitadas mesmo nos jogos decisivos. Primeiro, o West Ham buscou um gol com 13 do primeiro tempo no London Stadium e pressionou até o fim para vir o segundo. Não veio – no caso, o dos ingleses. Aos 44 da etapa final, jogando para manter a invencibilidade, conseguiram fizeram de novo: pelos pés de Jeremie Frimpong, igualaram o placar.

Frente a Roma, último time a vencer o Bayer em jogo europeu (semifinal da temporada passada), os alemães sofreram. Leandro Paredes marcou duas vezes, e o adversário não parecia ter forças para evitar a prorrogação. Aí vieram trocas, titulares naturais como Florian Wirtz e Schick entraram, e tudo mudou. O gol contra com 37 no relógio já dava a classificação, mas eles se doaram para fazerem história: o lateral Josip Stanišić invadiu a área e marcou, aos 52, o do empate. Leverkusen de Xabi Alonso, o time com a maior sequência invicta da história do futebol europeu, superando o Benfica de Eusébio da década de 60.

Atalanta

  • Títulos da Liga Europa: 0
  • Melhor campanha: Final (2024)

O motivo da final ser muito celebrado também é pela presença da Atalanta, um time que mudou de patamar em 2024. Os seis primeiros meses da temporada 23/24 foram devagar, com quase o mesmo número de vitórias (9) e de derrotas (7) na Série A. Não sabemos o que Gian Piero Gasperini fez para mobilizar o elenco em sua oitava temporada, mas deu muito certo. A equipe relembrou os melhores momentos com o técnico, intensa e ofensiva, que culminaram em uma das grandes vitórias da história do clube de Bérgamo: 3 a 0 no gigante Liverpool, um dos favoritos ao título, em Anfield Road. Nem a derrota pela contagem mínima na volta tirou qualquer mérito disso.

Depois dos Reds, o Olympique de Marselha tomou o mesmo placar dos italianos pela semifinal (ida terminou empatada por 1 a 1), o que confirmou a primeira final europeia nos 116 anos da Dea.

Sem dúvidas, o Sporting de Rúben Amorim, ainda nas oitavas, deu muito mais trabalho que os dois rivais seguintes da Atalanta no mata-mata da Liga Europa. Em Portugal, os donos da casa abriram o placar no primeiro tempo, mas tomaram o empate. Na volta, o Leão de Lisboa novamente saiu na frente e, pela primeira vez, o clube de Bérgamo se via eliminado. Não durou muito já que Ademola Lookman e Gianluigi Scamacca, dupla decisiva em toda competição, viraram o jogo em menos de 15 minutos na etapa final.

Ironicamente, como Leverkusen e Qarabag, a Dea contra o Sporting foi um duelo repetido da fase de grupos, quando os italianos venceram uma e empataram a outra, resultados decisivos para terminarem líderes na chave que também tinha Sturm Graz e Raków Częstochowa.

Importante citar que tanto o Bayer como a Atalanta estão nas finais das copas nacionais. No entanto, o time de Gasperini joga a decisão já na próxima quarta-feira (15), contra a Juventus, enquanto os Aspirinas duelam com o Kaiserslautern, da segunda divisão alemã, três dias depois da final da Liga Europa.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo