Liga Europa

Bayer Leverkusen mantém invencibilidade histórica com mais um milagre na Liga Europa

O Bayer Leverkusen se recusa a perder, e por isso, castigou o West Ham nas quartas de final da Liga Europa

Senhoras e senhoras, aconteceu. Nesta quinta-feira (18), o Bayer Leverkusen empatou com o West Ham por 1 a 1, no London Stadium, pelo jogo de volta das quartas de final da Liga Europa. Apesar disso, os Werself avançaram à próxima fase da competição por terem vencido os Hammers na ida por 2 a 0. Mais do que isso, a invencibilidade histórica foi mantida com um milagre.

Isso porque o West Ham surpreendeu o Bayer Leverkusen e abriu o placar com méritos. Entretanto, o trabalho fenomenal de Xabi Alonso não é coincidência, já que ele percebeu as falhas de sua formação inicial e não teve vergonha de mudar. Ao se adaptar, os Werkself engoliram os Hammers, esbanjando seu ótimo futebol. A temporada invicta segue firme e forte. Quem se recusa a perder, costuma vencer. E não estranhe se a Tríplice Coroa vier no final.

Como foi West Ham x Bayer Leverkusen pela Liga Europa

Como esperado, o West Ham começou o jogo partindo para cima do Bayer Leverkusen, até porque precisava reverter o placar da partida de ida das quartas de final da Liga Europa. Mesmo com menos posse de bola no 1º tempo, os Hammers foram muito mais agressivos do que os Werkself, tanto que finalizaram 10 vezes, sendo cinco no gol. Não à toa, o placar foi aberto ainda na etapa inicial.

Com a defesa do Bayer Leverkusen sobrecarregada com o volume do West Ham, Bowen cruzou uma bola na cabeça de Antonio da entrada da grande área. O goleiro dos Werkself saiu do gol para tentar espalmar, mas o atacante dos Hammers tocou nela primeiro e mandou para o fundo da rede. Percebendo o ímpeto do adversário, Xabi resolveu tirar Kossounou (que estava mal no jogo) antes do intervalo para colocar Tapsoba.

Ainda deu tempo do clima esquentar, já que o zagueiro foi direto para os vestiários. Depois, as comissões técnicas de Bayer Leverkusen e West Ham se estranharam e começaram a se encarar. O jogo, que estava tranquilo até então, ganhou ares de dramaticidade, com os próprios jogadores dos Werkself e dos Hammers brigando assiduamente pela bola. A Liga Europa, por um breve momento, virou Libertadores.

Substituições resolvem o problema

No retorno para o 2º tempo, o Bayer Leverkusen promoveu as entradas de Boniface e Frimpong nos lugares de Schick e Tella, respectivamente. E as substituições resolveram o problema, já que o jogo contra o West Ham ficou mais equilibrado. Mesmo com a vantagem no agregado, os Werkself resolveram ocupar seu campo de ataque para dificultar a vida dos Hammers, que falharam em mostrar criatividade para tentar a classificação na Europa League.

Acredite ou não, quem passou a ditar o ritmo da partida foi o Bayer Leverkusen. O West Ham tentou menos chutes na etapa final, o que foi fundamental para a eliminação. Os Werkself fizeram por merecer e foram buscar o empate com uma finalização de Frimpong, que desviou no meio do caminho e morreu no fundo da rede. Os Hammers até tentaram, mas não foram capazes de encerrar o recorde do rival.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo