Eurocopa

Espanha lava a alma: diante de uma Eslováquia frágil, joga melhor, aproveita chances e goleia

Depois de dois empates frustrantes, Espanha consegue marcar os gols que faltaram nos outros jogos, faz 5 a 0 em Sevilha e vai enfrentar a Croácia nas oitavas

Foram duas partidas frustrantes, mas a Espanha conseguiu finalmente conseguiu um grande jogo nesta Euro 2020. Os empates contra a Suécia e depois contra a Polônia deixaram uma sensação ruim. Contra a Eslováquia, que tinha vencido a Polônia e perdido da Suécia, a Roja conseguiu um 5 a 0 em Sevilha, no Estádio La Cartuja, e garantiu a sua classificação para as oitavas de final. E olha que o início do jogo deixou os espanhóis arrepiados com um pênalti perdido no começo do jogo. Só que o bom futebol espanhol apareceu, com mais objetividade, mais capacidade de finalização e mais chances de gol criadas – e concretizadas. Uma vitória que faz com que a Espanha avance como segundo colocada do grupo, já que a Suécia também venceu. Com isso, enfrentará a Croácia nas oitavas de final.

Luis Enrique faz mudanças na Espanha

A Espanha chegou ao jogo pressionada. Depois de dois empates, era a hora dos espanhóis decidirem a classificação diante da Eslováquia. O técnico Luis Enrique teve a volta de Sergio Busquets, que teve COVID-19 na preparação e perdeu os dois primeiros jogos. Ele voltou ao time titular no lugar de Rodri. Na zaga, mais mudanças: saiu Pau Torres, entrou Eric Garcia. Na lateral direita, saiu o improvisado Marcos Llorente, entrou o campeão da Champions League pelo Chelsea, Cézar Azpilicueta.

Os eslovacos tiveram duas mudanças no time titular. Jakub Hromada ganhou um lugar no time titular, assim como Lukas Haraslín. A seleção eslovaca, porém, teria muitos problemas em campo e, em parte, começou om Hromada.

Pressão e pênalti para a Espanha

Com nove minutos de jogo, Jakub Hromada chutou Koke, que se colocou à frente. Um pênalti estúpido cometido pelos eslovacos. O árbitro foi chamado pelo VAR, porque não marcou na hora. Ao revisar o lance e ver a falta grosseira de Hromada, Bjorn Kuippers apontou pênalti.

Álvaro Morata assumiu a cobrança. No jogo anterior, Gerard Moreno chutou um pênalti na trave. Desta vez foi o jogador da Juventus, um dos mais criticados, que recebeu a responsabilidade. O camisa 7 bateu mal, à meia altura, sem ir tão no canto, e o goleiro martin Dubravka defendeu. De 11 pênaltis, só cinco entraram até aqui na Euro. A maioria, seis, não entrou.

Os espanhóis foram para cima. Em duas chegadas pela esquerda, Pedri fez um ótimo cruzamento e Pablo Sarabia não conseguiu tocar bem na bola para finalizar. Perdeu uma chance clara de abrir o placar. Pouco depois, foi a vez de Pedri não conseguir o toque na bola depois de um bom cruzamento de Azpilicueta. Em 20 minutos, a Espanha chegou com perigo e criou duas boas chances, além do pênalti.

Morata, então, tentou mais uma vez, desta vez em um chute de fora da área. Ele bateu bem, mas o goleiro Dubravka fez uma boa defesa e mandou para escanteio. O escanteio levou perigo, mas novamente a defesa eslovaca afastou.

Gol em um lance bizarro

A pressão espanhola continuava. Pablo Sarabia chutou de fora da área e acertou o travessão. A bola subiu e o goleiro Dubravka se atrapalhou. Ao tentar tocar a bola para fora por cima do gol, ele acabou dando um tapa na bola para dentro do gol. Espanha 1 a 0 em Sevilha.

Os espanhóis, então em vantagem, pareceram tirar um peso das costas. O time ficou mais tranquilo, passou a usar a sua troca de passes para controlar o jogo. Só que ainda houve um susto para os espanhóis: Duda de repente recebeu uma bola em profundidade e só tinha o goleiro Unai Simón pela frente. Nem ele mesmo acreditou que estava em posição legal. Mesmo hesitante, ele avançou e chutou para fora. Só depois o assistente marcou o impedimento.

A Eslováquia pouco fazia no campo de ataque. Não conseguia atacar, quanto mais ainda com perigo. O time tinha problemas tanto para recuperar a bola quanto para articular as jogadas. Até por isso, a Espanha controlava o jogo sem muitos problemas.

O segundo gol

Depois de um escanteio que a defesa eslovaca afastou, a bola sobrou para Gerard Moreno, que, na ponta direita, conseguiu girar e cruzar para o meio da área. Aymeric Laporte subiu bem, tocou de cabeça no alto e acertou o ângulo. A Espanha abriu 2 a 0, aos 48 minutos, já nos acréscimos da primeira etapa.

La Roja foi para o intervalo vencendo por 2 a 0, em um jogo que criou boas chances, ainda perdendo um pênalti. Para o segundo tempo, a Eslováquia precisaria melhorar muito para impedir a vitória dos espanhóis.

Espanha amplia no começo do segundo tempo

Com os 2 a 0 no placar, a Espanha voltou para o segundo tempo com um ritmo mais lento. Trocando os seus passes, como habitual, controlava sem problemas os eslovacos, que pouco conseguiam fazer para reagir.

Com tranquilidade, a Espanha aumentou o placar. Jordi Alba recebeu pelo lado esquerdo e cruzou por baixo, Sarabia tocou de primeira, no canto, e marcou mais um: 3 a 0 para a Espanha em Sevilha. Pela primeira vez nesta Euro, a Roja tinha uma situação tranquila na partida.

Gol de letra no primeiro toque na bola

Aos 21 minutos do segundo tempo, Álvaro Morata deixou o gramado, aplaudido, e foi substituído por Ferrán Torres. O atacante mal entrou e marcou um golaço. Cobrança de escanteio ensaiada com Sarabia, que tocou para Pedri, recebeu de volta e cruzou rasteiro. Torres, de letra, marcou um golaço: 4 a 0 para a Espanha.

Entrou, marcou

A Espanha teve mais um gol com mais um jogador que veio do banco de reservas. Pau Torres entrou no lugar de Eric Garcia e, no minuto seguinte, já aproveitou a chance que teve. Thiago também entrou ao mesmo tempo, no lugar de Sergio Busquets.

No primeiro lance, Thiago pegou um rebote de fora da área, mas não pegou em cheio, a bola ficou alta e sobrou para Pau Torres tocar. Juraj Kucka tentou tirar, mas acabou mandando para dentro: 5 a 0.

Espanha em segundo

A Espanha aproveitou uma Eslováquia que foi muito mal, criou e aproveitou as chances e saiu com uma goleada. Uma vitória para lavar a alma e animar o elenco, depois de uma pressão imensa. Os jogadores pareciam sentir o nervosismo, mas depois que os gols foram saindo, o time tirou esse peso das costas e passou a jogar melhor. A volta de Busquets ajudou, mas também ajudou que a Espanha contou com a benevolência dos eslovacos.

A vitória, porém, não foi o bastante para levar a Espanha ao primeiro lugar. Como a Suécia venceu a Polônia por 3 a 2, foram os escandinavos que ficaram com o primeiro lugar, com sete pontos. A Espanha, com cinco, avança em segundo e irá enfrentar a Croácia nas oitavas de final. O jogo será no dia 28, segunda-feira, em Copenhague.

A Eslováquia, com a goleada, fica em terceiro lugar e está eliminada. Com seu saldo de gols de -5, é a pior terceira colocada, atrás até da Finlândia. Com isso, a Ucrânia está classificada e, muito provavelmente, o terceiro colocado do Grupo F (de Alemanha, Portugal e França, além da Hungria) deve também se classificar, a não ser que Portugal tome uma goleada da França.

Ficha técnica

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo