Liga Europa

De freio de mão puxado, Leverkusen conta com pênalti nos acréscimos para vencer o Qarabag

Longe do que tem sido na temporada, Bayer Leverkusen venceu o Qarabag graças a gol no fim e se manteve 100% na Liga Europa

O Bayer Leverkusen segue invicto na temporada 2023/24, mas teve um desempenho bem inferior do que o habitual diante do Qarabag nesta quinta-feira (9), em Baku, no Azerbaijão. Pela quarta rodada da fase de grupos da Liga Europa, a equipe comandada por Xabi Alonso fez um primeiro tempo ruim e poderia ter saído atrás no placar na segunda etapa, mas venceu por 1 a 0 graças ao gol de pênalti do artilheiro Victor Boniface nos acréscimos.

Com um time misto, mas com seus principais destaques da temporada, o Leverkusen só chegou uma vez antes do intervalo. Já o Qarabag saiu contente do primeiro tempo por ter incomodado os favoritos e ter sofrido pouco. Na volta dos vestiários, o time alemão conseguiu levar perigo com triangulações verticais por dentro e bolas longas pelos lados, mas Boniface perdeu boas chances e quase saiu como vilão, já que os donos da casa tiveram ao menos duas grandes oportunidades de marcar.

A insistência pela vitória nos minutos finais resultou em um pênalti nos acréscimos. Boniface se redimiu a marcou pela 11ª vez em 15 partidas na temporada. O tento do nigeriano manteve os 100% de aproveitamento do Bayer Leverkusen, líder isolado do Grupo H, na Liga Europa. O Qarabag, por sua vez, lamentou não ter tido um resultado melhor, mas tem seis pontos e ainda está na segunda posição.

Primeiro tempo equilibrado e de poucas chances

Qarabag e Bayer Leverkusen fizeram um primeiro tempo equilibrado e de pouquíssimas oportunidades em Baku. O time da casa até foi mais ao ataque e teve mais finalizações, mas não levou real perigo ao gol de Matej Kovar. Mesmo assim, só o fato de ter incomodado a equipe de Xabi Alonso com contra-ataques rápidos e ter sofrido pouco defensivamente já é de ser comemorado, tendo em vista o momento que vive o adversário.

A melhor chegada do time azerbaidjano antes do intervalo foi aos 11 minutos, em chute de fora da área do meio-campista Yassine Benzia após arrancada em velocidade pela direita de Leandro Andrade. A tentativa, no entanto, passou à esquerda da meta visitante.

Já o Leverkusen criou a melhor chance da primeira etapa em um escanteio, aos 25 minutos. O zagueiro Piero Hincapié aproveitou o levantamento de Alejandro Grimaldo pela esquerda e subindo mais que a defesa do Qarabag para desviar de cabeça e exigir grande defesa de Andrey Lunev.

Segunda etapa é movimentada, mas gol só sai em pênalti acréscimos

O Bayer Leverkusen soltou levemente o freio de mão no segundo tempo, e o jogo foi mais movimentado após o intervalo. A pouca inspiração individual dos jogadores da equipe alemã, a atuação de Andrey Lunev e a a marcação compacta do Qarabag, no entanto, não permitiram que a rede fosse balançada até os acréscimos, quando os visitantes conseguiram um pênalti.

Mas bem antes, o Leverkusen mostrou que estava com um pouco mais de fome e enfim conseguiu encaixar uma das combinações verticais de passe por dentro que tem feito sucesso nesta temporada. Florian Hirtz recuou até o campo de defesa, se projetou para receber enfiada de bola do zagueiro Josip Stanišić e lançou o artilheiro Victor Boniface, que cortou Marko Vesovic e finalizou em cima da marcação. O Qarabag respondeu aos 20, em cabeçada perigosa de Elvin Cafarquliyev depois de chegada na linha de fundo e cruzamento de Vesovic pela direita, mas a bola subiu demais.

No lance seguinte, Jonas Hofmann recebeu de Robert Andrich na intermediária, tabelou com Hirtz, cortou a marcação ajeitando para esquerda e serviu Boniface dentro da área. Seria um lindo gol em uma bela jogada coletiva, mas o nigeriano não pegou bem na bola ao finalizar com o pé esquerdo e mandou em cima de Lunev.

Conforme o tempo foi passando, o Qarabag pareceu sentir mais o cansaço, deixou de tentar pressionar alto ocasionalmente e se postou no campo de defesa. Mesmo assim, os donos da casa tiveram mais duas chances de abrir o placar. Na primeira, um chute de longe vindo da direita desviou na defesa do Leverkusen e sobrou no pé de Juninho Vieira dentro da área. O atacante brasileiro bateu de primeira e acertou as costas do companheiro Abdellah Zoubir. Já na segunda e última, um vacilo de Jonathan Tah terminou em cruzamento rasteiro pela esquerda de Cafarquliyev para a entrada da pequena área, onde Benzia completou de esquerda para fora, tirando tinta da trave direita de Kovar.

Na reta final, o Bayer Leverkusen passou a ficar com a bola quase sempre no campo de ataque e insistiu até o fim para sair com a vitória. Boniface poderia ter marcado com a bola rolando após dominar dentro da área e com certa liberdade um cruzamento de Jeremie Frimpong, mas chutou mal mais uma vez pela e mandou a bola pela linha de fundo. Minutos depois, ele tentou se redimir com uma puxeta depois da defesa do Qarabag não conseguir afastar, mas também não acertou o alvo.

Boniface talvez saísse como vilão pelo número de chances desperdiçadas, mas contou com um pênalti nos acréscimos para virar herói novamente. Após lançamento longo de Andrich para área, Grimaldo cabeceou no braço de Maksim Medvedev, e o árbitro Craig Pawson assinalou pênalti após rever o lance no monitor. Na marca da cal, Boniface enfim pegou em cheio na bola e deslocou o goleiro Luka Gugeshashvili, que substituiu Lunev e pulou para o canto direito, para assegurar o 1 a 0.

Foto de Felipe Novis

Felipe NovisRedator

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo