Eurocopa

Espanha de novo não agrada, empata com a Polônia e vai mais pressionada à rodada final

A Espanha até jogou melhor do que contra a Suécia, mas sem conseguir se impor no placar

Mais uma vez, a Espanha não passa de um empate e decepciona na Eurocopa. O time de Luis Enrique até melhorou em relação à estreia. Criou mais oportunidades, foi mais objetivo e saiu em vantagem no Estádio Olímpico de La Cartuja. Porém, pecou demais ao ceder o 1 a 1 diante da Polônia. O primeiro grande erro aconteceu diante de Lewandowski, que não perdoou dentro da área e deixou tudo igual no início do segundo tempo. Depois, os espanhóis desperdiçaram repetidas chances de anotar o segundo. Gerard Moreno cobrou um pênalti na trave, mas existiram ainda outras oportunidades nas quais a Roja não passou por Szczesny. Agora, a Espanha vai à última rodada pressionada para vencer e evitar uma hecatombe na Euro 2020.

Moreno entra, Polônia muda o esquema

Tão pedido no primeiro jogo, Gerard Moreno seria titular desta vez. Mas não no lugar de Álvaro Morata, e sim de Ferran Torres, jogando mais aberto pela direita. De resto, Luis Enrique repetia seu 4-3-3, com Dani Olmo pela esquerda e ainda sem contar com Sergio Busquets. A Polônia também vinha com mudanças, inclusive no esquema tático, num 3-4-3 mais agressivo que o 3-5-2 da derrota para a Eslováquia. Sem o suspenso Grzegorz Krychowiak na cabeça de área, Paulo Sousa reduziu os volantes de três para dois e botou Jakub Moder para acompanhar Mateusz Klich, sacando ainda Karol Linetty. Também veio com Tymoteusz Puchacz na vaga de Maciej Rybus na lateral esquerda. Já na frente, Piotr Zielinski tinha a companhia de Karol Swiderski na ligação, com Robert Lewandowski servindo como homem de referência.

Polônia esboça uma surpresa

Os primeiros minutos de jogo em Sevilla pendiam mais à Polônia. A equipe visitante marcava forte e atacava em velocidade diante do toque de bola da Espanha. A primeira chance seria dos alvirrubros. Depois de um passe de Lewandowski, Klich arriscou de longe e a bola passou por cima da meta de Unai Simón. Entretanto, os poloneses não teriam tanto escape assim. Depois dos riscos iniciais, a Espanha passou a se encontrar no jogo a partir dos 15 minutos. Morata seria bloqueado e Rodri furaria uma bola na área. Já Lewa, do outro lado, mostraria como as situações dependeriam muito de si. O centroavante puxou um contra-ataque sozinho depois da furada de Rodri, mas, sem companhia, perderia a bola.

Morata, enfim, marca o seu

A Espanha não mudava muito seu padrão de jogo em relação à estreia e rodava os passes no campo de ataque. Porém, além de ganhar poder de fogo com Gerard Moreno, também enfrentava um adversário que dava mais brechas. Havia mais objetividade, com Pedri conduzindo a produção ofensiva. Assim, o primeiro gol saiu aos 25. Moreno recebeu na direita e cortou para o meio, batendo mascado. O chute não foi bom, mas Morata estava atento e completou no meio da área. O bandeira de início flagrou o impedimento, mas o VAR mostrou que a defesa deixou o atacante em condições e o tento foi confirmado. Na comemoração, veio o agradecimento a Luis Enrique.

Swiderski carimba a trave

A Espanha perdia a necessidade de pressionar com o gol e baixou ainda mais seu ritmo. Quem tentava mais era Moreno, que chegou a cobrar uma falta com perigo para fora. A Polônia também despertou. O empate poderia ter saído na primeira etapa. Aos 35, Lewandowski descolou um ótimo cruzamento e Swiderski completou para fora. Na sequência, Swiderski limpou o caminho e bateu colocado da entrada da área, carimbando a trave de Unai Simón. Lewandowski ficou com o rebote e teve todo o tempo para definir, mas desperdiçou a chance ao carimbar Unai Simón. Passado o susto, a Roja ainda teria uma boa chegada com Moreno antes do intervalo, após cruzamento de Jordi Alba, mas sem aproveitar. A vantagem não era tão confortável assim.

Gol de Lewa e recorde de Kozlowski

O segundo tempo recomeçou com a Espanha ainda mais estéril na posse de bola e a Polônia parecendo mais à vontade. Tão à vontade que pôde arrancar o empate aos nove minutos. Moder deu um lindo giro no meio para limpar a marcação, passou a Klich e este abriu com Kamil Jozwiak na direita. O ala cruzou no segundo pau e encontrou Lewandowski, que não perdoou. O artilheiro tirou Aymeric Laporte na disputa com o braço e subiu soberano para concluir de cabeça. Logo depois, Paulo Sousa ainda mudaria em seu time. Colocou no lugar de Klich o garoto Kacper Kozlowski, para melhorar a criação. O novato se tornava o mais jovem da história a disputar um jogo de Eurocopa, aos 17 anos.

Moreno perde pênalti

A Espanha poderia ter retomado a vantagem logo na sequência. Numa batida de Gerard Moreno, Moder chegou atrasado e pisou no pé do atacante. Depois da revisão no monitor, o árbitro Daniele Orsato assinalou o pênalti. Moreno assumiu a cobrança e mirou o canto direito de Wojciech Szczesny, mas carimbou a trave. Morata ainda pegou a sobra na velocidade, mas emendou para fora. Com isso, o jogo ficava mais pegado. Luis Enrique logo faria sua primeira troca, com Ferran Torres na vaga de Dani Olmo. Não existia um domínio claro, embora os espanhóis chegassem mais. Aos 20, Morata recebeu com espaço e chutou cruzado, para Szczesny salvar com a ponta dos dedos. A Roja viria com mais trocas na sequência, botando Fabián Ruiz e Pablo Sarabia nos lugares de Koke e Moreno. Já do lado polonês, Przemyslaw Frankowski renovava as energias ofensivas na vaga de Swiderski.

Szczesny se agiganta contra Morata

A Espanha ainda controlava mais as ações, mas sem aproveitar os espaços dados pela defesa da Polônia. E dava para marcar o segundo gol. Aos 27, Ferran Torres chegou a perder uma cabeçada livre dentro da área. Depois, seria a vez de Morata escorregar bem na hora da finalização. E quando Rodri chutou firme, Szczesny encaixou sem nem dar rebote. Já a melhor intervenção do goleiro viria aos 39, quando Szczesny foi muito corajoso para abafar um arremate de Morata saltando diante dos pés do atacante. Jan Bednarek ainda afastou a sobra. Logo depois, sairiam o próprio Bednarek e Moder, entrando Linetty e Pawel Dawidowicz. Morata também logo deu lugar a Mikel Oyarzabal.

Ficou nisso

Durante os minutos finais, a Polônia até se permitiu acreditar. A Espanha não se encontrou com as mudanças e se retraiu. Faltava um pouco mais de qualidade entre os poloneses na criação, mas a equipe até ficou mais com a bola. De qualquer forma, não haveria muita emoção no fim. Ao término da partida, soaram as vaias no Estádio Olímpico de La Cartuja – com razão, diante do péssimo futebol apresentado pelos espanhóis.

A situação no grupo

A liderança no Grupo E da Eurocopa fica com a Suécia, com quatro pontos. A Eslováquia tem três, na segunda colocação. Espanha e Polônia aparecem fora da zona de classificação, com dois pontos aos espanhóis e um aos poloneses. Na rodada final, as duas equipes precisarão buscar a vitória. A Polônia encara a Suécia e a Espanha fecha a participação na chave contra a Eslováquia.

Ficha técnica

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo